Substituto de Prass ganhava chuteiras de volante do Palmeiras: 'Pé de pobre não tem tamanho'

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Há um ano sem jogar, Jaílson diz que 'deu conta do recado' e revela conversa com Prass no vestiário

Jailson ganhou a vaga de Vagner como reserva imediato de Fernando Prass. Foi ele o escolhido pelo técnico Cuca para ser titular do gol do Palmeiras neste domingo, no triunfo por 2 a 1 sobre o Vitória no Allianz Parque. O atleta de 35 anos foi contratado em 2014 depois de uma passagem pelo Ceará. Mas a relação com o clube paulista começou bem antes disso.

O volante Wendel lembra desta história. Ele é amigo de Jailson desde os tempos em que os dois atuaram juntos na base do Joseense-SP e procurou ajudar bastante o goleiro na época em que era ele quem estava no Palestra.

"Quando atuávamos contra, por causa da nossa amizade, ele sempre me pedia uma chuteira", contou o volante, que foi jogador do Palmeiras por mais de uma década e atualmente está sem clube, ao ESPN.com.br. "Como ele jogava em times menores, não tinha patrocínio de calçado e eu no Palmeiras recebia muitas chuteiras e dava umas para ele."

Para sorte do arqueiro, ambos usavam o mesmo número de calçado. "Ele sempre brincava comigo que pé de pobre não tem tamanho, vai do 38 ao 43 (risos). Dizia que se ficasse grande, colocaria dois meiões e uma atadura. Se fosse pequena, tirava a palmilha", recordou o volante.

Veja os gols da vitória do Palmeiras sobre o Vitória por 2 a 1

Os dois atuaram juntos pela equipe do Vale do Paraíba na Copa São Paulo de futebol júnior de 2002, quando o goleiro fez um gol de pênalti na vitória por 4 a 1 diante do Rio Negro-AM. Depois disso, Wendel passou pelo Juventus-SP antes de chegar ao Palestra Itália.

A carreira de Jailson deu muitas voltas: rodou por Campinense, São José, Ituano Guaratinguetá, Juventude, Oeste e Ceará, antes de chegar ao Palmeiras por indicação de Oscar Rodriguez, preparador de goleiros alviverde.

"Foi um reencontro muito bacana, se um profeta falasse que 13 anos depois iríamos nos rever no Palmeiras seria difícil de acreditar (risos). É uma coisa quase sobrenatural mesmo. Nós fizemos muito esforço e passamos aperto, mas nunca desistimos".

Wendel deu apenas um empurrãozinho ao arqueiro na adaptação ao time paulista, pois Jailson não é nada tímido. "Tem muita qualidade e técnica e interage com o grupo. Ele já chegou conversando muito e orientando os zagueiros. É um cara de muita personalidade, em pouco tempo estava em casa e brincando com os companheiros porque é muito alegre", garantiu o volante.

Zé Elias elogia Jaílson e fala sobre oscilações do Palmeiras: 'É normal de um time em formação'

"Eu me lembro de uma das primeiras coisas que eu disse para ele quando chegou: 'Jailson, eu sempre arrumava um par de chuteiras para você. Aqui no Palmeiras, fique tranquilo porque agora você vai ganhar à vontade. Vai ter mais pé do que centopéia (risos)".

Comentários

Substituto de Prass ganhava chuteiras de volante do Palmeiras: 'Pé de pobre não tem tamanho'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.