'Tiozão' do Santos, goleiro fez bico de dois anos em lan house e quase largou a bola

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Ale Vianna/C.A.Juventus
Preto fez apenas amistosos com a camisa do Santos
Goleiro Preto fez apenas amistosos com a camisa do Santos B desde 2015

Aos 30 anos, goleiro Preto, o jogador mais velho do elenco do Santos para a disputa da Copa Paulista deste ano, passou por poucas e boas antes de chegar à uma grande equipe do Brasil. Depois de rodar por times pequenos, ele chegou até mesmo a abandonar a carreira por cerca de dois anos e meio. Estava desiludido com o futebol.

"Eu passei por um momento difícil. Meu ex-preparador de goleiros morreu dentro de campo, eu não estava mais no Catuense-BA, mas eu fiquei muito triste, era um cara que era como um pai para mim. Bateu um desânimo porque só jogava em clubes menores e também não recebia, ficava rodando o tempo todo", contou o arqueiro, ao ESPN.com.br.

"Larguei a carreira e fui tomar conta da lan house do meu irmão em Salvador. Tinha que cadastrar os usuários e não queria saber de futebol de jeito nenhum. Meus ex-colegas de time me ligavam dizendo que me arrumariam um time, mas eu não queria", prosseguiu.

Do começo de 2007 até o final de 2009, Preto ficou no comércio e estava decidido a fazer um curso profissionalizante. A fé de dona Celeste, mãe do jogador, fez ele retomar o caminho da bola e calçar novamente as luvas.

"Meu irmão e minha mãe me convenceram a voltar e pediram para eu não desistir do meu sonho. Eu devo tudo à ela, é o meu exemplo e sempre esteve lá quando precisei. Ainda mais neste momento chave da minha vida", agradeceu.

O goleiro retomou os treinamentos por conta própria em uma academia em setembro, além de correr na praia todos os dias. Com isso, acertou com União-MT e continuou sua carreira.

Copete recebe elogios de Dorival e agradece companheiros de Santos

INÍCIO COMO ZAGUEIRO

Celismar dos Santos Marins, conhecido como Preto, começou como zagueiro de uma escolinha em um bairro carente de Salvador. Um dia faltou um goleiro em um torneio e ele foi chamado para ficar debaixo das traves por ser um dos mais altos.

"Fiquei nervoso e não queria de jeito nenhum. O treinador disse que contava comigo e pediu para eu dar uma força para ele. Acabou sobrando para mim e acho que tudo na nossa vida não acontece por acaso. Naquele momento foi um propósito de Deus na minha vida", recordou.

Divulgação
Preto treina com o Sub-23 do Santos
Preto está com 30 anos

"Tinham donos de escolinhas de classe média alta que me viram e ganhei bolsa para jogar. Eu tinha que me virar com transporte porque era distante da minha casa, pegava três ônibus e foi bem difícil. Somos em quatro irmãos e só meu pai trabalhava. Eu sempre pegava algum dinheiro emprestado para ir, às vezes não tinha como ir", relembrou.

Após fazer um teste e ser aprovado no Catuense, da Bahia, em 2006, o goleiro se profissionalizou. Após o fim do seu contrato, em 2007, ficou afastado do futebol antes de passar por União-MS, Fast-AM, Morrinhos, Mineiros, Vitória das Tabocas e Alecrim, antes de chegar ao Bonsucesso, em 2014.

Na Copa Rio daquele ele começou na reserva e só atuou em três partidas depois de ganhar a posição de Raphael Mello. Já no Campeonato Carioca do ano seguinte fez 14 partidas como titular das 15 da equipe no Estadual.

"Eu fui para jogar em um campeonato com muita visibilidade, mas a diretoria nem me conhecia. Ficaram com pé atrás, porque ninguém tinha me visto. Eu queria mostrar meu trabalho e encarei como a chance da minha vida", analisou.

Apesar de a equipe ter sofrido goleada para o Botafogo e ter perdido para Flamengo e Fluminense, ele se destacou contra o Vasco.

"Goleiro de time pequeno só aparece contra time grande. Foi uma das melhores partidas da minha vida, conseguimos segurar o Vasco [que foi campeão]. Eles só ganharam com um pênalti aos 46 do segundo tempo que foi polêmico.

"Depois desse jogo as coisas mudaram, fui elogiado por caras como Edmundo e Velloso e fiquei mais conhecido. Fui eleito o segundo melhor do Campeonato Carioca atrás só do Paulo Victor [goleiro do Flamengo]", garantiu.

Veja os gols da vitória do Santos sobre a Chapecoense por 3 a 0

'TIOZÃO' DO SANTOS B

Com a criação do Santos B, uma equipe com jogadores em sua grande maioria de até 23 anos, o goleiro foi contratado para um período de testes no ano passado.

"Cada avaliação e treino eu fazia como final de campeonato e matando um leão por dia para mostrar porque estava lá e foi bem difícil. Era o meu prato de comida, eu sabia que era uma oportunidade única, não podia dar bobeira".

Divulgação
Goleiro Preto segue no time B do Santos
Goleiro Preto segue no time B do Santos

"Às vezes ficava triste, mas minha mãe me deu muita força e acreditou mais em mim. Até mais do que eu mesmo, sabia que essa provação uma hora iria acabar".

Depois de ser aprovado, Preto mal acreditava na reviravolta de sua carreira. "Quando o Santos veio aqui assinar o contrato e disseram que tinha acabo a avaliação, passou um filme na minha cabeça de tudo o que eu vivi", comemorou.

"Eu sempre tive o sonho de ir para um centro grande do futebol e estar em um clube importante, sempre acreditei nisso. Quando cheguei não era conhecido e muita gente ficou com o pé atrás até pelo fato da minha idade e porque nunca tinha jogado em um time grande", afirmou.

Lutando por um espaço em uma equipe de jovens, Preto não se importa com a grande diferença de idade para os colegas.

"Até que os meninos não brincavam tanto comigo por causa disso. É uma volta muito grande. As coisas não acontecem no nosso tempo, Deus tem o tempo certo. Ele tarda, mas não falha".

Durante mais de um ano, o time B da Vila Belmiro fez apenas jogos amistosos e cedeu jogadores como Vitor Bueno ao time de cima. O goleiro aguarda com ansiedade a primeira oportunidade de vestir a camisa alvinegra. Apesar de já estar há um ano na equipe, Preto continua sem ter feito partidas com a camisa do Santos.

"Quero mostrar o meu trabalho e conseguir vencer a confiança. Eu respeito todos os meus companheiros, sou de grupo, mas o que o Santos precisar estou à disposição".

Apesar de feito boa partida em sua estreia, Preto não conseguiu evitar a derrota por 1 a 0 para o São José FC pelo grupo 4 da Copa Paulista na Vila Belmiro, nesta segunda-feira.

Comentários

'Tiozão' do Santos, goleiro fez bico de dois anos em lan house e quase largou a bola

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.