No Barcelona atual, Iniesta virou um problema

ESPN.com.br
Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images
Iniesta Barcelona Real Madrid Campeonato Espanhol 03/12/2016
Iniesta atualmente 'rende' mais no banco do que no time titular do Barcelona

A goleada por 4 a 0 sofrida pelo Barcelona para o Paris Saint-Germain deixou muitas tristes certezas para o torcedor catalão. Uma delas é que o meia Andrés Iniesta, hoje com 32 anos, deixou de ser um jogador essencial e transformou-se na verdade em um problema para o time.

Os números não mentem: com o veterano em campo, o desempenho do Barça cai.

Na temporada, quando Iniesta jogou, foram 20 jogos, com 12 vitórias, quatro empates e quatro derrotas - incluindo o 4 a 0 da última terça -, o que dá um aproveitamento de 67%. Além disso, a média é de 2,65 gols pró e 1,11 gols contra por partida.

Já quando o baixinho não jogou, foram 19 vitórias, quatro empates e só uma derrota: aproveitamento de 88%, além de 2,84 gols pró e 0,63 gols contra.

Ou seja, atualmente o Barcelona melhora em todos os quesitos em o craque.

Capitão do time e dono de muitos títulos pela equipe catalã, Iniesta claramente já não é mais o mesmo de seus tempos áureos, quando formou com Xavi uma das melhores duplas de meias de toda a história do futebol.

Mais uma vez, os números não mentem: na atual Uefa Champions League, ele tem média de 72 passes certos por jogo, enquanto no Espanhol esse número despenca para 50,5.

Montantes que em nada lembram o atleta de outros tempos, quando costumava ter média de 90 e até 100 passes certos por partida.

A queda de rendimento é notável: na atual temporada, ele só fez um gol (na goleada por 7 a 0 sobre o Celtic, pela Liga dos Campeões, em setembro do ano passado) e deu apenas quatro assistências.

Neymar dá méritos ao PSG e diz que reverter resultado é 'praticamente impossível'

E até por já estar sentindo o peso da idade, o camisa 8 hoje corre menos que noutros tempos. Na Champions atual, ele corre 117 metros/minuto, enquanto em 2014/15, edição que teve Barça campeão, ele corria 11 metros/minuto.

Sua frequência de lesões também aumentou. Em outubro de 2016, por exemplo, ele se machucou com gravidade no joelho e chegou a ficar oito semanas em recuperação. Já no fim de janeiro, ele sofreu outra lesão, esta muscular, e ficou mais tempo de molho.

Sua atuação contra o PSG, na última terça-feira, foi desastrosa, como atestou o jornal catalão Sport, tradicional defensor do Barcelona, que lhe deu nota 2.

"Não apareceu nunca e a equipe sentiu mais falta dele do que nunca. O meio-campista teve pouca presença e nulo protagonismo", criticou o diário.

Decepcionado com Neymar, Arnaldo vê derrota como 'marco' na história do Barcelona

"A verdade é que ele não ofereceu nada ao time. Pode ser que tenha forçado para entrar em campo cedo demais [após se recuperar recentemente de lesão]. Seguramente, ele mesmo se dará conta que se equivicou em sua ânsia de ajudar a equipe", completou o Sport.

O próprio Iniesta admitiu após a goleada em Paris que ele mesmo, assim como todos os colegas, estiveram abaixo do que costumam apresentar em campo.

"Eles nos superaram em tudo, em todos os aspectos do jogo, e criaram diversas ocasiões de perigo, foram muito efetivos. Tivemos uma dia horrível", lamentou.

Comentários

No Barcelona atual, Iniesta virou um problema

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.