Vaquinha para peitar Nike e Adidas: conheça a empresa que colocou Robinho no Atlético-MG

Francisco De Laurentiis, do ESPN.com.br
Reprodução/Instagram
Atletico-MG Dry World Instagram
Atlético-MG fechou com a canadense Dry World por R$ 20 milhões por ano

Na última quinta-feira, o Atlético-MG anunciou a contratação do atacante Robinho, que chega em parceria com a empresa Dry World, nova fornecedora de material esportivo do "Galo". O acerto com o "Rei das Pedaladas", que será garoto-propaganda da companhia canadense, é parte da estratégia de expansão do grupo, que tem apenas seis anos e também acertou com clubes como Fluminense e Goiás para 2016 - o Santa Cruz também está na mira.

Fundada em 2010 pelo escocês Matt Weingart e pelo canadense Brian McKenzie, dois ex-jogadores de rúgbi, a Dry World começou praticamente em um "fundo de quintal", fabricando um calçado de neoprene que promete deixar os pés dos atletas 100% secos e aquecidos.

Para ganhar notoriedade, a empresa fechou acordos individuais com jogadores da NFL e da CFL (a liga canadense de futebol americano), com os atletas atuando como embaixadores de seus produtos, especialmente o calçado e também luvas de neoprene.

O crescimento foi rápido, com a consolidação das invenções, o lançamento de novos produtos e a expansão da marca para 15 países e novos esportes, como futebol, boxe e MMA, além do futebol americano e rúgbi.

Mas foi ao crescer que a Dry World esbarrou em um problema.

A própria empresa se define como "independente" e diz focar suas atenções no desenvolvimento de equipamentos para melhora de desempenho de atletas, e não na dominação do mercado de material esportivo. Por não ter o mesmo poderio das gigantescas Nike, Adidas e Puma, porém, logo a empresa canadense se viu sem capacidade de produzir o número de itens necessários para manter sua evolução.

Por isso, os donos Weingart e McKenzie resolveram apelar para uma estratégia comum entre as companhias novatas: o crowdfunding - ou, em bom português, a "vaquinha". Através de um site, a companhia levantou US$ 100 mil dos US$ 250 mil necessários para produzir 9 mil peças que estavam atrasadas.

Reprodução
Dry World Crowdfunding
Campanha de crowdfunding da Dry World ironizou a Nike

"Fizemos essa campanha porque estamos cansados do status quo. As grandes corporações só se importam em fazer seus acionistas ganharem dinheiro, mas nós da Dry World só queremos colocar o melhor produto em suas mãos para que seu desempenho possa ser o melhor possível", justificou Weingart, na campanha de crowdfunding.

Divulgação/Dry World
Goias Uniforme Dry World
Goiás também acertou com a Dry World

Para quem ajudasse na "vaquinha", a empresa canadense deu alguns brindes, como um colar com o logotipo da marca e camisetas com mensagens bastante irônicas. Em uma delas, o recado é direto: "Nike, você está obsoleta".

Agora, o Dry World expande seus negócios para o ramo dos uniformes de futebol, e com altos investimentos. O acordo com o Atlético-MG, por exemplo, é o maior que a equipe mineira conseguiu em toda a sua história: R$ 20 milhões por ano.

O lançamento da nova camisa atleticana será na próxima segunda-feira, mesmo dia em que Robinho já deve ser apresentando vestindo a camisa da companhia canadense.

Comentários

Vaquinha para peitar Nike e Adidas: conheça a empresa que colocou Robinho no Atlético-MG

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.