Como Palmeiras 'enfiou' joia de 17 anos em avião para fechar e driblar 10 times

Marcus Alves, do ESPN.com.br
Fabio Menotti/Ag Palmeiras/Divulgação
Fernando comemora gol do Palmeiras contra o Paranoá-DF na estreia
Fernando comemora gol do Palmeiras contra o Paranoá-DF na estreia

Na briga pelo título inédito da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o Palmeiras repete em suas categorias de base uma receita do profissional: a agressividade no mercado.

Somente assim, o clube conseguiu assegurar a contratação de uma de suas apostas na edição deste ano, o atacante Fernando. A joia de 17 anos marcou um dos gols alviverdes na vitória sofrida de 3 a 2 em sua estreia contra o Paranoá-DF, na última segunda-feira, e voltará a campo logo mais, às 21h (de Brasília), com transmissão da ESPN Brasil, para tentar uma vaga na segunda fase contra o Villa Nova-MG.

A sua vinda exigiu que o time paulista se antecipasse aos concorrentes.

O camisa 11 palmeirense foi uma das revelações da última Taça BH Sub-17 atuando pela AMDH (Associação Mineira de Desenvolvimento Humano).

A modesta equipe não passou da fase de grupos, mas Fernando balançou as redes duas vezes, contra Atlético-MG e Paraná.

Todos queriam contratá-lo, entre eles, Cruzeiro, Atlético-MG e Inter.

O Palmeiras foi mais rápido.

"Foi uma guerra para contratá-lo, mais de 10 times em cima e tivemos que metê-lo, entre aspas, dentro de um avião para que não ouvisse outras propostas. Antecipei minha volta a São Paulo para fazer o seu contrato e trouxemos até o seu pai e um amigo para acompanhá-lo", afirmou o coordenador de base do Palmeiras, João Paulo Sampaio, ao ESPN.com.br.

"A exemplo de toda essa geração, a perspectiva com ele é muito boa", completou.

Ao contrário de Fernando, o seu amigo acabou não sendo aprovado no teste.

O atleta nascido em 1999, por outro lado, assinou por três anos.

Assista aos gols da vitória do Palmeiras sobre o Paranoá-DF por 3 a 2

Ele disputou o seu último jogo com a AMDH no último dia 14 de julho. Quatro dias depois, no dia 18, teve seu contrato registrado na federação paulista. Enquanto isso, o Palmeiras chegou até a final contra o São Paulo, no dia 24.

"Tive que vir correndo para contratá-lo. Foi uma logística de um dia para o outro. Ou era isso ou o perderíamos", disse Sampaio.

Ele é uma das apostas dentro da nova filosofia palmeirense de privilegiar talentos mais novos e não onerar a folha salarial do profissional com garotos em último ano na base. Ao todo, são seis sub-17 titulares.