Ódio? Líder da Bundesliga põe ex-Alemanha Oriental no mapa do futebol e vira xodó

André Donke e Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Getty
Torcida do RB Leipzig tem marcado presença na Red Bull Arena
Torcida do RB Leipzig tem marcado presença na Red Bull Arena

Com grande rejeição na Alemanha por ter um perfil que caminha na contramão do futebol local, o RB Leipzig não é odiado por todos. Muito pelo contrário. Ele tem recebido paixão e muito apoio de quem sempre ficou no ostracismo: a antiga Alemanha Oriental.

Embora já tenham se passado 26 anos da reunificação da Alemanha, a diferença entre as duas partes do país são nítidas no futebol. Não à toa, o último time do leste a ter disputado a Bundesliga foi o Energie Cottbus em 2008-09. Até esta temporada.

Com o projeto ambicioso e de alto investimento em jovens talentos, o RB Leipzig aparece como grande sensação do futebol europeu depois de 11 rodadas, sendo que lidera a competição nacional com três pontos de vantagem sobre o Bayern de Munique e é um dos dois times invictos, ao lado do Hoffenheim.

Investindo bastante em nomes poucos conhecidos e aplicando o método de trabalho do diretor esportivo Ralf Ragnick, o Leipzig - fundado em 2009 e que começou na quinta divisão - não só alcançou o topo como também tem apresentado um futebol vistoso, que encanta qualquer fã de futebol. Principalmente os moradores da cidade de cerca de 560 mil habitantes, que tem marcado presença na Red Bull Arena, estádio com capacidade para 42.959 torcedores.

"A torcida é muito legal e tem esgotado todos os ingressos, são 45 mil por jogo. Eles não viam futebol na primeira divisão da Alemanha há muitos anos na cidade, uns 15 anos pelo que me disseram. Todos estão em êxtase e empolgados, eles acolhem o time e só apoiam a gente e fora de campo são bem tranquilos na medida certa. O clube foi aqui praticamente refundado, tudo novo como cores, nome, distintivo, estádio... Aqui tem outros dois clubes na cidade, são tradicionais e tem um certo ódio ao Red Bull. Eles perderam muita torcida ao longo dos anos. Acredito que conseguimos criar uma nova torcida aqui", declarou o volante Bernardo, de 21 anos, que chegou ao clube nesta temporada, em entrevista por telefone ao ESPN.com.br.

Getty
Bernardo foi titular em sete jogos na Bundesliga e sofreu uma lesão
Bernardo foi titular em 7 jogos na Bundesliga

Em quatro dos cinco jogos do líder da Bundesliga, todos os ingressos foram vendidos. Depois de mais de 20 anos sem receber a competição, Leipzig está em polvorosa com o futebol. O último representante local a ter jogado a primeira divisão foi o Lokomotiv Leipzig, que terminou na lanterna em 1993-94. Atualmente, a equipe está no quarto escalão.

Empurrado por sua cidade, o RB Leipzig tenta ser o primeiro time da ex-Alemanha Oriental a conquistar a Bundesliga, fundada em 1963-64. O último campeão nacional do território foi o Dresdner, em 1944, no fim da Segunda Guerra Mundial.

Vale ressaltar que durante a divisão do país a Alemanha comunista teve seu próprio campeonato por quatro décadas. Entre 1948 e 1991, o Berliner FC Dynamo foi o maior vencedor no leste com dez taças. O Chemie Leipzig (1951 e 1964) foi o representante da cidade a ter vencido a competição, que teve como último campeão o Hansa Rostock.

"A gente vê muitas coisas da época comunista, alguns prédios antigos principalmente no centro da cidade. Tem uma arquitetura bem diferente, com tijolos a mostra. A cidade vem atraindo grandes empresas como a Porsche, que tem fábrica por aqui, a DHL tem um aeroporto próprio. Ela está se redesenhando e ainda tem muito para crescer", afirmou Bernardo, que foi contratado por 6 milhões de euros junto ao Red Bull Salzburg e tem atuado na lateral direita. Atualmente, ele se recupera de uma lesão no menisco.

O brasileiro de 21 anos não é o primeiro representante de sua família a atuar na Alemanha. Isso porque seu pai, também meio-campista e chamado Bernardo, defendeu o Bayern de Munique na década de 90.

"A Alemanha mudou muito da época que meu pai jogou para agora, até mesmo a cabeça do povo alemão. Eram mais fechados, estilo de jogo e treino bem militar, o austríaco ainda é assim, mais conservador. O alemão está com a mente mais aberta. Os conselhos do meu pai me ajudaram mais na adaptação para Áustria. Ele pegou um povo muito fechado e treinos diferentes. Aqui foi tranquilo demais para mim, o pessoal é atencioso, e fiquei surpreso", disse.

Nesta sexta-feria, o RB Leipzig não deu chances ao Freiburg e goleou por 4 a 1. A partida válida pela abertura da 12ª rodada da Bundesliga foi disputada no Schwarzwald-Stadion. O clube chegou aos 30 pontos ganhos e abriu seis em relação ao Bayern de Munique, vice-líder.

Assista aos gols da vitória do Leipzig sobre o Bayer Leverkusen por 3 a 2!

Veja o público dos jogos do RB Leipzig em casa nesta Bundesliga:
RB Leipzig 1 x 0 Borussia Dortmund: 42.959 (todos ingressos vendidos)
RB Leipzig 1 x 1 Borussia Mönchengladbach: 42.558 (todos ingressos vendidos)
RB Leipzig 2 x 1 Augsburg: 35.721
RB Leipzig 3 x 1 Werder Bremen: 42.558 (todos ingressos vendidos)
RB Leipzig 3 x 1 Mainz 05: 42558 (todos ingressos vendidos)

Comentários

Ódio? Líder da Bundesliga põe ex-Alemanha Oriental no mapa do futebol e vira xodó

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.