Jazz uniu seus pais, custo de vida o separou da mãe: a história do corintiano que vai jogar pela Dinamarca na Olimpíada do Rio

Leonardo Ferreira e Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Getty Images
Emiliano é uma das maiores promessas da Dinamarca
Emiliano é uma das maiores promessas da Dinamarca

Durante a Olimpíada 2016 um jovem dinamarquês se sentirá quase em casa: Emiliano Marcondes Camargo Hansen. O jogador é fruto do relacionamento de um músico de jazz da Dinamarca, que veio fazer um show em São Paulo e conheceu a brasileira Marilia. Os dois se apaixonaram e foram viver em Hvidovre, cidade próxima de Copenhague, capital do país europeu, onde tiveram dois filhos.

"Meus pais se separaram quando eu tinha nove anos e eu continuei morando com meu pai. Minha mãe estava bebendo muito e foi por isso que eles se separaram. Ela teve que deixar a Dinamarca para morar com meus avós no Brasil porque o custo de vida aqui era alto demais para ela. Foi difícil para mim esse período", contou o atleta, que atua no Nordsjaelland-DIN, em entrevista ao ESPN.com.br.

Ao mesmo tempo em que sofria com a distância da mãe, Emiliano buscava refúgio dentro dos gramados como uma forma de preencher o vazio da perda. "Foquei nisso para ser profissional. Eu saia da escola e jogava com meus amigos, as pessoas falavam que eu jogava bem. Eu assistia aos jogos de Ronaldo e Ronaldinho e queria jogar como eles".

Mesmo após a morte de sua mãe, em 2012, ele não perdeu os laços com os parentes sul-americanos.

"Já estive em São Paulo três vezes. Em 2014, eu fiquei na casa dos meus avós e isso foi um sonho sendo realizado. Foi muito emocionante e não sabia que tinha uma família tão grande. Pude ver como as pessoas se relacionavam em família, muito diferente da Dinamarca".

Divulgação Nordsjælland
Emiliano é uma das maiores promessas da Dinamarca
Emiliano é uma das maiores promessas da Dinamarca

"Aqui somos mais tímidos. Não abraçamos ou beijamos (risos). Tenho muitos primos, tios e tias. Eu não tenho família aqui, apenas meu pai e meu irmão. Não tenho esse sentimento de família aqui, foi a primeira vez que senti isso e foi em 2014", contou.

A culinária brasileira é muito apreciada pelo dinamarquês, que é fã de pratos típicos. "Gosto muito das churrascarias. São muito boas. Fui a algumas com minha família e tem todos os tipos de carne. É muito bom mesmo. Feijoada também é um dos meus favoritos. Minha mãe fazia quando eu era criança, então me faz lembrar a minha infância".

Mesmo sem o domínio do idioma - ele sabe diversas palavras, mas não se arrisca a falar muito em português - virou fã dos ritmos brasileiros.

"Gosto muito da música e quero ficar mais tempo no Brasil para aprender o português e entender melhor as pessoas, conversar com elas. Meus primos me mostraram um pouco da música brasileira e um deles gosta muito de samba. Eu acho que sou um cara mais do pop. Mas o samba é legal, porque você precisa ter ritmo para dançar. Isso também é uma coisa que eu quero aprender quando for para ai de novo".

CORINTIANO 'MALOQUEIRO' E DINAMARQUÊS

Os vínculos de carinho com o Brasil estão presentes na decoração do apartamento do jovem, que tem desde bandeiras do país na sala de estar, passando por copos na cozinha até objetos no quarto. Ele até mesmo tem um time brasileiro do coração e pertence ao famoso ‘Bando de Loucos'.

DBU /Divulgação
Emiliano é uma das maiores promessas da Dinamarca
Emiliano em ação pela seleção nacional

"Torço para o Corinthians, mas mais por causa do meu avô que tem 75 anos e jogou lá quando era mais jovem. Braz Camargo, não sei se foi profissional, mas ele me deu uma camisa bem bonita".

O meia ofensivo de 21 anos do Nordsjaelland-DIN cresceu com a vontade de ser como seus ídolos que vestiam a camisa verde-amarela.

"Quando era mais jovem gostava do Ronaldo, do Ronaldinho, do Rivaldo e do Kaká. Virei um grande fã do futebol brasileiro por causa deles e da Copa do Mundo de 2002. Vi que o Brasil perdeu na Copa América e foi terrível para mim também. Ate meus amigos aqui na Dinamarca viram e não acharam bom, ficaram surpresos", lamentou, lembrando do vexame de Dunga e seus comandados nos Estados Unidos.

DBU /Divulgação
Emiliano é uma das maiores promessas da Dinamarca
Ronaldo e Ronaldinho são seus ídolos

Emiliano subiu ao time profissional na temporada 2012/13 e teve a chance de disputar na temporada seguinte os playoffs para a fase de grupos da Uefa Champions League, quando foi eliminado pelo Zenit-RUS.

"Eu joguei contra o Hulk e até consegui a camisa dele depois do jogo. Meu sonho é atuar nas melhores ligas do mundo, quero jogar na Espanha, Inglaterra, Alemanha e Portugal. Alcancei meu sonho com a seleção e de virar um jogador profissional. Agora quero fazer cada vez mais gols para alcançar mais sonhos".

O próximo deles será a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Ele enfrentará o Brasil no dia 10 de agosto, em Salvador, diante de seus familiares. O Grupo A do futebol masculino também tem África do Sul e Iraque.

"Acho que a Dinamarca pode ir longe, porque nós temos um bom time. Nossa equipe está cheia de qualidade e nós temos talentos em todas as posições. Eu gosto de jogar ofensivamente, dar assistências a meus companheiros e, claro, ganhar. Também gosto de fazer algumas jogadas de efeito, como Neymar, mas o importante é ganhar sempre".

Comentários

Jazz uniu seus pais, custo de vida o separou da mãe: a história do corintiano que vai jogar pela Dinamarca na Olimpíada do Rio

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.