Times brasileiros são os que menos jogam partidas oficiais de 'League of Legends'

Rodrigo Guerra e Felipe Felix / ESPN.com.br

Todos os times das 'ligas de entrada' de League of Legends possuem mais jogos que o CBLoL
Todos os times das 'ligas de entrada' de League of Legends possuem mais jogos que o CBLoL Riot Games

Após o vídeo no qual a Riot da América Latina Norte afirma que o formato do CBLoL é um ponto negativo para as equipes brasileiras no torneio internacional por sua quantidade menor de partidas, o ESPN eSports fez um levantamento do número disputado nos campeonatos das ‘novas regiões’ (também chamadas de ‘Wildcard’). O resultado mostra que o Brasil e a Rússia são as regiões com torneios que têm o menor número de disputas na fase regular.

O levantamento compara os números de jogos disputados na fase regular dos campeonatos da LoL Continental League (Rússia), LoL Japan League (Japão), Liga Latinoamérica Norte (América Latina Norte), Copa Latinoamérica Sur (América Latina Sul), Turkish Champions League (Turquia), Garena Premier League (Sudeste Asiático), Oceanic Pro League (Oceania) e do CBLoL (Brasil). 

Brasil e Rússia têm formatos bastante similares e, por isso, possuem a mesma quantidade de partidas disputadas na fase regular. Com 7 semanas de disputa, cada time do CBLoL encara 14 partidas no formato Round Robin (onde todos os times se enfrentam uma vez) em partidas melhor de 2. Na LCL, o formato é similar, e fase regular conta 14 jogos no formato MD1 com jogos de “ida e volta”, também em 7 semanas de competição.

Por outro lado, os times russos passaram por um torneio de "intertemporada" de apenas dois dias de duração, a LCL Open Cup, que inclui os times da LCL e os da série de promoção. A Open Cup é um campeonato de tiro curto, mas que ainda sim coloca os jogadores profissionais na ativa por mais tempo do que no Brasil.

Antes considerados os países mais fortes dos "wildcards", Brasil e Rússia caíram ainda na fase de grupos do Mid-Season Invitational, perdendo justamente para os times que tinham jogado mais partidas em seus torneios locais. 

No Japão, são 6 times participando do torneio, mas, por conta do formato, os orientais acabam disputando mais partidas que os brasileiros. A LJL é competida no formato Double Round Robin, no qual cada time se enfrenta duas vezes em séries melhor de 3.  Por conta desse formato, a liga japonesa tem naturalmente mais jogos do que a brasileira.

Antes de chegar no MSI, a Gigabyte Marines jogou 38 partidas antes de chegar no MSI do Brasil - a Red Canids jogou apenas 21
Antes de chegar no MSI, a Gigabyte Marines jogou 38 partidas antes de chegar no MSI do Brasil - a Red Canids jogou apenas 21 Riot Games

Nesse sistema, o número máximo de partidas que um time pode disputar no campeonato japonês são de 30 jogos na fase regular. Isso, porém, não quer dizer que o número máximo de jogos seja disputado na temporada. Na primeira etapa da LJL nesse ano, a Detonation Focus Me jogou 24 partidas, vencendo 18 jogos e perdendo 6, por exemplo.

Formada por Malásia, Filipinas, Singapura, Vietnam e Tailândia, a Garena Pro League é a “liga de entrada” que mais exige de seus times. Além de ter que disputar no formato double round-robin, os times ainda precisam participar de um torneio com os vencedores de cada país da região para definir o representante do sudeste asiático.

A Gigabyte Marines, por exemplo, precisou passar por 27 jogos no Vietnã na série regular antes de vir para o Mid-Season Invitational - quase o dobro da Red Canids. No total, contando os playoffs e o torneio da GPL, o time vietnamita disputou 38 partidas antes de chegar em São Paulo, contra 21 da Matilha. Para se adequar à agenda internacional, as partidas da Vietnam Championship Series são disputadas de quinta a domingo. Talvez por esse ritmo frenético a Marines conseguiu ter tanto destaque no Mid-Season Invitational.

A Oceania também tem um esquema de campeonato diferente. Por lá, os times são divididos em dois grupos. Os times do mesmo grupo disputam séries em Double Round Robin, mas também enfrentam times do segundo grupo em séries single Round Robin. Todas as partidas são no formato melhor de 3.  Na fase regular, a Dire Wolves disputou 23 partidas, 9 a mais do que a Red Canids.

Em 2015 a paiN Gaming foi o time que mais disputou partidas no CBLoL e teve a melhor campanha no Mundial
Em 2015 a paiN Gaming foi o time que mais disputou partidas no CBLoL e teve a melhor campanha no Mundial Riot Games

Mais jogos é sinônimo de melhor qualidade?

Com base nesses dados, é indiscutível que a maioria das regiões jogam mais partidas do que o Brasil e a Rússia, e esse número de jogos pode realmente influenciar no desempenho da equipe em competições internacionais, como foi o caso da Marines, time de grande destaque durante o Mid-Season Invitational desse ano.

Esse não é o único fator decisivo, pois os times brasileiros contam com estrutura bastante desenvolvida e inspirada em outras regiões, possuindo comissão técnica, acompanhamento psicológico e gaming house. O número menor de jogos, por outro lado, mostra que os times podem não estar preparados para situações adversas que acontecem dentro de uma série,

Não seria impossível ver que o CBLoL ainda tem espaço para crescer. Basta olhar para outras regiões e ver que existem formas de aumentar o número de jogos em que os times disputam, o que serviria tanto para melhorar a qualidade dos nossos jogadores, quanto para ficar mais tempo em evidência e em contato com seus torcedores. 

Existem formas de aumentar a experiência de um time em quantidades de jogos sem mexer profundamente com o formato do CBLoL com o formato de Melhor de 3, permitindo que os times disputassem até 21 partidas. Uma alternativa seria continuar com o formato MD2 usando o sistema Double-Robin, com jogos de "ida e volta", permitindo que fossem disputados 28 jogos na fase de grupos.

Em 2015, quando a paiN Gaming representou o Brasil no Mundial, o cenário era outro. O formato de single round robin já tinha se estabelecido, porém, o CBLoL contava ainda com quartas-de-final antes das semifinais. Com isso, 6 times avançavam para os playoffs, sendo que os dois melhores colocados na fase regular iam direto para as semis. Na ocasião, Keyd e INTZ foram para as semifinais e ficaram uma semana sem disputar nada, enquanto a paiN, com mais jogos e sem 'pausa para descanso', foi a campeã brasileira. 

Outra coisa que vale lembrar: a mesma paiN, que teve mais jogos disputados em 2015, foi a protagonista da melhor campanha de uma equipe brasileira em torneios internacionais. Seria coincidência?

Nesse ano, temos ainda um obstáculo que não foi percebido. Após a fase regular, os times vão ficar praticamente 1 mês sem disputar partidas oficiais. A última partida da fase regular acaba no dia 27 de julho. Depois disso, será transmitida a Série de Promoção nos dias 05 e 06 de agosto, e as semifinais voltam nos dias 19 e 20 de agosto, deixando os times classificados quase um mês sem jogar.

A Red Canids e a Keyd disputarão o Rift Rivals nessa semana e veremos se o formato do CBLoL realmente pode diminuir a competitividade dos nossos representantes em um torneio internacional.

Comentários

Times brasileiros são os que menos jogam partidas oficiais de 'League of Legends'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.