Comitê que vai reformar futebol brasileiro tem mais cartolas do que 'boleiros'

ESPN.com.br
CBF instaura comitê de reformas do futebol brasileiro com atletas e dirigentes

Com o intuito de melhorar o futebol brasileiro, a Confederação Brasileira de Futebol criou um Comitê de Refomas, que apresentará nesta quinta-feira alguns projetos para a evolução da modalidade no país. A grande curiosidade é que o grupo é formado por mais cartolas do que pessoas que realmente estiveram dentro das quatro linhas.

De 17 membros selocionados, apenas seis viveram na pele a experiência de trabalhar em campo. São os casos da jogadora Formiga, dos ex-jogadores Edmílson, Ricardo Rocha e Carlos Alberto Torres, o ex-treinador Carlos Alberto Parreira e a ex-auxiliar Ana Paula de Oliveira.

Já os cartolas, e pessoas com pouco relacionamento com o esporte, são 11, envolvendo presidente de clubes, de federações e advogados que estudam direito esportivo.

Durante a entrevista coletiva, Walter Feldman, Secretário Geral da CBF, explicou como foi feita a escolha dos membros da comissão e revelou que sete deles serão remunerados.

"Não foi uma escolha minha, veio de dentro da CBF com todo esse trabalho que já vem sendo feito da nova diretoria. Sabíamos que viria críticas, poderíamos cometer erros e equívocos, que podem surgir até agora... Quantos campeões mundiais poderiam vir? Muitos! Cafu, Oscar... Muitos deles participando de outras atividades. Tinhamos que escolher pela história e disponibilidade para ajudar com o projeto", disse Feldman.

"Só os que não têm um vínculo direto irão receber. Mas serão poucos, sete no total. Remuneração compatível com o mercado. Será de R$ 3 a R$ 5 mil", completou.

Na pauta, serão discutidos: fomento das ações de responsabilidade social, internacionalização do futebol brasileiro, elaboração de agenda, desenvolvimento do futebol feminino e categorias de base, tecnologia e inovações e direito dos atletas e de transmissões.

Confira alguns trechos da entrevista coletiva:

Walter Feldman

"Comitê pode analisar todos os pontos, permitir a sociedade brasileira inteira participar. Criamos um site mostrando os objetivos, as pautas em discussão e estimulamos quem queira contribuir com o projeto. Essa transformação tem que ser um esforço coletivo".

"Nós estamos sugerindo um grande pacto, daqueles que são muito críticos, que têm dado sua contribuição e que possa nos ajudar nessa caminho. Ninguém tem essa fórmula".

"Qual diferença entre Brasil e Europa? Europa conquistou um caminho de futebol espetáculo, monetizado, muito bem vendido e produzido. Quando grande parte da origem do futebol vem do Brasil. Futebol do Brasil corresponde 13% da imigração do futebol no exterior. Brasil tem essa tendência história, vendemos precocimente".

Formiga

"Quando recebi a oportunidade, não pensei em nenhum momento de recusar. Poder ajudar muitas meninas que sonham em poder jogad profissionalmente. Se existe esse debate, em nome de todas, estou feliz. Desse grupo, coisas boas vão sair. Espero que o futebol brasileiro tenha essas mudanças".

Carlos Alberto Torres

"Alegria e satisfação por colaborar com o futebol brasileiro. Volto a colaborar de maneira enfática, se aceitei o convite, é para valer. Se é para mudar, vamos mudar. É chegada a hora da mudança. Isso tudo foi conversado desde de manhã, um grande grupo de trabalho montado pela CBF. Tenho certeza que agora vai. Vou cobrar, se não for... Tem que ser agora. Acreditem, se estamos envolvidos, é porque a coisa é séria".

Edmílson, pentacampeão mundial

"Estamos reunidos desde às 11h. Para mim é uma nova etapa na minha vida. Durante minha carreira o futebol me transformou, como marcou de cada ex-atleta. Quando houve o convite da direção da CBF, não pensei duas vezes. País vive o momento de pessoas que tem boa cabeça e boas ideias para tudo. Acho que minha função como ex-atleta e estudioso é colaborar muito. Vamos poder opiniar naquilo que gostaríamos muito de mudar no futebol. Cabe a esse grupo de pessoas escolhidas ter a capacidade e inteligência de melhorar naqueles aspectos que são necessários. Estamos aqui para cobrar, seremos representantes da nossa classe, vamos ter essa liberdade. Se não, nem aceitaria esse convite".

Confira abaixo a lista completa dos cartolas do Comitê:

Walter Feldman - Secretário Geral da Confederação Brasileira de Futebol

Rogério Langanke Caboclo - Diretor Executivo de Gestão; Diretor de Planejamento Estratégico e Financeiro da CBF

Caio César Vieira ROcha - Presidente do STJD

André Ramos Tavares - Advogado e Doutor em Direito do Estado

Alvaro Melo - Advogado e Doutor em Direito Esportivo

Luiz Felipe Santoro - Advogado e especialista em administração esportiva

Castellar Modesto Guimarães Neto - Presidente da Federação Mineira de Futebol

Leomar Quintanilha - Presidente da Federação Tocantinense de Futebol

Ednaldo Rodrigues Gomes - Presidente da Federação Bahiana de Futebol

Carlos Augusto de Barros e Silva - Presidente do São Paulo

Carlos Eduardo Pereira - Presidente do Botafogo

Comentários

Comitê que vai reformar futebol brasileiro tem mais cartolas do que 'boleiros'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.