Lado B: Ele sobreviveu ao Titanic, quase amputou pernas e ganhou ouro olímpico depois

Gustavo Faldon, do ESPN.com.br
ESPN.com.br

Richard "Dick" Norris Williams II. O nome poucos conhecem, mas a história deste norte-americano nascido na Suíça certamente está eternizada no Hall da Fama do tênis, nos Estados Unidos, como uma verdadeira lenda.

Williams nasceu em 1891 e começou a jogar tênis aos 12 anos. Ele já era tenista quando embarcou no Titanic, em abril de 1912, junto com seu pai.

Dick Williams morreu em 1968, mas poderia ter sido antes, bem antes, na noite do desastre do naufrágio do Titanic.

Williams e o pai foram ao jantar do capitão na noite de 14 de abril de 1912, horas antes do iceberg atingir o navio. Em uma carta feita para sua família anos antes de sua morte, o ex-tenista relatou os acontecimentos da noite da tragédia.

Às 11h45 locais, os Williams foram acordados de sua cabine na primeira classe. "Nós não estávamos animados, mas sentimos que algo havia acontecido. Não havia pânico, apenas confusão. A banda estava tocando ao vivo", escreveu.

Dick lembrou que seu pai estimou que mesmo com o navio atingido, ele ainda flutuaria por cerca de 12 a 15 horas, o que daria tempo de um resgate chegar.

Os botes de resgate acabaram, e os Williams ficaram lá. Os dois pularam na água, vestindo coletes salva-vidas por debaixo de um casaco, e começaram a nadar. "Ele (meu pai) começou a nadar em minha direção enquanto eu vi uma das grandes chaminés cair em cima dele. Por um momento, fiquei paralisado", relatou o ex-tenista.

Reprodução
Dick Williams II, ex-tenista
Dick Williams II, ex-tenista

Dick Williams voltou ao que restava do navio, enquanto o mesmo naufragava por completo no fundo do oceano Atlântico. Após o Titanic "sumir" da superfície, o que restou dos passageiros estava à mercê do mar. "Aí vieram as lágrimas de 1600 pessoas lutando na água congelante...elas não estavam afogando, mas morrendo de frio", recordou.

Após alguns minutos, muitos já havia morrido na água, e Dick Williams achou abrigo em um bote salva-vidas com lona nos lados onde o fundo de madeira flutuava logo abaixo da superfície. Cerca de 30 pessoas entraram no bote com Williams, mas só 13 sobreviveram.

Mesmo após entrar no bote, Dick Williams ficou por cerca de seis horas com água até o joelho. Isso fez com que suas pernas congelassem. Após terem sido resgatados pelo "Carpathia" junto com os outros sobreviventes, o médico da embarcação sugeriu a amputação imediata.

Mas Williams resistiu e seguiu com as pernas congeladas na esperança de não perder sua carreira no tênis. "Conforme eu tentava me levantar, era como se milhares de agulhas estivessem perfurando minhas pernas", escreveu.

Para restaurar a circulação na região, Williams começou a andar constantemente mesmo a bordo do Carpathia - às vezes ele até acordava no meio da noite para tal. A estratégia deu certo, e ele voltou a ter as pernas normais.

Passados pouco mais de três meses do desastre, Dick Williams era um dos poucos mais de 700 sobreviventes - dos mais de 2 mil passageiros do Titanic. Ele foi para o US Open de 1912, onde conquistou o título de duplas mistas, consolidando seu status de lenda.

Contando duplas, duplas mistas e simples, Dick Williams conquistou seis títulos de Grand Slam. Em 1924, ele disputou a Olimpíada de Paris, onde conquistou a medalha de ouro nas duplas mistas ao lado da norte-americana Hazel Wightman.

Em 1957, Williams foi introduzido ao Hall da Fama do tênis.

Getty
Titanic naufragou em 14 de abril de 1912
Titanic naufragou em 14 de abril de 1912
Comentários

Lado B: Ele sobreviveu ao Titanic, quase amputou pernas e ganhou ouro olímpico depois

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.