Brasil x Argentina: tudo o que você precisa saber sobre uma histórica rivalidade

ESPN.com.br*
Getty
Neymar e Messi, rivais hoje em Brasil x Argentina, em escultura de areia no Rio
Neymar e Messi, rivais hoje em Brasil x Argentina, em escultura de areia no Rio

Brasil e Argentina conquistaram tudo no futebol mundial e criaram alguns dos maiores jogadores que o esporte já viu. Assim, quando os rivais se encontram, a expectativa é de um duelo inflamável e inesquecível.

Abaixo, o que você precisa saber do superclássico, além do fato de que os companheiros de Barcelona, Neymar e Messi, estarão em lados opostos na noite desta quinta-feira no Mineirão.

  • Confronto direto

Argentina e Brasil duelaram pela primeira vez há mais de um século, em um amistoso em 1914, em Buenos Aires. Os argentinos venceram por 3 a 0 e, mesmo saindo na frente, o confronto direto permanece apertado desde então. Hoje, o Brasil lidera com 39 vitórias, contra 37 vitórias da Argentina e 26 empates, contando apenas os jogos oficiais pela Fifa. Nos gols marcados, o equilíbrio é ainda mais expressivo: 159 para cada lado.

Na história, muitos outros clássicos não são considerados pela Fifa por inúmeras razões, por exemplo, Brasil ou Argentina mandaram a campo um time representando a seleção. Assim, os números exatos dependem de quem faz a conta. Se for levado em consideração apenas as partidas contadas como oficiais pelos dois países, adicionando os duelos validados pela Fifa, a vantagem é da Argentina, com 41 vitórias, 40 derrotas e 26 empates. Os rivais também aparecem à frente nos gols-pró: 175 a 167.

De qualquer forma, independentemente da matemática, uma coisa é certa: o duelo é dos mais apertados.

ESPN.com.br/infogr.am
confronto direto brasil x argentina

 

  • Filpo Núñes, o argentino que foi técnico do Brasil
Gazeta Press
Filpo Nuñes, técnico argentino, então no Palmeiras, durante treino em 1969
Filpo Nuñes, técnico argentino, então no Palmeiras, durante treino em 1969

A Argentina nunca foi comandada por um brasileiro, mas o Brasil, sim, teve um argentino como técnico. Filpo Nuñes se aposentou como jogador aos 28 anos, em 1948, e começou a trabalhar como treinador no Independiente Rivadavia. Depois, peregrinou por países como Chile, Peru, Venezuela e Equador antes de assumir o Cruzeiro em 1955. Passou por um enorme número de times brasileiros nos anos seguintes, com destaque para o Palmeiras, entre 1964 e1965, e seus duelos com o Santos de Pelé. Em sua primeira partida à frente do time alviverde, Nuñes viu a equipe bater o Santos por 3 a 2, e o Palmeiras se sagraria campeão do Torneio Rio-São Paulo.

Melhor time do país, o Palmeiras foi escolhido pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos, predecessora da CBF) para representar o Brasil em um amistoso contra o Uruguai, no dia 7 de setembro de 1965. A vitória por 3 a 0 representou o primeiro – e, até hoje, único – jogo em que a seleção brasileira teve um estrangeiro como treinador. Um argentino, no caso.

 

  • Maradona contra o Brasil
Getty
Maradona é marcado por Dunga em Brasil x Argentina na final da Copa América de 1989, no Rio de Janeiro
Maradona é marcado por Dunga em Brasil x Argentina na Copa América de 1989, no Rio

As duas seleções produziram, provavelmente, mais candidatos ao título de melhor jogador de todos os tempos do que qualquer uma, e o mais frequente nome argentino na lista é Diego Maradona.

Contra o Brasil, no entanto, ele não teve tantos momentos de diversão: nas seis partidas em que enfrentou os rivais, Maradona marcou apenas uma vez (no Mundialito de 1981, no Uruguai) e tem como retrospecto uma vitória, dois empates e três derrotas. Em Copas do Mundo, uma vitória, eliminando o Brasil em 1990, e uma derrota, sendo expulso em 1982.

