Arenas olímpicas: o que será feito com elas?

Antônio Strini, do Rio de Janeiro (RJ), do ESPN.com.br
E agora? Eles moram em Deodoro e querem saber qual será o legado da Rio 2016 para o bairro

Foram gastos quase R$ 7,1 bilhões para a construção de todas as arenas dos Jogos do Rio de Janeiro. Um novo "bairro" surgiu na Barra com a chegada do Parque Olímpico, e a área militar de Deodoro terá espaço para a juventude, tudo na tentativa de haver um legado esportivo dentro da cidade-sede.

No período, porém, também aconteceu uma construção polêmica para o golfe (esporte que retornou ao programa após 112 anos) e o fim da Vila Autódromo, que forçou a saída de centenas de famílias residentes havia 30 anos.

Agora, ao fim da Olimpíada, o será de cada complexo esportivo?

O ESPN.com.br mostra como governos, confederações e iniciativa privada pretendem utilizar os espaços - que de manutenção vão custar R$ 59 milhões por ano.

PARQUE OLÍMPICO

Getty
Parque Olímpico da Barra
Parque Olímpico da Barra foi a principal construção para os Jogos do Rio

Com sete palcos esportivos recém-construídos - Arenas Carioca 1, 2 e 3; Velódromo; Estádio Aquático; Centro de Tênis; e Arena do Futuro - além dos já existentes Parque Aquático Maria Lenk e HSBC Arena, o Parque Olímpico foi a principal obra dos Jogos do Rio.

Os locais serão utilizados por escolas e esportes de alto rendimento, receberão competições e ainda terá a construção de uma pista de atletismo e duas quadras de vôlei de praia.

A Arena do Futuro será desmontada e transformada em quatro escolas que receberão até 500 alunos cada uma, e o Estádio Aquático será dividido em dois centros (ambos com piscina olímpica de 50m e arquibancadas para 6 mil e 3 mil espectadores).

COMPLEXO DE DEODORO

Getty
Complexo Esportivo de Deodoro
Complexo Esportivo de Deodoro fica em área militar

Arena da Juventude (para esportes radicais), Circuito de Canoagem Slalom e Pista de BMX vão se juntar ao Centro de Tiro, Centro Aquático e Centro de Hipismo como estruturas permanentes do Complexo de Deodoro. As três últimas, além da Arena da Juventude, seguirão sob responsabilidade do Exército Brasileiro; as outras ficarão com a prefeitura e serão abertas à população.

ARENA VÔLEI DE PRAIA

Getty
Arena do vôlei de praia em Copacabana
Arena do vôlei de praia em Copacabana será desmontada após os Jogos

Palco do ouro de Alison e Bruno Schmidt, a arena em Copacabana será desmontada, assim como o estádio de pentatlo moderno em Deodoro, as instalações no Forte de Copacabana, o centro de mountain bike e o pavilhão 2 do Riocentro.

ESTÁDIO OLÍMPICO E MARACANÃ

Getty
Estádio Olímpico do Engenhão
Estádio Olímpico do Engenhão foi palco do atletismo nos Jogos

Após um problema estrutural no teto - que o interditou por quase dois anos -, o Engenhão finalmente vai retornar à administração do Botafogo. O mesmo vai acontecer com o Maracanã, palco de Copa do Mundo e agora dos Jogos, que agora voltará a ser o palco dos grandes jogos no Rio de Janeiro após reformas que chegaram a quase R$ 1,5 bilhão.

CAMPO OLÍMPICO DE GOLFE

Getty
Campo Olímpico de golfe
Campo Olímpico de golfe

Construção mais controversa para a Olimpíada - mesmo com outros campos disponíveis, o campo demorou a receber licenças ambientais para ser erguido na área de proteção ambiental de Marapendi. O local será aberto ao público após os Jogos.

Comentários

Arenas olímpicas: o que será feito com elas?

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.