Vai-Vai cria time profissional, aluga Ibirapuera para jogar e mira Paulistão

Diego Garcia e Rafael Valente, de São Paulo (SP), para o ESPN.com.br
Divulgação Vai Vai
Treino do time da Vai-Vai na Portuguesa da Vila Mariana, em São Paulo
Time da Vai-Vai na Toca da Coruja, campo do Vila Isabel de Osasco

Acostumada a ver o futebol ocupar espaços no carnaval com as torcidas organizadas, a Vai-Vai decidiu fazer o caminho inverso e montou um time de futebol profissional para rivalizar com os grandes da capital paulista. A escola de samba mais vezes campeã em São Paulo começará por baixo. A partir de 3 de junho, jogará a Liga Paulista, mas o plano é buscar uma vaga na última divisão do Paulistão de 2017 e subir aos poucos.

O torneio não é reconhecido oficialmente pela Federação Paulista de Futebol (FPF) e pela CBF, tampouco terá times famosos, mas é visto pela diretoria da escola de samba como uma boa chance para dar os primeiros passos oficiais.

"Queremos ter uma experiência, sentir quais serão as dificuldades e ganhar corpo. Nossa ideia é terminar o ano com uma boa bagagem na Liga para trilhar um caminho e no futuro chegar até a elite do futebol paulista", explicou Gleison Pego, o Mineiro, 36, diretor-executivo do clube à ESPN.

O time da Vai-Vai vem treinando desde março e fez um investimento alto, levando-se em conta que está nos primeiros meses de vida. Gasta cerca de R$ 60 mil mensais com o departamento de futebol, que é presidido por Marco Aurélio Barbosa, 38, ex-jogador revelado pelo São Paulo e que foi companheiro de Robinho no Santos, em 2004. 

Divulgação Vai Vai
Treino do time da Vai-Vai na Portuguesa da Vila Mariana, em São Paulo
Treino do time da Vai-Vai 

Os recursos vêm da própria escola de samba e de parceiros, como a Sincoplastic - uma das empresas que investe. A equipe ainda tem a expectativa de assinar com a Adidas para fazer os uniformes.

Para ter condições de fazer um bom campeonato, a Vai-Vai começou a selecionar jogadores em março, antes mesmo de oficializar o Esporte Clube Vai-Vai, cujo escudo e símbolos fazem juz à escola: os ramos de café, a coroa e as cores preto e branco. 

Hoje, são 22 atletas no time profissional e mais 20 na equipe sub-18. O treinador é jovem. É o ex-jogador Marcos Vannucci, 37, que terá a primeira experiência como técnico profissional. Ele comanda os treinos na Portuguesa da Vila Mariana e no estádio Jack Marin, na Aclimação, uma vez que a equipe não tem campo.

A casa do time será o estádio Ícaro de Castro Melo, no Parque do Ibirapuera, mas os dois primeiros jogos (11 de junho e 2 de julho) devem ser no estádio Nacional, na Água Branca, porque o gramado do campo do Ibirapuera está muito irregular. Para usar o local, a Vai-Vai pagará aluguel para a prefeitura - desde 1996 não há jogos lá.

Na fase de preparação, o time tem feito amistosos também. Há uma semana goleou por 7 a 0 o Taboão da Serra, clube que disputa a quarta divisão estadual. O time disputaria um amistoso contra a Mauense, também da última divisão estadual, nesta segunda-feira, mas o duelo foi cancelado por causa da chuva na região metropolitana.

"Estamos engatinhando nesse assunto futebol. São coisas novas, como registro dos atletas, contratos, preparação, mas a amizade tem feito muita diferença. O Bar do Porco e o Bar da Dona Onça, ambos no Bixiga, fornecem alimentação aos jogadores. Usamos a academia da Urb fitness para o trabalho muscular", disse Mineiro.

"Até mesmo ex-jogadores têm nos ajudado com mensagens. O Denílson é nosso padrinho. O Cafu é nosso embaixador. A Vai-Vai já nasceu com uma torcida grande, que é a torcida que gosta da escola de samba. São as pessoas quem amam música e futebol".

RESGATE HISTÓRICO

Ter um time de futebol é algo que está nos planos da Vai-Vai há pelo menos seis anos. A equipe foi vice-campeã do Desafio ao Galo.

Divulgação Vai Vai
Time da Vai-Vai, que jogará a Liga Paulista
Time da Vai-Vai, que jogará a Liga Paulista

"Ali ficou um desejo de criar um time e disputar os torneios no Estado. Foi um torneio amador, mas levamos muitos torcedores aos nossos jogos e ficamos empolgados", disse Mineiro.

Não foi a primeira a experiência da Vai-Vai com futebol. Os primórdios da escola de samba foram nos campos de futebol da cidade.

Nos anos 1920, o time amador do Cai-Cai era uma das forças da várzea da cidade. De cores branca e preta, havia integrantes ligados à música tanto no time como na torcida.

Mas os torcedores eram considerados arruaceiros e, por isso, chamados de forma jocosa de 'Vae-Vae'. Eles acabaram por se desligar do time e criar a escola de samba em 1930, que carregou o nome "Vai-Vai" e as cores da equipe de futebol.

"O futebol está no nosso DNA. Somos oriundos do Cai-Cai. A retomada do futebol é um resgate histórico e novamente a união do samba com o futebol", disse Mineiro.

Comentários

Vai-Vai cria time profissional, aluga Ibirapuera para jogar e mira Paulistão

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.