 

  • Pelé contra a Argentina
Getty
Pelé é tietado por jovens com a camisa da Argentina na Copa do Mundo de 2014
Pelé é tietado por jovens com a camisa da Argentina na Copa do Mundo de 2014

Pelé jogou na era em que as duas nações se enfrentavam com mais frequência (e, claro, sem as ausências forçadas como as questões de drogas de Maradona) e, certamente, em uma época em que as goleadas eram mais frequentes. Em 10 jogos contra a Argentina, o “Rei do futebol” marcou 8 vezes, incluindo um “hat trick” na vitória por 5 a 2 na Copa Roca, em 1963. Ecoando a marca histórica de equilíbrio, Pelé não conseguiu ajudar o Brasil a abrir vantagem no confronto direto: foram quatro vitórias, dois empates e quatro derrotas contra a Argentina. Ao contrário de Maradona, Pelé nunca enfrentou os arquirrivais em uma Copa do Mundo.

  • Sala de troféus

São duas das seleções mais vencedoras do planeta. Desde o ouro do Brasil nos Jogos do Rio-2016, são, ao lado da França, os únicos países a conquistar a Copa do Mundo, a Copa das Confederações e a Olimpíada. Em competições “adultas”, não contabilizando a Olimpíada, a sala de troféus está recheada – e empatada -, com 19 taças para cada lado.

Claro, o Brasil venceu cinco Copas do Mundo contra duas da Argentina. No entanto, no continente, a conta se inverte, com os argentinos comemorando 14 títulos da Copa América diante de 8 títulos brasileiros (o maior vencedor é o Uruguai, com 15). O Brasil tem duas taças do Campeonato Pan-Americano de Futebol, e a Argentina tem uma (foram apenas três edições). Na Copa das Confederações, são cinco títulos para o Brasil e um para a Argentina, que conquistou o Troféu Artemio Franchi, um dos predecessores da Copa das Confederações, em uma oportunidade.

ESPN.com.br/infogr.am
Títulos notáveis Brasil x Argentina

 

  • Messi versus Neymar
Reprodução/Olé
Neymar Messi Olé
Capa do jornal argentino 'Olé' desafia Neymar e Messi: 'Camisa 10 só tem um'

Amigos inseparáveis de gols e assistências no Barcelona, Lionel Messi e Neymar estarão em lados opostos. Messi, claro, leva vantagem nas estatísticas por estar a mais tempo na ativa, mas, de qualquer forma, a comparação continua divertida. Em 114 jogos pelo seu país, o argentino marcou 56 gols, superando Gabriel Batistuta como o maior goleador da seleção no começo deste ano, enquanto comemora seu 500º gol com a camisa do Barcelona, contando jogos oficiais e não oficiais.

Neymar está na quarta posição entre os maiores artilheiros da seleção brasileira, com 49 gols em 73 partidas como profissional, ficando a 28 tentos da marca de Pelé, o recordista. Enquanto ele não tem a impressionante média de gols por jogo de Messi, seu papel como líder do Brasil só cresceu nos últimos anos, culminando com a conquista inédita da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Em comum, nenhum deles conquistou um título de grande expressão como profissionais. Por outro lado, ambos têm medalhas de ouro olímpicas no currículo, e Messi ainda foi campeão da Copa do Mundo sub-20 em 2005.

- 4 jogos em Copas do Mundo, e o Brasil lidera o confronto direto com 2 vitórias, contra 1 empate e 1 derrota. A Argentina levou a melhor no último encontro, eliminando o rival nas oitavas de final da Copa de 1990. - 7 partidas em eliminatórias para a Copa do Mundo, e o Brasil lidera com 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. A seleção brasileira está invicta nos últimos 4 confrontos: 2 vitórias e 2 empates.

 

  • Bauza versus Tite
Gazeta Press
Tite e Edgardo Bauza, antes de Corinthians x São Paulo, pelo Paulista de 2016
Tite e Edgardo Bauza, antes de Corinthians x São Paulo, pelo Paulista de 2016

Para ambos, o clássico será o maior teste deles até agora: Edgardo Bauza e Tite assumiram o comando de Argentina e Brasil, respectivamente, há apenas quatro jogos das eliminatórias, e eles saíram de maneiras opostas. Tite vem de quatro vitórias consecutivas, e o Brasil parece ter recuperado de vez a sua confiança. A vitória sobre o Uruguai na estreia de Bauza foi animadora, mas a Argentina empatou com Venezuela e Peru antes de ser derrotada por 1 a 0 em casa pelo Paraguai na última rodada.

