Mourinho fez jogador de 3ª divisão virar técnico sensação do Paulista e bater Palmeiras

Rafael Valente e Vladimir Bianchini, para o ESPN.com.br
Gazeta Press
Português Sérgio Vieira é o treinador da Ferroviária no Paulista
Português Sérgio Vieira é o treinador da Ferroviária no Paulista

A assombrosa vitória do Porto por 3 a 0 diante do Mônaco na final da Uefa Champions League de 2004 não foi só a responsável por projetar Deco, Ricardo Carvalho, Carlos Alberto e José Mourinho para o mundo. Ela mudou completamente a história de um ambicioso jogador de 21 anos da terceira divisão portuguesa.



Ao assistir aquela partida pela televisão, Sérgio Vieira, nascido na pequena vila do distrito de Braga, chamada Póvoa de Lanhoso, abandonou os gramados e resolveu ser treinador. Uma década depois, ele desembarcou no Brasil e hoje comanda a sensação do Campeonato Paulista, que venceu o Palmeiras por 2 a 1, no Allianz Parque, no domingo.

"Devido a minha educação, sempre fui ambicioso e lutava para ter sucesso como jogador. Jogava no Futebol Clube Amares, numa cidade perto de Braga, na terceira divisão. Foi no mesmo ano em que Mourinho ganhou tudo pelo Porto. Pensei: 'Estou na terceira divisão e, com 20 anos, deveria estar na primeira divisão. Será difícil para mim. É melhor tentar algo diferente dentro do futebol que é o que mais amo'. Isso mudou minha vida", disse o técnico da Ferroviária, ao ESPN.com.br.

A partir daquele momento o português deixou de ser um jogador destinado ao ostracismo e passou a se preparar para ser um técnico capacitado e reconhecido.

"Eu senti que meu espírito de liderança ia ser o melhor aproveitado como treinador, já que, como jogador, já era tarde para conquistar. Preferi deixar de ser um jogador normal para ser um grande treinador e é isso que estou fazendo", contou.

Os primeiros passos de Sérgio Vieira foram dados logo em seguida. Ele escolheu uma universidade e passou a estudar com o foco em virar treinador. Foram cinco anos estudando, período que contempla os cursos de técnicos com chancela da Uefa.

A vida como treinador, no entanto, começou antes de ele se formar. No segundo ano na universidade, ele já estava trabalhando com categorias de base e também como auxiliar técnico de equipes como Coimbra, Braga e até o Sporting.

"Trabalhei com diferentes treinadors em Portugal. O Jesualdo Ferreira, do Porto, foi um dos mentores do futebol português. [Técnico do Porto entre 2006 e 2010], trabalhamos com jogadores como Hulk, Fernando, Lisandro López. Todos os nomes daquele período tiveram e tem destaque no futebol".

TENTANDO CONQUISTAR O BRASIL

Sérgio Vieira teve outras experiências após deixar o Porto, em 2010. O último trabalho em Portugal foi em 2014, no Braga, time onde havia jogada na base. O ainda candidato a treinador chegou a ficar três anos parado, mas não desistiu da profissão.

Durante esse período, Vieira aproveitou para viajar pela Europa e observar outros clubes. Teve a ideia de vir ao Brasil após uma conversa com o empresário Hugo Garcia. O motivo: 'conhecer o país do futebol'.

Divulgação Mauricio Mano/Atlético-PR
Sérgio Vieira no sub-23 do Atlético-PR
Sérgio Vieira no comando do sub-23 do Atlético-PR

"Em 2014, decidi ver como era o país do futebol, por todas as suas conquistas. Estive no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Curitiba, em Florianópolis... assistia a todos os jogos de todas as divisões. Visitei os CTs dos clubes. Numa dessas visitas fui para o Atlético-PR. Conheci a Arena e o CT [do Caju] . Um mês depois daquela visita me fizeram uma proposta para integrar os profssionais do clubes", relembrou Vieira.

Foi o início da carreira no Brasil. Inicialmente cuidou das categorias de base com objetivo de monitorar os treinos táticos, seguindo os conceitos que aprendeu nos cursos da Uefa. Logo passou a colaborar com a equipe profissional até que foi 'presenteado' com o time sub-23.

Vieira iria comandar o Atlético-PR na Copa do Paraná, mas só chegou a fazer alguns poucos jogos e logo teve desafios maiores.

"Fui transferido para o Guaratinguetá, que tinha uma parceria com o clube, e comandei a equipe na Série C. O torneio já havia começado, mas fizemos 16 pontos e conseguimos salvar o time do rebaixamento para a última divisão", disse o treinador.

DE CURITIBA PARA ARARAQUARA

Após a passagem pelo Guaratinguetá, Vieira retornou ao Atlético-PR para continuar o trabalho com a equipe sub-23, mas acabou assumindo interinamente o time principal após a demissão de Milton Mendes. 

"Eu conduzi o time contra o São Paulo (derrota por 1 a 0, no Morumbi, na despedida de Juan Carlos Osorio). A diretoria decidiu trazer o Cristóvao Borges e me encaminharam para esse projeto para a Ferroviária no Paulistão", disse o português.

"O clube tem um projeto ambicioso e isso me deixou com o olho a brilhar. Sentir que no Brasil posso deixar esse legado: um português conquistar um título por aqui. Tudo isso me deixou com grande vontade de vir para cá", revelou.

Divulgação Gustavo Oliveira/Atlético-PR
Sérgio Vieira no comando do Atlético-PR contra o São Paulo
Sérgio Vieira no comando do Atlético-PR contra o São Paulo

"Em 2015 morava sozinho sem a família por quase um ano até me adaptar e foi muito importante ter essas condições. Minha esposa estava grávida. Agora minha família, esposa e filha de nove meses, em Araraquara", relatou.

O trabalho para o Estadual foi feito com o prazo apertado do calendário brasileiro. "Senti essa dificuldade, mas para isso me preparei para atuar no Paulista. Tivemos quatro semanas de treino e já estreamos. Não temos um processo completo, ainda falta muita coisa, o que tentamos fazer é queimar etapas dentro de nossas idéias. Eles absorveram bem e estão no bom caminho", analisou.

Comentários

Mourinho fez jogador de 3ª divisão virar técnico sensação do Paulista e bater Palmeiras

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.