Das curiosidades ao momento, do 'cara' ao técnico: os rivais gringos dos brasileiros na Libertadores

Thiago Cara, do ESPN.com.br
ESPN.com.br
Conheça os rivais estrangeiros dos brasileiros nas oitavas da Libertadores
Conheça os rivais estrangeiros dos brasileiros nas oitavas da Libertadores 

Quatro brasileiros terão rivais estrangeiros nas oitavas de final da Copa Libertadores. O Grêmio, por exemplo, abre a rodada nesta terça-feira, às 19h15 (de Brasília), contra o Godoy Cruz, na Argentina, contra um time de técnico jovem e que faz a melhor campanha de sua história no torneio.

Já Barcelona-EQU, Jorge Wilstermann-BOL e Nacional-URU serão, respectivamente, os rivais de Palmeiras, Atlético-MG e Botafogo, respectivamente, nesta quarta ou quinta-feira, e o ESPN.com.br apresenta, em um breve resumo, o que você precisa saber para conhecer os adversários.

Vale lembrar que, além das quatro equipes, o Brasil também está representado nas oitavas da Libertadores por Atlético-PR e Santos, que se enfrentam também nesta quarta-feira.

Conheça os rivais gringos dos brasileiros na libertadores:

  •  Barcelona de Guayaquil-EQU, rival do  Palmeiras

Colocação no campeonato nacional: (de 12)
Melhor desempenho na Libertadores: Vice-campeão (1990 e 1998)
Posição no ranking da Conmebol: 39º
Estádio: Monumental Isidro Romero Carbo (capacidade: 57.267)

  • O craque: Damián Díaz
    Meio-campista não faz grande Libertadores, mas é responsável pela articulação do time e por municiar o artilheiro Jonatan Álvez.
  • O técnico: Guillermo Almada
    Uruguaio comanda equipe desde junho de 2015 e, por priorizar a Libertadores, viu o modesto Delfín vencer o Apertura. 

Curiosidade: Presidente do clube, José Francisco Cevallos, foi carrasco do Fluminense na Copa Libertadores de 2008, defendendo três pênaltis no Maracanã e sendo campeão com a LDU. Hoje, além de dirigente, é ainda o governador da província de Guayas, onde fica Guayaquil e, na política, também já foi ministro do Esporte do Equador.

 

  •  Godoy Cruz-ARG, rival do  Grêmio

Colocação no campeonato nacional: 14º (de 30)
Melhor desempenho na Libertadores: Oitavas de final (2017)
Posição no ranking da Conmebol: 88º
Estádio: Malvinas Argentinas (capacidade: 40.268)

  • O craque: Juan Fernando Garro
    Com três gols marcados na Libertadores, atacante vive grande fase e deve ganhar chance na seleção da Argentina.
  • O técnico: Lucas Bernardi
    Com apenas 39 anos, iniciou carreira de treinador em 2015 e está no Godoy Cruz desde dezembro de 2016

Curiosidade: Time, que faz participação histórica em sua terceira Libertadores, é mais conhecido na Argentina como "Tomba". O apelido vem do início do clube, após a fusão de duas equipes, o Club Sportivo Godoy Cruz com o Club Deportivo Bodega Antonio Tomba.

 

  •  Jorge Wilstermann-BOL, rival do  Atlético-MG

Colocação no campeonato nacional: 10º (de 12 no Apertura)
Melhor desempenho na Libertadores: Semifinal (1981)
Posição no ranking da Conmebol: 75º
Estádio: Félix Capriles (capacidade: 32.000)

  • O craque: Ricardo Pedriel
    Atacante de 30 anos retornou ao clube para as oitavas da Libertadores após passagem pela Europa e é esperança de gols.
  • O técnico: Roberto Mosquera
    Campanha ruim no Boliviano pressionou o peruano, que, por outro lado, levou time a classificação inédita na Libertadores.

Curiosidade: Clube foi fundado por trabalhadores da empresa aérea boliviana Lloyd (LAB) e ganhou esse nome em 1953, em homenagem a Jorge Wilstermann, que foi o primeiro piloto comercial de aviões na Bolívia. Para as oitavas da Libertadores, conta com três brasileiros: o zagueiro Alex Silva, o meio-campista Carlinhos e o atacante Serginho - esses dois últimos, recém-contratados. 

 

  •  Nacional-URU, rival do  Botafogo

Colocação no campeonato nacional: (de 8 no grupo B do Torneio Intermedio)
Melhor desempenho na Libertadores: Campeão (1971, 1980 e 1988)
Posição no ranking da Conmebol:
Estádio: Gran Parque Central (capacidade: 26.500)

  • O craque: Rodrigo Aguirre
    Emprestado pela Udinese-ITA, é artilheiro e querido pela torcida. Corre contra o tempo para se recuperar de lesão e jogar.
  • O técnico: Martín Lasarte
    Foi campeão da Libertadores e mundial pelo Nacional em 1988 como jogador e está no comando da equipe desde junho de 2016

Curiosidade: Um dos campos do centro de treinamento de base do Nacional foi batizado em homenagem ao astro Luis Suárez, do Barcelona, que foi revelado pelo clube uruguaio - pelo qual, inclusive, disputou as Libertadores de 2005 e 2006, tendo enfrentado o Internacional nessa última.

Comentários

Das curiosidades ao momento, do 'cara' ao técnico: os rivais gringos dos brasileiros na Libertadores

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.