38 anos! Saiba qual é a liga nacional há mais tempo sem um campeão inédito

Rafael Valente, de São Paulo (SP), para o ESPN.com.br
Getty
Torcedor do Leicester com a bandeira do time na vitória sobre o Manchester City
Torcedor do Leicester com a bandeira do time na vitória sobre o Manchester City

Passadas 27 rodadas da Premier League, já é difícil encontrar alguém que não acredite que o Leicester, clube de 132 anos, possa fazer história na Inglaterra. Líder do Campeonato Inglês a 11 rodadas do final, os Foxes caminham bem para alcançar o inédito título. Se conseguirem triunfar, quebrarão um tabu no país. Já são 38 anos sem um campeão 'virgem'. A última vez foi em 1977/78, com o Nottingham Forest. O intervalo que separa o Leicester do campeão de 1978 corresponde ao maior período sem um campeão inédito, considerando as ligas mais antigas do planeta, a América do Sul e o México, segundo levantamento feito pelo ESPN.com.br. Veja abaixo:

Top 3: oS Maiores Jejuns

  • Inglaterra: 38 anos
    Promovido à elite em 1976/77, o Nottingham Forest foi o último campeão 'virgem' no país. Isto em 1977/78, com 64 pontos em 42 jogos. E o time não parou aí. Venceu duas Copa da Liga Inglesa, duas Copa dos Campeões, uma Supercopa da Inglaterra e uma Supercopa da Europa. Os nomes famosos eram o goleiro Peter Shilton e o técnico Brian Clough.
  • Escócia: 33 anos
    Apenas um título tem o Dundee United e ele corresponde a última vez em que um ‘virgem' triunfou no país. Foi em 1982/83 e com dose de sofrimento. Somente em abril é que a equipe entrou na briga pelo troféu. Após a derrota para o Celtic por 2 a 0, venceu os últimos seis compromissos, batendo o próprio Celtic por 3 a 2 e o rival FC Dundee por 2 a 1 na rodada final. 
  • Paraguai: 30 anos
    Onze vezes o Sol de América bateu na trave ao tentar ser campeão nacional, mas em 1986 quebrou o tabu. A pressão era tamanha que recebeu o apelido de "Monarca sin corona". O time campeão foi formado com a vinda do técnico Silvio Parodi e oito contratações, entre os quais Cristóbal Cubilla. O time ainda teve o artilheiro: Félix Torres, com 13 gols.

QUASE TRÊS DÉCADAs

  • Grécia: 28 anos
    O AE Larissa viveu seu momento de ouro nos anos 1980. Foi três vezes finalista da Copa da Grécia, tendo vencido uma, acostumou-se a disputar torneios internacionais e obteve a sua maior glória em 1987/88, quando levou o título nacional. Somou 43 pontos em 30 jogos numa temporada tumultuada. Foram dois técnicos (Jacek Gmoch e Horacio Morales) e um caso de doping do búlgaro Georgi Tsingov, que quase tirou o título (o clube foi ameaçado pela federação de perder pontos).
  • Irlanda do Norte: 26 anos
    Talvez seja o caso mais curioso de campeão 'virgem' porque a equipe do Portadown é semi-profissional e só aderiu a liga a partir de 1924. Sediado na cidade homônima e fundado em 1889, o clube chegou à taça em 1989/90. Foram 55 pontos em 26 jogos. Foram campeões nomes como Charles Lawson, Robert Gourley, Ben Clarke, Hugh Bulloch, James Hart, William Ewing, Henry Johnston, Harry Sinnamond, Alex Smyth, WK Johnston e George Cochrane. 
  • Uruguai: 26 anos
    O feito foi tão importante e tão incomum que o Bella Vista fez questão de escrever em seu estádio, o Parque José Nasazzi, é o "campeão uruguaio de 1990". É o único título do clube que tem as mesmas cores da bandeira do Vaticano. Comandando pelo técnico Manuel Keosseian, a equipe desbancou os tradicionais Nacional (2º) e Peñarol (3º). Foi campeão com sete pontos de vantagem e a melhor defesa (15 gols sofridos em 26 jogos. O nome mais famoso era do meio-campista Álvaro Gutiérrez, jogador da seleção.
  • Itália: 25 anos
    Nos anos 1980 e 1990 o Campeonato Italiano era o mais forte da Europa e equipes como Milan e Juventus eram verdadeiras seleções, mas vire e mexe acabam levando a pior para uma surpresa. Foi assim em 1990/91 com a Sampdoria, de Toninho Cerezo (foto), Pagliuca, Vialli e Mancini. Ganhou duas vezes do Milan, duas da Inter de Milão e uma da Juventus. Com apenas três derrotas, foi campeã com 51 pontos em 34 jogos - o vice Milan fez 46. Foi o time que mais venceu, mais fez gols e teve o artilheiro: Vialli, 19 gols.

