Recorde de 20 anos é desafio para os atletas na São Silvestre

Rafael Valente, de São Paulo (SP), para o ESPN.com.br
Gazeta Esportiva
O queniano Paul Tergat na São Silvestre de 1995; prova teve recorde de tempo
O queniano Paul Tergat na São Silvestre de 1995; prova teve recorde de tempo

Principal e mais antiga prova de rua do Brasil, a São Silvestre não é uma competição marcada por registrar novas marcas com frequência. A corrida vive o mais longo tabu de sua história: faz 20 anos que o recorde da disputa masculina foi cravado. Desde então, mesmo com corredores famosos, nada mudou.

Foi em 1995, ano em que o queniano Paul Tergat venceu o primeiro de seus cinco títulos em incríveis 43min12s. Considerando apenas as edições em que a prova teve 15 km, ou seja, a partir de 1991, ninguém conseguiu ser mais rápido do que ele.

Antes dele, o recorde era do queniano Simon Chemwoiywo, com 43min20 na São Silvestre de 1993. Depois dele, apenas cinco campeões venceram com tempo abaixo de 44 minutos. O próprio Tergat correu em 43min50, em 1996, e em 43min57, em 2000; o brasileiro Marílson Gomes dos Santos correu em 43min50, em 2003; o etíope Tariku Bekele correu em 43min35s, em 2011; e o queniano Edwin Kipsang correu em 43min47s, em 2013.

A dificuldade para quebrar o recorde teve várias justificativas ao longo dos anos, mas as principais foram relacionadas a altas temperaturas - a largada masculina ocorria às 17h - ou a problemas climáticos, como as fortes chuvas de verão dos fins de tardes paulistanos. Até o trajeto da prova chegou a ser questionado.

Mas essas justificativas perderam a força nos últimos anos. Desde 2012 a prova passou a ser realizada pela manhã, com a largada masculina a partir das 9h. Além da temperatura mais amena e a ausência de chuva, os trajetos também foram modificados.

Em 2011, na última prova vespertiva, a chegada deixou de ser na avenida Paulista, 900, e passou para avenida Pedro Álvares Cabral, no Ibirapuera. Assim o percurso final foi em uma descida, aumentando a velocidade dos competidores.

Em 2012 e em 2013, mais descidas foram incluídas. Ruas mais largas, com melhor infraestrutura também passaram a fazer parte da prova. Nada ajudou.

Quem sabe a história mude neste ano. A edição de 2016 terá nomes conhecidos no atletismo, como etíope Dawit Admasu (campeão em 2014), os queniano Paul Kemboi e Mathew Cheboi, os tanzanianos Augustine Sulle e Gabriel Geay e o brasileiro Giovani dos Santos.

A São Silvestre será neste sábado, dia 31 de dezembro. A prova começa a partir das 8h20 (de Brasília), com a largada dos cadeirantes. Às 8h40 (de Brasília) será a vez das mulheres. O homens iniciam a prova às 9h (de Brasília).

Cléber Guilherme dá dicas para se preparar para a São Silvestre
  • RECORDE NO FEMININO

Disputada desde 1975, a prova feminina da São Silvestre passou a ter 15 km no mesmo ano da masculina, isto é, em 1991. Desde então teve três quebras de recorde.

A primeira foi em 1993 com a queniana Hellen Kimaiyo (50min26). Sete anos depois, em 2010, a também queniana Alice Timbilili registrou o tempo de 50min19s, recorde que foi superado no ano seguinte pela queniana Priscah Jeptoo, com 48min48s.

  • MUDANÇAS NOS ÚLTIMOS ANOS

1991
A prova passou a ter 15km

2011
Última prova realizada à tarde (17h30). A chegada foi alterada da avenida Paulista para avenida Pedro Álvares Cabral, no Ibirapuera. Foi uma forma de evitar que os competidores concluíssem a São Silvestre no mesmo horário em que a avenida Paulista fosse ocupada pelo público da festa de Réveillon. Além disso, pela primeira vez desde os anos 1980, o trajeto deixou de passar pelo Minhocão.

2012
Mudanças principais: largada às 9h e a chegada retorna para a avenida Paulista.

2014
A nova rota fez os corredores passarem duas vezes na esquina da São João com a Ipiranga. Além disso, um trecho no novo formato correspondia ao desenho de um coração no mapa da cidade. Esse trecho tinha início na avenida São João, passando pela praça da República e terminando na Avenida Ipiranga. 

2016
A organização tirou ruas acanhadas, como a Margarida e a Olga, e desviou para vias mais espaçosas no centro (como Xavier de Toledo, Sete de Abril, Bráulio Gomes, Viaduto 9 de Julho, Viaduto Jacareí e rua Dona Maria Paula).

Comentários

Recorde de 20 anos é desafio para os atletas na São Silvestre

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.