Artilheiro da Série B começou na Europa em time de zagueiro bancário e atacante policial

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Divulgação
Felipe Garcia tem 12 gols no Campeonato Brasileiro da Série B
Felipe Garcia tem 12 gols no Campeonato Brasileiro da Série B

O meia Felipe Garcia é o grande nome da campanha do Brasil de Pelotas, terceiro colocado na Série B do Campeonato Brasileiro. Com 12 gols, ele é o artilheiro do torneio ao lado de Nenê, do Vasco. A primeira equipe que o jogador atuou como profissional foi o Naestved, da segunda divisão da Dinamarca, aos 18 anos.

Após fazer quase toda a categoria de base no RS Futebol Clube e passar pelo São José-RS, o gaúcho de Porto Alegre recebeu o convite para a aventura em solo europeu.

"Um coordenador da base do Flamengo na época me disse que poderia me dar bem na Dinamarca pelo meu estilo de jogo e pela minha estatura. Eu achei legal e fui. Era uma coisa nova e nunca tinha tido essa proposta. Foi uma experiência incrível", contou, ao ESPN.com.br.

"Quando cheguei não sabia falar nem inglês. O treinador me cobrava muito a questão da cultura para me adaptar o mais rápido possível. Fui evoluindo bem e aprendi. Na maior parte do tempo fiquei sozinho e tive que me virar lá. Por causa disso, eu me virei bem".

Mesmo assim, ele estranhou alguns hábitos diferentes dos habitantes locais. Com o passar do tempo, porém, se encantou com a educação e desenvolvimento do local.

Arquivo Pessoal
Felipe em ação pelo Naestved
Felipe em ação pelo Naestved

"É um país onde tudo dá certo e funciona bem. Um dos melhores do mundo. O treinador me obrigava a fazer refeição com pão preto e peixe. A gente gostava de arroz ou massa no almoço. Tinha que explicar que precisava voltar para comer comida mesmo (risos)".

Pouco tempo depois de chegar, ele casou e levou a esposa para morar por lá e ficava com menos saudades de casa.

"Muitas vezes, eu levava uma marmita para o treino com a comida brasileira. Eu gosto muito de frio, mas sentia muito porque era neve e temperatura abaixo de zero".

Como Naestved era uma equipe semiprofissional, alguns jogadores trabalhavam em outras atividades.

"Nosso zagueiro era bancário e me ajudava com essas questões desde o dia em que cheguei por lá. O cara trabalhava no patrocinador do time que era o banco (risos). Já o centroavante era policial. Típico dinamarquês, camisa 9 meio grosso e forte pra caramba. Só empurrava para as redes mesmo (risos). A convivência com o pessoal era muito bacana".

Veja os gols da vitória por 2 a 1 do Brasil de Pelotas sobre o Goiás

RECOMEÇO NA 3ª DIVISÃO

Depois de três anos na Dinamarca, ele resolveu retornar ao Brasil e recomeçar na terceira divisão gaúcha com o Aimoré. Depois, passou por Santo Ângelo e Pelotas. Em 2014, ele foi para o maior rival: o Brasil.

"Como sou profissional ao extremo, dentro da cidade só tive coisas boas. Mesmo tendo enfrentado o  Brasil várias vezes em clássicos disputados, a torcida me acolheu da melhor forma possível".

Desde então, ele participou da incrível ascensão do Brasil que começou na segunda estadual até o G-4 da Série B.

Jonathan Silva / G.E. Brasil
Felipe Garcia tem 12 gols no Campeonato Brasileiro da Série B
Brasil faz ótima Série B

"Eu não estava no acesso do estadual, mas foi o que gerou toda essa arrancada. Todos crescemos juntos, têm jogadores aqui com mais de cinco anos de clube. Eles criaram uma identificação muito grande".

Outro aspecto que encanta Felipe é a fanática torcida xavante, sempre com bons públicos no estádio Bento de Freitas. "Isso nos empurra o tempo todo. Eles vão mesmo quando jogamos fora. Isso é bacana demais".

Aos 25 anos e com atuações de destaque, o meia ainda não pensa em deixar o Brasil de Pelotas, apesar das especulações que colocaram o jogador na mira de Grêmio, Santos e América-MG.

"Para mim ainda não chegou nada. Se chegar tem que ser com o presidente do Brasil que é meu empregador e paga meu salário. Eu estou focado na permanência na Série B e quem sabe conseguir esse acesso. É um torneio de alto nível com equipes muito boas. Depois veremos o que fazer".

Assista aos gols da vitória do Brasil de Pelotas sobre o Bragantino por 2 a 0!

O próximo desafio da equipe xavante, que tem 40 pontos ganhos, será contra o Luverdense no estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde-MT, nesta terça-feira, às 21h30.

FICHA TÉCNICA
LUVERDENSE X BRASIL-RS

Local: Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT)
Data: 13 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 21h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Antonio Dib Moraes de Sousa (PI)
Assistentes: Rogério de Oliveira Braga e Francisco Nurisman Machado Gaspar (ambos PI)

LUVERDENSE: Diogo Silva; Raul Prata, Everton, Luiz Otávio e Paulinho; Jean Patrick, Ricardo, Sergio Mota, Rafael Silva e Diego Sodré (Alfredo); Hugo.
Técnico: Junior Rocha

BRASIL: Eduardo Martini; Weldinho, Leandro Camilo, Cirilo e Marlon; Leandro Leite, Washington, Diogo Oliveira e Elias; Felipe Garcia e Ramon.
Técnico: Rogério Zimmermann

Comentários

Artilheiro da Série B começou na Europa em time de zagueiro bancário e atacante policial

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.