Em números

  • 16
  •  
  • anos. É o tempo que a Espanha está sem um campeão inédito. O último foi o Deportivo La Coruña, em 1999/00. A equipe tinha como estrelas os brasileiro Flávio Conceição, Mauro Silva e Djalminha. Tinha também o holandês Roy Makaay, o português Pauleta e Donato. O time somou 69 pontos (21 vitórias, seis empates e 11 derrotas) - o vice foi o Barcelona, com 64 pontos. Comandando por Javier Irureta, o time venceu Barça e Real Madrid (goleada por 5 a 2) uma vez cada um.
  • 15
  •  
  • anos também é o tempo que Portugal não tem um campeão inédito. O último foi o Boavista em 2000/01. A conquista foi obtida com apenas um ponto a mais que o Porto (77 a 76) na última rodada. Os Os Panteras Negras foram campeões com a melhor defesa (22 gols sofridos). Não é a toa que o destaque era o goleiro Ricardo. Dois brasileiros fizeram parte do elenco do técnico Jaime Pacheco: os atacantes Duda e Elpídio do Santos. Uma curiosidade é que antes do Boavista o último campeão 'virgem' no país tinha sido o Belenenses, em 1945/46.
  • 12
  • anos. É o período que o Equador não vê um campeão 'virgem' no país. O último foi o Deportivo Cuenca em 2004. Foi um técnico argentino, Daniel Córdoba, o responsável pelo feito. O time também tinha muitos estrangeiros, como os argentinos Javier Klimowicz (goleiro) e Carlos Quiñónez (atacante) e o uruguaio Marcelo Velazco (zagueiro; naturalizado equatoriano).

FURACÃO BRASILEIRO

Gazeta Press
O zagueiro Nem (esq.) e o goleiro André Luis com o troféu do Brasileiro
O zagueiro Nem (esq.) e o goleiro André Luis com o troféu do Brasileiro

15 anos - Foi em 2001 que os brasileiros viram pela última vez um campeão inédito, isto é, considerando que o Nacional começou com a disputa da Taça Brasil, em 1959. E campeão foi o Atlético-PR. O time rubro-negro terminou a primeira fase do Brasileiro com 51 pontos, oito atrás do líder São Caetano, mas mostrou todo o potencial na fase final. No mata-mata rumo ao título, a equipe rubro-negra eliminou o São Paulo (2 a 1) nas quartas e o Fluminense (3 a 2) na semifinal. Na decisão, bateu o São Caetano por 4 a 2, em Curitiba, e por 1 a 0, no ABC. No elenco, o "Furacão" tinha o volante Cocito, o meia Kleberson e os atacantes Kleber e Alex Mineiro. O técnico da equipe era Geninho. 

QUEBRANDO A TRADIçÃO

  • Irlanda: 9 anos
    Pouco expressivo, o Drogheda United surpreendeu ao sagrar-se campeão da Liga da Irlanda em 2007. A equipe, que foi fundada em 1919, venceu a taça com sete pontos de diferença para o St. Patricks (68 a 61). O time era treinado por Paul Doolin, ex-jogador da seleção local. Em 33 jogos, a equipe obteve 19 vitórias, 11 empates e três derrotas.
  • País de Gales: 8 anos
    O  último campeão inédito nesse pequeno país já era um clube centenário quando atingiu o feito. O Llanelli Town, criado em 1896, faturou a edição de 2007/08 do torneio. O destaque daquela equipe era o ataque: 99 gols em 34 partidas (média de 2,9 gols por jogo). O atacante Rhys Griffiths, que ganhou chance na seleção, foi o artilheiro com 40 gols.
  • Colômbia: 8 anos
    Foi nos pênaltis que o Boyacá Chicó foi campeão contra o América, em 2008. O time ajedrezado já surpreendeu na primeira fase ao somar 32 pontos em 18 jogos. Depois, superou um grupo com Medellín, Quindío e Deportivo Cali. E, na final, empatou os dois jogos por 1 a 1 e venceu nos pênaltis por 4 a 2. Teve o artilheiro: Miguel Caneo, 13 gols.
  • Bolívia: 8 anos
    Foi a três rodadas do final que o Universitário de Sucre alcançou a maior glória da sua história, em 2008. Ao empatar por 1 a 1 com o San José, perante 32.000 pessoas, foi campeão boliviano. O time foi comandando por Eduardo Villegas e tinha um brasileiro: o zagueiro De Carlos, ex-Joinville. O time somou 43 pontos contra 37 do La Paz.

