Árbitro cita Felipe Melo por início de confusão; Conmebol abre processo contra o Peñarol

ESPN.com.br
Com ângulo mais aberto, imagem mostra início da confusão no Uruguai; assista

A Conmebol abriu um processo disciplinar para julgar o Peñarol pela confusão ocorrida na última quarta-feira contra o Palmeiras, pela quarta rodada da Copa Libertadores, quando ao final da partida jogadores do clube uruguaio e palmeirenses trocaram agressões em campo e na área interna do estádio Campeón del Siglo.

No tumulto, Felipe Melo acertou um soco no meia Mier, o que exaltou ainda mais os jogadores uruguaios. Mas apenas Melo e Mier foram citados nos relatórios da arbitragem e do delegado da partida, em Montevidéu.

O volante palmeirense ainda levou o "crédito" pelo início da confusão.

"Ao final do jogo, o senhor Felipe Melo, com a camisa 30 do Palmeiras, faz um gesto supostamente de saudação ao céu, gerando reação tanto de jogadores titulares como de reservas do Peñarol, na qual pode se individualizar o senhor Matías Mier, camisa 10 da equipe do Peñarol, que, em atitude provocativa, perseguiu o senhor Felipe Melo. Em um dado momento, ocorre uma agressão mútua entre ambos os jogadores com golpes de punho, o que motiva a reação de outros jogadores de ambas as equipes. Foi difícil identificar quem estava envolvido", escreveu o árbitro Enrique Cáceres, do Paraguai.

O relatório do delegado da partida deixa dúvida se o gesto de Felipe Melo teve como objetivo provocar os rivais ou foi apenas uma comemoração.

"A partida transcorreu normalmente, sem incidentes, durante o tempo regulamentar e nos minutos adicionais (90+3). Ao término, o jogador de número 30 do Palmeiras, Felipe Melo, foi em direção ao banco dos jogadores do Peñarol e com um gesto de saudação ao céu provocou a reação dos adversários. Notou-se que o jogador número 10 do Peñarol, Matías Mier, começou a perseguir e provocar Felipe Melo, que reagiu com um soco no rosto do jogador do Peñarol, o que acabou gerando atos de agressão mútua e a reação de outros jogadores da equipe local, titulares e reservas, contra os da equipe visitante, além de comissão técnica e auxiliares. Foi uma confusão generalizada, na qual foi difícil identificar quem participou dela", escreveu o delegado do jogo sobre o incidente.

Suspensão e perda de mando; BB Debate analisa possíveis punições para Felipe Melo

O documento também tem um parecer do chefe da segurança da partida, que critica a atuação dos seguranças do Peñarol e relata invasão de campo por parte dos palmeirenses - que, na verdade, foram tentar ajudar os jogadores do clube.

O responsável pela segurança citou que na reunião feita com a polícia uruguaia foi informado que a segurança dentro do estádio para o time visitante seria feita por seguranças contratados pela empresa Golani. O documento menciona que isso causou surpresa e preocupação. Ao mesmo tempo cita que o Palmeiras apresentou-se com 12 seguranças. E que todos foram liberados para trabalhar no estádio desde que não entrassem em campo - durante a confusão quatro estiveram no gramado.

Em sua conclusão, o documento da Conmebol responsabiliza o clube uruguaio e informa que ele foi denunciado em quatro artigos do código disciplinar da entidade e mais três artigos da Copa Libertadores. O prazo dado para defesa é 5 de maio.

O Palmeiras deve receber um documento idêntico.

As imagens do soco dado por Felipe Melo em Mier serão analisadas, bem como as atitudes dos seguranças, especialmente do Palmeiras - quatro entraram em campo.

Mas o documento não cita punições para eles.

  • A confusão no Uruguai

A confusão ocorreu na última quarta-feira após o apito final, em Montevidéu, que teve vitória do clube alviverde por 3 a 2, de virada.

Os jogadores do Peñarol começaram a discutir com os palmeirenses e teve início então uma perseguição ao volante Felipe Melo. Acuado, ele acertou um soco no meio-campista Matías Mier, o que só fez aumentar o tumulto.

O confronto prosseguiu já nas áreas internas do estádio Campeón del Siglo, com trocas de ofensas e ameaças de pancadaria. Jogadores como o goleiro Fernando Prass e o atacante Willian ficarám com marcas no rosto por causa da confusão em campo.

EFE/Raúl Martínez
Felipe Melo Palmeiras Penarol Libertadores 26/04/2017
Felipe Melo Palmeiras Penarol Libertadores 26/04/2017

Nas arquibancadas, uruguaios chegaram a invadir uma área vizinha ao local onde estavam os palmeirenses e que havia sido mantido fechada. Uma vez lá, eles tentaram quebrar o alambrado para ficaram cara a cara com a torcida alviverde, em menor número.

Os uruguaios jogaram pedras e latas de lixo em direção aos palmeirenses, mas não conseguiram invadir o local e ter um confronto direto com eles.

Veja abaixo, na íntegra, o documento da Conmebol:

Reprodução
documento conmebol peñarol x palmeiras
Comentários

Árbitro cita Felipe Melo por início de confusão; Conmebol abre processo contra o Peñarol

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.