Artilheiro do Carioca quase largou carreira, virou balconista e foi 'salvo' por faculdade

Leonardo Ferreira e Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Gazeta Press
Tiago Amaral Volta Redonda Fluminense Comemora Gol Futebol Gazeta
Tiago Amaral é o artilheiro do Campeonato Carioca com nove gols

São nove gols no Campeonato Carioca da temporada 2016. Não estamos falando de Guerrero, Émerson Sheik, Fred, Cícero ou Marcelo Cirino, mas sim de Tiago Leite do Amaral, artilheiro do torneio estadual pelo Volta Redonda, grande surpresa do ano.

O atacante, mesmo já aos 31 anos, faz até aqui o melhor ano da carreira, que iniciou-se em 2006, pela Cabofriense. Depois, teve passagens por Cachoeira-RS, Duque de Caxias-RJ, São Cristóvão-RJ e Olaria antes de chegar ao "Voltaço".

Forte e alto, o jogador chamou a atenção ao marcar dois gols logo na estreia do Estadual contra o Fluminense, na vitória aurinegra por 3 a 1. Mas a alegria dos tentos sobre a equipe tricolor poderia ter ficado para trás caso ele não tivesse pensado duas vezes e largado a carreira de jogador de futebol, quando ainda no clube de Cabo Frio.

"Pensei em desistir. Eu tinha contrato longo, mas não era muito aproveitado quando subi, contratavam muito e não tinha oportunidade. Fiz um acordo no final do vínculo e fiquei em casa recebendo salário do clube, mas fiquei sem jogar por uns três meses", lamentou Tiago Amaral, em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br.

Para ocupar seu tempo, o avante arranjou um pequeno emprego de "faz-tudo" com um familiar.

"Estava em casa, sai do clube e fiquei trabalhando com meu tio em um depósito dele. Ajudava na parte de administração, eu anotava as coisas no balcão e ia nas entregas lá também. Foram uns três meses com ele. Estava querendo largar a bola", contou.

Divulgação
Tiago Amaral Volta Redonda Divulgação
Atacante é um dos destaques do Carioca

Sua vida mudou quando um amigo o convidou para fazer testes no Castelo Branco, time de faculdade que formaria uma equipe profissional para disputar a Série C do Campeonato Carioca.

"Eu estava meio desanimado e não queria ir. Depois de falar com meu irmão, resolvi ver como era lá. Treinei bem, conversaram comigo e disseram que eu não poderia deixar de jogar bola. Até queria fazer um curso lá, mas como morava longe não pude fazer", disse.

A aposta não poderia dar mais certo: foram 19 gols marcados em 22 jogos na terceirona do Rio de Janeiro. E novamente as portas do futebol lhe abririam, quando foi contratado pelo Barra Mansa, hoje na Série B no estado.

"Muitos jogadores ficam pelo caminho porque nos times pequenos você tem o Estadual e depois muitas vezes não consegue time para o segundo semestre", lembrou.

Tendo o pai como inspiração - conhecido como Cuia, foi ponta direita da Cabofriense e lhe deu os caminhos a serem seguidos no mundo futebolístico -, Tiago diz, entretanto, que sua boa fase não o surpreende.

Veja os gols da vitória de Volta Redonda sobre o Fluminense: 3 a 1, com dois de Tiago Amaral

"As coisas estão acontecendo para mim e, modéstia à parte, não estou surpreso. Estou trabalhando muito e é uma honra estar brigando lá em cima com um monte de feras. Com 31, estou vivendo o melhor momento da carreira, física e tecnicamente. Me sinto maduro e no melhor da forma", elogiou-se.

"Me preparei muito para isso. No ano passado eu estava bem e tive uma lesão que me tirou de todo o Carioca. Fiquei frustrado, mas peguei um impulso nisso e entrei focado neste ano. Sonho em um dia ter oportunidade em um clube maior após o campeonato", finalizou.

Comentários

Artilheiro do Carioca quase largou carreira, virou balconista e foi 'salvo' por faculdade

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.