DESACRETIDADOS

  • Rússia: 8 anos
    O Rubin Kazan comemorou o inédito título do Campeonato Russo justamente no ano em que completou 50 anos. Foi em 2008, quando a equipe da região de Volga tornou-se a terceira fora de Moscou a levar a taça. O clube não tinha craques de renome, pois apostava em jovens. Os destaques eram o ucraniano Serghey Rebrov e o russo Sergey Semak. O técnico era turcomeno Kurban Berdyev.
  • Alemanha: 7 anos
    Com o atacante Grafite como artilheiro (28 gols), o Wolfsburg faturou a edição 2008/09 da Bundesliga. A taça foi conquista com goleada por 5 a 1 sobre o Werder Bremen. Os brasileiros da equipera eram o volante Josué (como capitão), o lateral esquerdo Rodrigo Alvim e o atacante Caiuby. Mas havia outras estrelas: Dzeko, Barzagli, Essewein e Ricardo Costa. O time fez 69 pontos contra 67 do Bayern.  
  • Holanda: 6 anos
    O Twente, então com 45 anos, somou um ponto a mais que o Ajax (86 a 85) e faturou o inédito título da Eredivisie em 2009/10. O time de Enschede era treinado pelo inglês Steve McLaren, o mesmo que fracassou com a Inglaterra na eliminatória da Euro-08. Uma curiosidade é naquela temporada o Ajax fez 106 gols e sofreu apenas 20. O Tweente marcou 63 e levou 23. 
  • Turquia: 6 anos
    A espera para os turcos foi grande. Foram 51 anos vendo o título ficar nas mãos de Galatasaray, Fenerbahçe, Besiktas ou Trabzonspor, mas a escrita foi quebrada pelo Bursaspor em 2009/10. O time da cidade de Bursa chegou a ficar 11 jogos sem perder e confirmou a taça na rodada final ao bater o Beskitas por 2 a 1. Somou 75 pontos contra 74 do Fenerbahce.
  • 5
  • anos corresponde ao tempo em que o Peru está sem um campeão inédito. O último foi o Juan Aurich em 2011. O time disputou o título palmo a palmo com o Alianza Lima. As equipes terminaram a fase de classificação empatadas com 57 pontos em 30 jogos. Na final, o time da capital peruana venceu por 2 a 1, fora de casa, e perdeu por 1 a 0, em casa. No terceiro e último jogo ambos empataram por 0 a 0 e, nos pênaltis (3 a 1), o Juan Aurich sagrou-se campeão. A equipe tinha jogadores como o zagueiro Balbuena (que passou pelo Corinthians em 2009/10) e o atacante panamenho Luis Tejada, artilheiro com 17 gols.

ZEBRA FRANCESA

GERARD JULIEN/AFP/GettyImages
Torcida do Montpellier festeja inédito título do Francês em 2012
Torcida do Montpellier festeja inédito título do Francês em 2012

4 anos - O que o Montpellier fez em 2011/12 merece a alcunha de 'maior zebra', ao menos daquela temporada. A equipe havia brigado contra o rebaixamento na França no campeonato anterior e ninguém poderia imaginar que brigasse pelo título em 2012. Ainda mais com o Paris-Saint Germain tendo investido 50 milhões de euros em reforços. Já o Montpellier não tinha craques, fez apenas três contratações (os zagueiros brasileiro Hilton e camaronês Bedimo e o atacante francês Tinhan) e tinha um elenco com muitos jovens. E, apesar de ficar com a fama de time mais violento naquele ano, disputou a taça até a última rodada. Venceu com 82 pontos contra 79 do PSG. Teve o artilheiro: o atacante Olivier Giroud (junto de Nenê, do PSG), com 21 gols.