Antes de chegar à seleção, Bauza conquistou duas vezes a Liga do Equador, além de duas Copas Libertadores, com LDU e San Lorenzo, e uma Recopa Sul-Americana. Ele também tem em seu currículo o fato de ser o único treinador na história a levar quatro times diferentes às semifinais da Libertadores. Tite tem um título da Copa Brasil (com Grêmio) e uma Copa Sul-Americana (com Inter), além de uma série de conquistas estaduais. No entanto, suas duas passagens à frente do Corinthians foram as mais vitoriosas: dois Campeonatos Brasileiros, uma Libertadores, uma Recopa Sul-Americana e um Mundial de Clubes.

No confronto direto, eles se encontraram apenas uma vez, no Campeonato Paulista deste ano, quando o Corinthians de Tite venceu o São Paulo de Bauza por 2 a 0.

 

  • Duelo de torcidas

Se há algo que o futebol sul-americano é conhecido além da qualidade no gramado (e, vamos admitir, algumas vezes, a violência) é a atmosfera nas arquibancadas.

Quando o Brasil foi sede da Copa do Mundo de 2014, se tornou mundialmente conhecido um canto da torcida argentina, que invadiu o país vizinho, adaptando a música “Bad Moon Rising”, da banda Creedence Clearwater Revival, para a grudenta canção “Brasil decime que siente. Tener en casa a tu papá”, em referência à superioridade histórica sobre os brasileiros (claro, contando todos os confrontos).

Depois de a Argentina ser derrotada na final da Copa pela Alemanha, os torcedores brasileiros adaptaram a canção para “Argentina me diz como se sente. Ver de longe cinco estrelas a brilhar”, lembrando os vizinhos de quantas Copas do Mundo o Brasil tem em sua história.

 

  • A vitória mais famosa da Argentina

Nenhuma prévia de Brasil x Argentina seria completa se não mencionar a controversa partida na Copa do Mundo de 1990. O Brasil dominou o jogo, criou mais chances e cuidou brutalmente de Maradona. O craque argentino, no entanto, achou espaço e, em um de seus lampejos de genialidade, deixou pelo menos três brasileiros para trás e deu um passe açucarado para Claudio Caniggia “matar” o jogo. Anos depois, Maradona confirmou na TV argentina que a reclamação do lateral Branco, que bebeu água com calmante vinda dos rivais, era, de fato, verdadeira.

A Argentina é dona da maior goleada da série, 6 a 1, em 1940. Do lado do Brasil, a vitória mais contundente foi o 6 a 2 em 1945 (outras goleadas por quatro gols de diferença aconteceram, mas a seleção brasileira marcou seis vezes apenas essa vez).

Sorín relembra título mundial sub-20 contra o Brasil jogando como zagueiro: 'Sabor especial'

 

  • A vitória mais famosa do Brasil

Oito anos antes, o Brasil conquistou aquela que é, provavelmente, a vitória mais memorável contra a Argentina na segunda fase da Copa do Mundo de 1982. Quando os rivais se encontraram em Barcelona, a Argentina já havia perdido para a Itália, então, uma vitória sobre o Brasil poderia dar esperança de se classificar e ainda eliminar o vizinho. A resposta do time de Telê Santana, no entanto, se eternizou na história.

A violenta cobrança de falta de Eder encontrou o travessão, e Zico, livre, abriu o placar aos 11 minutos. No segundo tempo, uma troca de passes encantadora fez com que Falcão cruzasse na cabeça de Serginho, que fez o segundo. Zico, com um passe espetacular, “deu” o terceiro gol para Junior. Maradona seria expulso, e Ramon Diaz ainda anotaria o “gol de honra”, mas era tarde, tarde demais para a Argentina.

*Com ESPFC.com

Comentários

Brasil x Argentina: tudo o que você precisa saber sobre uma histórica rivalidade

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.