Em jogo de seis gols, reservas do Atlético-MG empatam com o já rebaixado Santa Cruz

Gazeta Press
Assista aos gols do empate por 3 a 3 entre Santa Cruz e Atlético-MG

Ainda que uma equipe estivesse mais preocupada com a final da Copa do Brasil e a outra já rebaixada no Campeonato Brasileiro, Atlético-MG e Santa Cruz fizeram um movimentado jogo na noite deste domingo no Arruda. Com três gols para cada lado, os poucos presentes no estádio viram um empate de 3 a 3.

O Atlético-MG entrou em campo com sua equipe alternativa. O foco é chegar bem na Copa do Brasil, no jogo contra o Grêmio, na quarta-feira, no Mineirão. Por isso, o técnico Marcelo Oliveira mandou seu time reserva a campo - somente Fred dos titulares. Já o Santa Cruz, embora já rebaixado, deseja terminar o torneio nacional com dignidade.

O confronto foi intenso. O Atlético, mesmo com os reservas, tinha uma ideia de jogo de segurar a bola e mandar na partida. Os donos da casa aceitavam a situação, mas respondiam sempre com contra-ataques rápidos, sempre puxados por Keno - atacante que fez uma ótima partida.

O Atlético agora volta para Belo Horizonte e se prepara para a primeira partida das finais da Copa do Brasil, contra o Grêmio, em duelo na próxima quarta-feira, no Mineirão. O Santa Cruz recebe o próprio tricolor gaúcho no domingo, pelo Brasileirão.

Primeiro tempo

O Atlético-MG não deu tempo para o Santa Cruz pensar. O time da casa chegou contra a meta preto e branca logo nos primeiros minutos e depois a equipe alvinegra já buscou o ataque. Pela direita, na sua tentativa, o Atlético-MG conseguiu aproveitar o vacilo da zaga que deixou dois atleticanos sozinho. A bola sobrou para Fred, que não perdoou e inaugurou o placar no Arruda.

E mesmo com o gol, o Atlético seguia pressionando. O time alvinegro passou a ocupar mais os espaços no campo de defesa adversária e chegava com perigo. Dois minutos após o tento, o time teve mais duas chances, uma mal cruzada para Fred, a outra parada com falta feita pelo centroavante.

O Santa tentou dar uma resposta aos 10 minutos, mas a zaga atleticana foi mais atenta e conseguiu tirar a redonda com facilidade. No lance seguinte, porém, não foi assim: no cruzamento na área, o lateral-esquerdo Leonan foi com os braços abertos e tocou na bola. O bandeira dedurou e o árbitro foi na dele. Na cobrança, aos 13, Grafite bateu forte, no canto direito do goleiro Giovanni, para dar igualdade.

Mesmo com o empate, o Atlético-MG tinha mais a posse de bola, ficava mais com a redonda e sofria poucos riscos. Embora jogasse com o time reserva, o alvinegro entrou com o mesmo esquema que joga normalmente: 4-2-3-1 e tinha qualidade no passe.

Aos 19, Keno fez ótimo lançamento para Artur. Ele conseguiu dominar a bola, frente a frente com Giovanni, mas a zaga chegou abafando e ficou com a redonda. Depois dessa jogada, o Santa passou a ter mais o domínio da partida. Aos 23, Artur cruzou pela direita e encontrou Grafite na pequena área. Ele subiu, mas desviou mal e a bola foi para fora. Aos 25, os donos da casa voltaram a chegar com perigo. Em contra-ataque, Keno deixou a bola para Artur, que bateu forte e o arqueiro preto e branco fez a defesa.

As chegadas do Santa Cruz mostravam que a equipe investia nos contra-ataques. O Atlético-MG fazia o possível para manter a posse de bola no ataque, mas quando perdia e via a velocidade do clube pernambucano. O Santa Cruz ainda aproveitava a inexperiência do lateral-esquerdo Leonan e trabalhava naquele lado.

Aos 29, o Atlético-MG respondeu. A equipe alvinegra chegou trocando passes, virando a bola de um lado para o outro, trabalhando com tranquilidade. A redonda chegou em Marcos Rocha, que buscou Fred na área. Ele deixou Carlos Eduardo em boas condições, mas a bola subiu demais.