PEQUENOS NO ALTO

  • Argentina: 4 anos
    Foi em 2012 que o Arsenal de Sarandí conseguiu sagrar-se campeão argentino. Os destaques daquele time eram os zagueiros Lisandro López (autor do gol da vitória na última rodada contra o Belgrano) e Guillermo Burdisso, os meio-campistas Carlos Carbonero e Jorge Ortiz. Em 19 jogos, o time venceu 11, empatou cinco e perdeu somente três.
  • México: 4 anos
    Sensação em 2012, o Tijuana faturou o inédito título. A equipe, que tinha Riascos como destaque, bateu na final o Toluca: 2 a 1, em casa, e 2 a 0 fora. No ano seguinte, ficou famoso por quebrar a sequência de 17 jogos de invecibilidade do Corinthians na Libertadores, eliminar o Palmeiras nas oitavas de final e cair para o Atlético-MG nas quartas. 
  • Venezuela: 3 anos
    O Zamora já havia vencido o Torneio Clausura na Venezuela algumas vezes, mas somente em 2012/13 sagrou-se campeão absoluto no país. Isto é, levou a melhor no confronto entre os vencedores do Apertura e do Clausura (taça que tabmém obteve). Na final do torneio nacional, empatou com o Deportivo Anzoátegui por 1 a 1, em casa, e venceu fora por 2 a 1. 
  • Chile: 1 ano
    Rival do Corinthians na Libertadores deste ano, o Cobresal conseguiu um milagre em 2015 ao vencer o Clausura. Desbancou os favoritos: Colo-Colo (dois pontos a menos) e Universidad do Chile. Isso tudo em meio ao caos. Com sede em El Salvador, no Atacama, o clube sofreu efeitos de uma inundação na região e precisou transferir alguns treinos para a capital, Santiago.

OUTROS CASOS

NA EUROPA
Lituânia: SRT Vilnius, 1º título em 1987/88 (28 anos)
Chipre: Apollon Limassol, 1º título em 1990/91 (25 anos)
Polônia: Lubin, 1º título em 1990/91 (25 anos)
Suíça: Sion, 1º título em 1991/92 (24 anos)
Albânia: Teuta Durrës, 1º título em 1993/94 (22 anos)
Sérvia: Obilić, 1º título em 1997/98 (18 anos)
Croácia: NK Zagreb, 1º título em 2001/02 (14 anos)
Ucrânia: Shakhtar Donetsk, 1º título em 2001/02 (14 anos)
Luxemburgo: Grevenmacher, 1º título em 2002/03 (13 anos)
Áustria: Grazer, 1º título em 2003/04 (12 anos)
Bielorrússia: Shakhtyor Soligorsk, 1º título em 2004/05 (11 anos)
Malta: Marsaxlokk, 1º título em 2006/07 (9 anos)
Ilhas Faroe: Streymur, 1º título em 2008 (8 anos)
Suécia: Kalmar, 1º título em 2007/08 (8 anos)
Eslovênia: Koper, 1º título em 2009/10 (6 anos)
Islândia: Breiðablik, 1º título em 2009/10 (6 anos)
Bósnia-Herzegovina: FK Borac Banja Luka, 1º título em 2010/11 (5 anos)
Hungria: Videoton, 1º título em 2010/11 (5 anos)
Macedônia: Shkëndija Tetovo, 1º título em 2010/11 (5 anos)
Noruega: Molde FK, 1º título em 2010/11 (5 anos)
Romênia: Oțelul Galați, 1º título em 2010/11 (5 anos)
República Tcheca: Viktoria Plzen, 1º título em 2010/11 (5 anos)
Andorra: Lusitanos, 1º título em 2011/12 (4 anos)
Bulgária: Ludogorets Razgrad, 1º título em 2011/12 (4 anos)
Estônia: Nõmme Kalju, 1º título em 2011/12 (4 anos)
San Marino: Tre Penne, 1º título em 2011/12 (4 anos)
Montenegro: Sutjeska, 1º título em 2012/13 (3 anos)
Bélgica: KAA Gent, 1º título em 2014/15 (1 ano)
Dinamarca: Midtjylland, 1º título em 2014/15 (1 ano)
Eslováquia: AS Trencín, 1º título em 2014/15 (1 ano)
Finlândia: SJK Seinajoki, 1º título em 2014/15 (1 ano)
Letônia: Liepāja, 1º título em 2014/15 (1 ano)
Moldávia: Milsami Orhei, 1º título em 2014/15 (1 ano)

NA AMÉRICA DO SUL
Suriname: Inter Moengotapoe, 1º título em 2006/07 (9 anos)
Guiana Francesa: US Macouria, 1º título em 2007 (9 anos)
Guiana: Alpha United, 1º título em 2009 (7 anos)

Comentários

38 anos! Saiba qual é a liga nacional há mais tempo sem um campeão inédito

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.