Conheça o 'time abandonado' da Premier League: dono só quer vender, torcida desistiu

ESPN.com.br
Michael Regan/Getty Images
Hull City Torcida Protesto Assem Allam Out Leicester Campeonato Ingles 13/08/2016
Torcedores do Hull City protestam contra o dono do clube, Assem Allam

O Hull City, time de 112 anos de história, está abandonado e à deriva na Premier League.

Atual lanterna do torneio, com apenas três vitórias em 12 jogos, os Tigers, que nesta sexta-feira encaram o Everton, às 18h (horário de Brasília), com transmissão exclusiva dos canais ESPN e do WatchESPN, vivem uma guerra que parece não ter fim.

A batalha é entre seu dono, o empresário inglês de orígem egípcia Assem Allam, que só quer saber de vender e se livrar da equipe, e a torcida, que só quer saber de protestar contra o magnata e parece já ter "jogado a toalha", deixando o estádio vazio para os padrões ingleses.

Nesta sexta, o Hull City recebe o Everton pela Premier League, às 18h, na ESPN Brasil e WatchESPN

Tudo começou há dois anos, quando Allam, proprietário desde 2010, quis mudar o nome do clube de Hull City para Hull Tigers, com a justificativa de que isso daria "mais força" à equipe, mas viu a Associação de Futebol da Inglaterra vetar seu delírio.

Assem Allam
Assem Allam Dono Hull City Burnley Campeonato Ingles 09/05/2015
Assem Allam, o criticado dono do Hull City

Após a negativa, o ricaço simplesmente largou o time e tenta a todo custo vendê-lo para quem quiser, sem sucesso.

Sem comando (e principalmente sem dinheiro), a agremiação ficou à deriva, virou um "iô-iô", sendo rebaixado e voltando constantemente, e viveu momentos de completo amadorismo recentemente.

No início desta temporada, por exemplo, o Hull tinha apenas 13 jogadores registrados a três dias do início do Inglês, e ainda viu o técnico Steve Bruce, uma lenda amada pelos torcedores, pedir demissão depois de brigar com Ehab Allam, filho do dono Assem Allam que foi colocado na presidência do clube a contragosto de todos.

Assista aos gols da vitória do Manchester City sobre o Hull City por 3 a 0!

Não à toa, os resultados em campo foram péssimos: os Tigers já tiveram uma série de seis derrotas na Premier League e atualmente estão há sete partidas sem vencer.

Alex Morton/Getty Images
Hull City Torcida Protesto Assem Allam Out Leicester Campeonato Ingles 13/08/2016
Torcedor protesta com cartaz

O principal reflexo foi a debandada da torcida: atualmente, o Hull City possui a menor média de ocupação de estádio entre os 20 clubes do Inglês: 78,7%, com 20.146 torcedores/jogo.

Pode parecer muito para os padrões brasileiros, mas para a Inglaterra é um número incomum. Dos outros 19 times da liga, por exemplo, 17 possuem ocupação superior a 90% (Manchester United e Arsenal lideram, com 99,4%), enquanto os outros dois (Sunderland e West Bromwich) estão acima de 85%.

Durante as partidas, inclusive, os fãs se preocupam mais em protestar do que em apoiar a equipe. Nos últimos duelos do time aurinegro, os torcedores reclamaram de todas as formas possíveis de Assem Allam, seja com cartazes, fantasias, máscaras ou xingamentos dos mais variados.

Até mesmo torcedores famosos entraram na onda, como o empresário John Oxley, um dos mais antigos patrocinadores dos Tigers, que protestou com um cartaz de "Allam Out" no meio do gramado no duelo contra o Crystal Palace, no último dia 10.

West Ham vence Hull City e se distancia da zona de rebaixamento da Premier League

"Essa situação que estamos vivendo me deixa desesperado. Eu queria fazer algo publicamente que faria tudo isto que está acontecendo ficar em evidência, para que todos entendam nossa real situação. Não é por qualquer motivo que o estádio está cada vez mais vazio", justificou o revoltado Oxley, ao jornal Hull Daily Mail.

Enquanto a torcida vai aos poucos abandonando o navio naufragado, o empresário tenta de todas as formas se livrar do problela que o Hull City se tornou para sua vida e seu bolso. Desde outubro, ele conversa com investidores asiáticos, mas até agora não conseguiu concluir uma venda.

Os primeiros interessados foram os irmãos magnatas Dai Yongge, um dos homens mais ricos da China, e Xiu Li Hawken, dona de uma gigantesca cadeia de shoppings em Hong Kong. Eles possuem um time na 2ª divisão chinesa, o Beijing Renhe, e estariam interessados agora em assumir uma equipe britânica. Contudo, a negociação não avançou.

Depois, a imprensa inglesa noticiou um suposto acerto com a Greater China Professional Services Limited, companhia chinesa que pagaria 130 milhões de libras (R$ 520 milhões) pelo Hull City. De acordo com a mídia, o negócio chegou a ser até anunciado em 13 de outubro na bolsa de valores de Hong Kong. No entanto, até agora nada foi oficializado, e a equipe segue como propriedade da família Allam.

A última notícia que se tem é que um grupo desconhecido de empresários chineses esteve no estádio do Hull no início de dezembro, durante rodada da Premier League, para, supostamente, negociar a compra do clube (acima, um registro feito por um torcedor da chegada dos asiáticos).

Assita aos gols da vitória do Tottenham sobre o Hul City por 3 a 0!

Eles foram levados ao camarote da presidência, mas assistiram ao jogo sozinhos, já que os Allam não acompanham mais as partidas por receio dos ferozes protestos.

E, enquanto isso, os Tigers seguem se afundando cada vez mais....

Comentários

Conheça o 'time abandonado' da Premier League: dono só quer vender, torcida desistiu

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.