'League of Legends': Organização recusa time misto afirmando que existem regras impedindo mulheres no competitivo

ESPN.com.br
Riot Games
Remi, anteriormente Remilia, foi a primeira mulher a jogar na LCS NA
Não pode mulher no competitivo? Remilia que o diga!

*Atualização: A organização conversou com nossa redação e contou seu lado da história, clique aqui para ler.

Na semana passada tivemos um grande exemplo de desinformação e preconceito contra mulheres no competitivo de League of Legends.

Hanae Oseki, estudante universitária e jogadora - inclusive da equipe Mothership, que venceu de forma invicta o campeonato Rexpeita Elas -, entrou em conflito com a organização New Revenge e-Sports quando seu time foi recusado para testes por ser misto.

Em conversa gravada, a New Revenge afirma que um time só pode ser feminino ou masculino, sendo impossível a existência de um time misto pela existência de leis contra isso. "E (sic) que tem uma lei nos esportes eletrônicos que não permite times mistos, e como temos CNPJ se não seguirmos isso tomaremos multa", explicou de forma bizarra a organização.

Hanae Oseki / Arquivo
Conversa de Hanae Oseki com a organização New Revenge e-Sports
Conversa de Hanae Oseki com a organização New Revenge e-Sports

A jogadora ainda foi paciente e educada ao lembrar que outras organizações já tiveram mulheres em sua equipe, como a Renegades e a jogadora Remilia, na LCS NA. Entretanto, a organização e um de seus donos, insistiram na história quando Hanae postou a imagem da conversa em um grupo no Facebook.

Em seus comentários, um dos donos mudou seu posicionamento afirmando que as regras eram da própria organização, não da Riot, e que não as mudaria por causa de uma "criança feminista". Além disso, foi apoiado por outros dois colegas que disseram que a organização tem mulheres na administração e que jogadoras não têm a mesma habilidade que homens no jogo (uma noção um pouco antiga e preconceituosa, já provada errada por muitas mulheres no competitivo).

Hanae Oseki / Arquivo
Imagens do grupo League of Divas, de onde Eniel e companheiros foram banidos após falar besteira
Imagens do grupo League of Divas, de onde os donos da equipe foram banidos

A resposta da Riot Games

Perguntamos sobre o assunto para a Riot Games, empresa reguladora do jogo em questão, e a resposta foi: "Em relação a participação de meninas nos campeonatos oficiais de League of Legends, incluindo o CBLoL e o Circuito Desafiante, a Riot Games informa que não faz qualquer tipo de distinção de gênero. Jogadores de qualquer gênero podem participar dos torneios, inclusive em equipes mistas."

Além disso, a empresa afirmou esperar "que as organizações nunca levem em consideração o gênero dos jogadores na hora de compor a escalação de seus times e que tenham como critério a competência de cada pessoa".

Então deixamos a dica para a galera que pretende montar times para os campeonatos da Riot Games e um boa sorte para a Hanae Oseki e suas duas equipes!

Comentários

'League of Legends': Organização recusa time misto afirmando que existem regras impedindo mulheres no competitivo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.