Artilheiro trocou França por México por salário de R$ 300 mil e viagens de classe econômica

ESPN.com.br
Getty
André-Pierre Gignac trocou o Olympique de Marselha pelo Tigres em junho de 2015
André-Pierre Gignac trocou o Olympique de Marselha pelo Tigres em junho de 2015

Depois de ser vice-artilheiro do Campeonato Francês, André-Pierre Gignac surpreendeu ao trocar o Olympique de Marselha pelo Tigres, do México, em junho de 2015. Nesta terça-feira, o site "Football Leaks" divulgou o contrato do atacante, com detalhes sobre seu salário e benefícios no novo clube.

Gignac acertou com o Tigres por uma temporada, para as disputas dos torneios Apertura 2015 e Clausura 2016 do Campeonato Mexicano, além das competições continentais dentro desse período - foi vice-campeão da Copa Libertadores 2015 e está na final da atual da Champions League da Concacaf.

Seu salário é de 1 milhão de euros (cerca de R$ 4 milhões) por temporada ou R$ 333 mil mensais. Fora isso, o Gignac tem direito a um total de oito viagens pagas pelo clube para a França (quatro durante o Apertura, quatro no Clausura) na classe econômica, segundo descrito no contrato.

O documento também prevê o pagamento de bônus por conquistas, nos mesmos valores previstos para o restante do elenco, que não são descritos, contudo, no contrato vazado pelo "Football Leaks". O acerto também não informa o valor que Gignac tem direito a receber por seus direitos de imagem.

Nas cláusulas de obrigações do jogador, o Tigres é "linha-dura". Multas impostas ao clube por expulsão do atacante, por exemplo, são descontadas de seu salário. Já discussões com companheiros podem custar 5 mil dólares (R$ 17 mil) a Gignac, ou US$ 20 mil (R$ 70 mil) se a briga for com o técnico.

Há brecha, inclusive, para que o contrato seja rescindido caso Gignac seja flagrado consumindo bebidas alcóolicas em lugar público em dias que antecedem jogos. Em caso de quebra unilateral do vínculo, o francês é obrigado a pagar multa de 25 milhões de euros (R$ 100 milhões na cotação atual) ao Tigres.