2º brasileiro na história do All Star é o mais 'pobre' do fim de semana das estrelas da NBA

Igor Resende, do ESPN.com.br
Getty
Raulzinho, o segundo brasileiro a disputar o All Star Weekend da NBA
Raulzinho, o segundo brasileiro a disputar o All Star Weekend da NBA

Raulzinho não sabia muito bem o que esperar de sua carreira na NBA quando assinou com o Utah Jazz. Em um time recheado de jovens promessas, ele poderia ficar sem muitos minutos em quadra, como acontece com a maioria dos atletas em suas primeiras temporadas na principal liga de basquete do mundo.

Pouco tempo depois, porém, Raulzinho não só se firmou na equipe como também se tornará o segundo brasileiro na história a disputar o Jogo das Estrelas. Ele representará o ‘Time Mundo' no duelo de novatos e segundo-anistas na noite desta sexta-feira, com transmissão AO VIVO da ESPN e do WatchESPN, que também mostrarão a competição de enterradas e cestas de três, no sábado, a partir das 23h, e o duelo entre as equipes do Leste e do Oeste no domingo, a partir das 22h30.

Antes dele, só Nenê havia representado o Brasil no fim de semana das estrelas, em 2003 e 2004, também para o duelo de novatos. Tiago Splitter chegou a ser chamado para o jogo em 2012, mas não foi por conta de uma lesão.

Mas essa evolução rápida e até inesperada gerou também uma situação curiosa: Raulzinho vai para quadra no All Star Game com o pior dos salários do fim de semana das estrelas.

O armador brasileiro tem um contrato de US$ 840 mil (pouco mais de R$ 3,3 milhões) para esta temporada. Até parece muito dinheiro, mas, para os padrões da NBA, está muito longe disso.

Raulzinho é um dos três atletas do All Star Weekend com salários que não são milionários - Dwight Powell, do Dallas Mavericks, e Jordan Clarkson, do Los Angeles Lakers, ganham US$ 845 mil cada.

Mesmo no Utah, o brasileiro tem o menor salário da equipe.

Melhor All-Star Game da história, rivalidade no torneio de enterradas e craques dos 3 pontos no NBA Countdown Brasil

Como base de comparação, Andrew Wiggins tem o maior salário do duelo entre calouros e segundo anistas, com US$ 5,7 milhões (pouco menos de R$ 23 mi), Gordon Hayward é quem mais ganha em Utah com US$ 15,4 milhões (mais de R$ 61 mi) e Kobe Bryant, em sua última temporada nos Lakers, tem o maior vencimento da NBA, com nada menos que US$ 25 milhões (quase R$ 100 mi).

Raulzinho contou com algumas lesões no Jazz, como as de Alec Burks, e também com a nova estratégia da equipe de transformar a promessa Trey Burke em uma espécie de sexto homem para aumentar seu tempo em quadra. O brasileiro foi titular em 50 dos 51 jogos de Utah até aqui e vem jogando uma média de 20 minutos, com 6,2 pontos, 2,5 assistências e um roubo de bola por partida.

LeBron na frente de Magic? Hofman e Agra debatem lista da ESPN e elegem time dos sonhos da NBA

Sonho olímpico desde a barriga da mãe

Raulzinho é Raul Togni Neto. Raul Togni Filho, o pai dele, também foi jogador de basquete. E dos bons, com passagens pelos principais times do país e também pela seleção brasileira.

A família, aliás, conta com uma história curiosa. Raul, o pai, desistiu da Olimpíada de 1992 por conta de Raul, o filho. Ele estava na lista dos pré-convocados para os Jogos, mas resolveu pedir a dispensa para poder acompanhar o nascimento de Raulzinho. E, claro, garante: nunca se arrependeu da decisão.

Raul pai ainda virou treinador após encerrar sua carreira como jogador. E tem outros dois filhos que tentaram a carreira no basquete: Diego e Gabriel Leal.

Nenhum deles, porém, com o mesmo sucesso daquele que viveu o basquete e o sonho olímpico desde o nascimento.

Comentários

2º brasileiro na história do All Star é o mais 'pobre' do fim de semana das estrelas da NBA

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.