Torcida organizada se sente ameaçada por diretoria do Vasco e decide não ir a jogo

ESPN.com.br
Divulgação

Por meio de uma nota oficial veiculada no Facebook, a torcida Guerreiros do Almirante (GDA) comunicou que não estará presente na partida entre Vasco e Avaí, que acontece neste sábado, às 19h, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os membros da torcida se sentem ameaçados pela diretoria cruzmaltina e decidiram tomar um posicionamento público.

Segundo lideranças da GDA ouvidas pela reportagem do ESPN.com.br, o grupo político "Casaca" - que apoia a atual diretoria - estaria ameaçando a torcida por acreditar que ela organiza os protestos nas arquibancadas de São Januário contra o presidente Eurico Miranda.

Procurada pela reportagem, a assessoria do Vasco negou qualquer tipo de ameaça aos integrantes da torcida.

Na última partida disputada no estádio, a vitória sobre o Sport, puderam-se ouvir manifestações contra o grupo que comanda o Vasco. A Guerreiros do Almirante, que diz não se envolver em política, afirma que não protesta e até orienta seus membros a evitar esse tipo de grito.

Entretanto, não irá impedir ninguém de exercer seu direito de livre expressão, pois seria melhor "até acabar com a torcida" do que fazer isso, segundo um de seus membros.

A partir da descrença e das ameaças de agressões que os membros vêm recebendo, a organizada que hoje é a mais popular nas arquibancadas de São Januário decidiu não ir mais à partida deste sábado, tomando um posicionamento público e visando à garantia da segurança de seus integrantes.

Nenê e Luis Fabiano revezando; Bertozzi vê Milton Mendes administrando bem os jogadores experientes 

Lideranças do grupo dizem que ainda não entraram em contato com a polícia, mas que poderão o fazer no futuro para continuar indo aos jogos.

  • Vasco chama versão de 'fantasiosa'

Neste sábado, o Vasco publicou uma nota oficial em seu site chamando de "fantasiosa" a versão que acusa agressões no setor das Sociais de São Januário. Segundo o clube, a orientação é para que os seguranças façam intervenções apenas em casos de desentendimentos e descumprimento do estatuto social.

"A segurança tem trabalhado com o devido cuidado, redobrado a partir da identificação das ações deliberadas contra o Vasco perpetradas por aqueles que se pautam somente por intenções políticas", diz o texto.

A nota ainda pede que o torcedor "de verdade" compareça ao estádio. "Este torcedor legítimo, despido dos interesses subalternos vinculados à antecipação do processo eleitoral de novembro, faz a diferença a favor da Instituição, ideais políticos à parte." 

Comentários

Torcida organizada se sente ameaçada por diretoria do Vasco e decide não ir a jogo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.