Aos 30, Keno foi autor de uma pintura no Arruda. Na resposta ao ataque atleticano, o jogador recebeu fora da área, chutou no ângulo, sem chances para Giovanni e virou o placar para o Santa Cruz.

O gol deixou o Atlético-MG assustado e desorganizado. A equipe que trocava passes para chegar até a defesa adversária já não contava com essa qualidade. O Santa Cruz seguiu utilizando a ala direita para chegar ao ataque.

Segundo tempo

O Atlético-MG voltou novamente buscando segurar a bola. A equipe trocava passes para tentar alcançar a defesa do Santa Cruz. A primeira chegada alvinegra aconteceu aos 4 minutos. Antes disso, o time preto e branco ficou virando a bola de um lado para o outro.

Aos 6, Giovanni evitou mais um gol de Keno. Depois de erro do lateral Leonan, o arqueiro preto e branco conseguiu fazer a defesa.

E o Atlético buscou o empate. Aos 9, Clayton recebeu bom lançamento, dominou no peito, mas não conseguiu evitar que a zaga chegasse antes do chute. Ele, porém, finalizou muito bem, sem chances para os zagueiros e deu ao seu time a igualdade.

O jogo seguia da mesma maneira. O Atlético-MG valorizando a bola e o Santa ainda com a expectativa de encontrar os contra-ataques. E foi assim que o time da casa pulou novamente para a vantagem no marcador. Com cruzamento de Keno, pela esquerda, Vitor apareceu sozinho na área e marcou mais um.

Gazeta Press
Atlético-MG e Santa Cruz ficaram no empate neste domingo no Arruda
Atlético-MG e Santa Cruz ficaram no empate 

Para buscar o resultado, Marcelo adiantou suas linhas de marcação e a presença dos volantes eram mais constantes no ataque. Isso, porém, sobrecarregava o setor defensivo, que sofria com os contra-ataques em sua maioria puxados por Keno.

A confusão na metade do segundo tempo atrapalhou ainda mais a vida atleticana. Cazares puxou o contra-ataque e foi parado com falta. Irritado, o meia tentou agredir o adversário e levou o vermelho direto. O volante do Santa Cruz também foi advertido e deixou a partida. O Atlético, no entanto, perdeu a figura do armador. O clube da casa rapidamente recompôs mandando Danilo Pires para a partida.

Entre os 31 e 33 minutos, Giovanni fez duas defesas consecutivas, atrapalhando os planos do Santa Cruz em aumentar a contagem. Na primeira, Keno driblou Jesiel e ficou na cara com o goleiro, mas finalizou mal. A segunda, Danilo Pires, de fora da área, mandou bem e o arqueiro preto e branco defendeu.

A resposta atleticana chegou do banco de reservas. O atacante Hyuri, que tinha acabado de entrar, recebeu passe de Fred, e na cara do goleiro adversário, empatou o jogo no Arruda.

FICHA TÉCNICA:
SANTA CRUZ 3 X 3 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Arruda, em Recife (PE)
Data: 20 de novembro de 2016 (Domingo)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (RJ) e Dibert Pedrosa Moises (RJ)
Cartões Amarelos: Neris, Jadson (Santa Cruz)
Cartões Vermelhos: Cazares (Atlético); Jadson (Santa Cruz)
Gols: ATLÉTICO-MG - Fred, aos cinco minutos do primeiro tempo; Clayton, aos nove, e Hyuri, aos 34 minutos do segundo tempo/SANTA CRUZ - Grafite, aos 13, Keno, aos 30 do primeiro tempo. Vitor, aos 13 do segundo tempo

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor (Danilo Pires), Neris, Danny Morais e Roberto; João Paulo, Jadson , Léo Moura e Artur (Marion); Keno e Grafite (Mazinho). Técnico: Adriano Teixeira

ATLÉTICO-MG: Giovanni; Marcos Rocha (Alex Silva), Jesiel, Edcarlos, Leonan, Rafael Carioca, Lucas Cândido, Carlos Eduardo (Hyuri), Clayton, Cazares e Fred. Técnico: Marcelo Oliveira

Comentários

Em jogo de seis gols, reservas do Atlético-MG empatam com o já rebaixado Santa Cruz

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.