Sob vaias, Palmeiras sofre sustos, volta a tropeçar e fica no 0 a 0 com o Oeste

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Assista aos melhores momentos do empate entre Oeste e Palmeiras por 0 a 0!

Dois jogos sem vitórias, e a volta da pressão - refletida nas vaias do público que compareceu ao Estádio Anísio Haddad.

O Palmeiras, novamente, tropeçou no Campeonato Paulista. Em confronto realizado na noite desta quarta-feira na cidade de São José do Rio Preto, o clube alviverde sofreu sustos e dependeu de boa atuação de Fernando Prass para ficar no empate sem gols com o Oeste. Foi o segundo jogo consecutivo sem vitórias no estadual.

Três jogos: uma vitória e dois empates. A campanha irregular deixa o Palmeiras, porém, na liderança do grupo B do Paulistão. Com cinco pontos, a equipe comandada por Marcelo Oliveira ultrapassou o São Bernardo, que pode chegar aos sete se vencer nesta quinta-feira o Botafogo-SP, no Estádio Santa Cruz.

O Oeste, em contrapartida, permanece com quatro pontos, na terceira colocação do grupo A do Paulista. A liderança nesta chave é do Santos, que somou sete pontos nas três rodadas que disputou.

Decepcionante

Marcelo Oliveira escalou nesta quarta-feira o time que deve atuar na estreia do clube na Libertadores. Mas o futebol terá de ser muito melhor do que a mistura de confusão e erros mostrada nesta noite, em São José do Rio Preto.

Com Roger Carvalho na zaga, substituindo o sacado Leandro Almeida e ocupando a vaga enquanto Edu Dracena não se recupera de lesão na panturrilha direita, o setor defensivo do Palmeiras voltou a dar susto. Já aos 13 minutos, Lucas trombou com Roger na entrada da área e o gol do Oeste não saiu porque o veterano Marcelinho Paraíba chuta em cima dos rivais.

CÉLIO MESSIAS/Gazeta Press
Goleiro Jefferson Romário foi um dos destaques do Oeste
Goleiro Jefferson Romário foi um dos destaques

O lance mostrou o lado que se tornaria um problema para o time alviverde. Lucas não subia e mal marcava Fernandinho, lateral esquerdo que jogou no Palmeiras em 2012 e 2013. Foi por ali que o time mandante, que preferiu atuar em São José do Rio Preto, passou a ocupar o campo adversário e ter espaço para finalizar. Para sorte de Fernando Prass, sem qualidade nos arremates e até em cruzamentos.

O Palmeiras só conseguiu encontrar saída de sua intermediária quando passou a jogar pelos lados do campo. Aos 19 minutos, enfim, um lance de perigo: o goleiro Jeferson Romário cortou cruzamento perigoso de Zé Roberto e Jean chutou com perigo no rebote. Mas pareceu faltar fôlego para a equipe de Marcelo Oliveira se manter na frente causando danos ao rival. Não ocorriam as movimentações tão treinadas.

Robinho só pegava na bola quando recuava, Dudu arrancava sem opções para passe e Gabriel Jesus era uma lástima, errando quase tudo que tentava. Barrios se mexia, mas pouco conseguia participar. Assim, outra oportunidade de perigo só aos 45 minutos, em nova chegada de Jean, que aproveitou passe de Dudu e bateu rente à trave direita.

Nem Rafa Marques resolveu...

Para o segundo tempo, Marcelo Oliveira trocou Robinho por Rafael Marques, fixando Dudu no meio da linha de armação. Mas ainda faltava mobilidade e velocidade para causar problemas, até porque Gabriel Jesus seguia com a sina de não acertar nada. Para piorar, não fosse bela espalmada de Fernando Prass, o Oeste teria aberto o placar com Betinho, aos quatro minutos.

O Palmeiras acordou mesmo quando Gabriel Jesus foi trocado por Erik, que incendiou a partida já nos primeiros lances. Causou escanteio que Zé Roberto cobrou e Roger Carvalho cabeceou no travessão, aos 13 minutos, e logo começou a correr, dando trabalho aos marcadores do Oeste, que já não conseguia ocupar o campo do clube alviverde como no começo do jogo.

O técnico do Oeste passou a olhar para o relógio, tenso para somar algum ponto, e Marcelo Oliveira tentou aproveitar a situação mexendo em mais uma peça inútil de seu setor ofensivo. Colocou Cristaldo no lugar de Barrios, que ouviu vaias ao caminhar para o banco de reservas.

O Oeste, contudo, voltou a levar perigo em cobrança de falta de Marcelinho Paraíba, rebatida por Prass aos 32 minutos, em bola isolada por Renan Mota, livre na marca do pênalti, no minuto seguinte, e em chute de Fernandinho que Prass pegou, aos 37. O Palmeiras respondeu aos 36, trocando passes até Zé Roberto cruzar para Cristaldo cabecear em cima de Jeferson Romário.

Fernando Prass ainda realizou grandes defesas nos minutos finais e o Palmeiras, por incrível que pareça, pode até comemorar não ter perdido para o Oeste nesta noite. O atual campeão da Copa do Brasil ainda não jogou o suficiente para deixar sua torcida tranquila.

Próximo desafio

Depois de encarar um compromisso no interior de São Paulo, o Palmeiras volta para o Allianz Parque, onde, no sábado, recebe o Linense. O Oeste retorna a campo na mesma data para enfrentar o Ituano, fora de casa.

FICHA TÉCNICA:
OESTE 0 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto (SP)
Data: 10 de fevereiro de 2016, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Rogerio Pablos Zanardo e Alex Ang Ribeiro (ambos de SP)
Público: 15 mil pagantes
Renda: R$ 826.900,00
Cartões amarelos: Guilherme (Oeste); Robinho (Palmeiras)

OESTE: Jéferson Romário; Amaral, Brinner, Ligger e Fernandinho; Betinho (Leandro Melo), Elivélton, Renan Mota, João Gabriel (Guilherme) e Marcelinho Paraíba (patrik); Ricardo Bueno. Técnico: Renan Teixeira

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca, Jean, Robinho (Rafael Marques), Dudu e Gabriel Jesus (Erik); Barrios (Cristaldo). Técnico: Marcelo Oliveira

Comentários

Sob vaias, Palmeiras sofre sustos, volta a tropeçar e fica no 0 a 0 com o Oeste

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.