Para LeBron, o que Ali fez no esporte 'foi secundário ao que ele significou fora'

ESPN.com.br
Getty
Quadro com um encontro entre Nelson Mandela e Muhammad Ali
Quadro do encontro entre Nelson Mandela e Muhammad Ali em 1993

LeBron James considera Muhammad Ali o maior atleta de todos os tempos. Mas é o que o pugilista - morto na última sexta-feira aos 74 anos - fez fora do esporte que tem de ser reconhecido, segundo o astro do Cleveland Cavaliers.

"Quando eu era criança, ficava surpreso pelo que Ali fazia no ringue. Quando eu fiquei mais velho e comecei a ler e assistir coisas sobre ele, comecei a perceber que o que ele fez no ringue foi secundário ao que ele significou fora do ringue - sua influência, o que ele representava", disse o jogador de basquete à ESPN norte-americana após treino para a final da NBA contra o Golden State Warriors horas antes do adeus ao eterno campeão dos pesos pesados.

"A razão pela qual ele é o maior de todos os tempos não é por causa do que ele fez no ringue, o que foi incrível. É o que ele fez fora do ringue, no que ele acreditava, o que ele representava, junto a Jim Brown (NFL) e Oscar Robertson (NBA), Lew Alcindor - obviamente, que se tornou Kareem (Abdul-Jabar) -, Bill Russel (NBA), Jackie Robinson (MLB)".

"Esses caras representavam algo. Ele é parte da razão de por que os afro-americanos hoje podem fazer o que nós fazemos no mundo do esporte. Nós somos livres. Eles nos permitiram ter acesso a tudo o que nós quisermos. É por causa do que ele representava, e Muhammad Ali foi definitivamente o pioneiro para isso", falou LeBron.

Os canais ESPN farão uma programação especial em homenagem a Muhammad Ali. Ao meio-dia deste sábado, a ESPN e o WatchESPN exibirão "Ringside - Ali King of the World", programa especial com três horas de duração sobre ‘The Greatest'. A atração será reprisada no próximo domingo, às 7h. Na madrugada de domingo, também na ESPN e no WatchESPN, duas grandes lutas do maior pugilista da história irão ao ar: primeiro, às 2h, Ali x George Foreman, no antigo Zaire, em 1974; às 3h, a primeira Ali x Sonny Liston de 1964, em Miami. O duelo contra Foreman também será reprisado às 10h.

Para o bicampeão da NBA, Ali utilizou sua fama e dinheiro por boas causas - criou um centro de pesquisa sobre o mal de Parkinson (que o acometeu desde a década de 1980), visitou Coreia do Norte e Vietnã, negociou com Saddam Hussein a liberação de 15 reféns norte-americanos no Iraque durante a guerra, foi à África do Sul conhecer Nelson Mandela pouco após ser solto e mandou medicamentos a Cuba mesmo com o embargo dos Estados Unidos.

Divulgação
Muhammad Ali assiste LeBron James durante o All-Star Game de 2009 em Phoenix
Ali assiste LeBron no All-Star Game de 2009

"As pessoas esquecem o que você fez como profissional. As pessoas esquecem os campeonatos e todas as outras coisas que você foi capaz de conquistar. Mas eles nunca vão esquecer como você os fez se sentirem. Essa é uma citação de Maya Angelou (escritora e poetisa contemporânea de Martin Luther King e Malcom X), mas eu vou transcender isso para o que Muhammad Ali foi capaz de fazer. Então, é muito importante", disse LeBron James.

Comentários

Para LeBron, o que Ali fez no esporte 'foi secundário ao que ele significou fora'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.