Diego Alves abre o jogo sobre Barcelona, seleção e revela: 'Não gosto de pênaltis'

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
À la Taffarel, Diego Alves brilha e defende dois pênaltis contra Atlético de Madri

A principal característica que faz Diego Alves se destacar no futebol europeu é exatamente algo o qual ele não gosta muito: pênaltis. O goleiro do Valencia, que se tornou o maior defensor deste tipo de cobrança da história do Campeonato Espanhol, chegou a ser especulado no Barcelona na última janela de transferências e recebeu contato da CBF para disputa dos Jogos Olímpicos logo após a contusão de Fernando Prass.

"Eu não gosto de pênalti. É uma situação muito difícil, envolve nervosismo e pode tomar um gol. Eu particularmente não gosto, mas estou sempre preparado para defender", disse o goleiro do Valencia, ao ESPN.com.br.

O jogador de 31 anos defendeu duas penalidades na derrota por 2 a 0 contra o Atlético de Madri, na última partida de sua equipe. Na Liga Espanhola, ele parou 19 das 41 cobranças contra ele. No futebol espanhol em geral, o jogador soma 22 defesas em 45 cobranças. Ele sofreu gols em 21 vezes.

Revelado nas categorias de base do Botafogo-SP, Diego foi em 2004 aos juniores do Atlético-MG e logo subiu aos profissionais. Depois de três anos em Belo Horizonte, ele foi comprado pelo Almería, da Espanha. Em 2011 foi para o Valencia, clube que está há seis temporadas. Pela seleção brasileira principal foram nove convocações.

Diego Alves explica sua tática para pegar pênaltis e agradece Zetti: 'Aprendi muito com você'

Veja a entrevista na íntegra com o goleiro brasileiro.

ESPN - O que significa para você ser o goleiro que mais pegou pênaltis na história do Campeonato Espanhol?
Diego Alves - Nunca foi uma coisa que busquei, aconteceu naturalmente. Eu não dou muita importância por que seja um recorde, eu acredito mais no trabalho completo que envolve um goleiro. Ao mesmo tempo fico muito feliz de atingir essa marca. É uma característica minha desde cedo, sempre tive facilidade para pegar pênaltis.

ESPN - Quais os segredos para defender tantos pênaltis? Você estuda muito os batedores?
Diego Alves -
Não existe um treinamento especifico para isso. Para defender um pênalti envolve várias características como técnica, jeito de defender, reflexo agilidade e até mesmo intuição. O pênalti não envolve uma única coisa, mas um conjunto. Eu trato como uma guerra psicológica entre o goleiro o batedor. Você precisa mais ou menos prever o que o outro irá fazer.

ESPN - De todos os pênaltis defendidos, tem algum que foi mais especial? Você já pegou de Cristiano Ronaldo, Messi e Griezmann.
Diego Alves -
Contra esses jogadores fica muito mais em evidência pela categoria deles, mas dou a mesma importância para os outros. Todos foram importantes e espero aumentar ainda mais esses números. Mas eu não gosto de pênalti, eu não busco o pênalti. É uma situação muito difícil, envolve nervosismo e pode tomar um gol. Eu particularmente não gosto, mas estou sempre preparado para defender.

ESPN - Qual o momento mais marcante com a camisa do Valencia
Diego Alves -
Há dois anos conseguimos a vaga para Uefa Champions League. Foi marcante, quebramos recordes do clube com número de vitórias e pênaltis defendidos. Deu tudo certo, mas foi uma pena que me machuquei no final da temporada. Quando você enfrenta Real Madrid e Barcelona fica sempre marcado porque é muito difícil competir com eles. Na temporada passada no Camp Nou eu estava voltando de lesão e fui muito bem.

ESPN - O Barcelona foi atrás de você nesta última janela de transferências?
Diego Alves -
No mercado sempre tem muitos rumores e notícias. Dois jogadores do nosso time foram contratados pelo Barcelona (André Gomes e Paco Alcácer), eu acho que teve algum tipo de conversa. Mas nada sério e real, eu sabia muito pela imprensa. Houve alguns contatos, mas tinha claro que seria muito difícil eu sair porque tenho contrato até 2019. Se a gente liga muito para esse rumor acaba não vivendo. A partir do momento que fechou a janela eu fiquei 100% concentrado e com foco aqui para fazer meu trabalho.

Por que Diego Alves não está na seleção? Goleiro diz que vai esperar oportunidade

ESPN - Antes do Weverton ser chamado para a Olimpíada, o técnico Rogério Micale entrou em contato contigo?
Diego Alves - Houve um contato rápido com a CBF porque era uma situação de emergência. Eu estava em pré-temporada e acabaram preferindo o Weverton. Com certeza acertaram na escolha porque conseguiram a medalha de ouro. Tudo certo. Claro, quando você tem esse contato cria uma expectativa, mas o Brasil foi bem representado.

ESPN - O Valencia te liberou para a disputa dos Jogos Olímpicos?
Diego Alves - Não sei se tentaram minha liberação com o Valencia, mas tive um contato com CBF, nada mais do que isso.

ESPN - Você tem esse sonho de voltar para a seleção?
Diego Alves - O trabalho é sempre feito para eu poder melhorar e voltar para a seleção. O Tite tem várias opções boas e pode escolher os jogadores que quer levar. Ele me conhece porque foi meu treinador no Atlético-MG. Vou continuar trabalhando em busca desse objetivo.

Comentários

Diego Alves abre o jogo sobre Barcelona, seleção e revela: 'Não gosto de pênaltis'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.