Romário, 50 anos: 'Quando nasci, papai do céu apontou para mim e disse: Esse é o cara'

André Donke, Bianca Daga, Rafael Valente, Vladimir Bianchini e Ricardo Zanei
Romário completa 50 anos nesta sexta! Relembre lances da carreira do craque brasileiro

"Quando eu nasci, papai do céu apontou o dedo para mim e disse: 'Esse é o cara'."

Por uma, duas, várias vezes, Romário soltou essa frase, que reflete um pouco de tudo o que ele foi e é, dentro e fora dos gramados, no Brasil e no mundo. Nada modesto e sempre polêmico, o Baixinho da eternizada camisa 11 comemora 50 anos de vida nesta sexta-feira, 29 de janeiro.

O ex-jogador e atual senador coleciona outras incontáveis frases emblemáticas como essa, que se juntam a gols - muitos gols -, títulos, glórias, risos, choros, tapas, socos e aventuras na bola, na vida e na política, relatadas abaixo em 50 passos. Divirta-se! E parabéns, Baixinho!

primeiros passos

  • Debute
    25/11/1979 - Naquele dia, Romário entrou em campo pela primeira vez para dar início à sua carreira no futebol, aos 13 anos. A partida foi pelo torneio infantil do Rio de Janeiro entre Olária e América, no campo da rua Bariri. O atacante fez três gols no goleiro Belô, sua primeira vítima, e foi o grande nome na goleada do Olaria por 5 a 1.
  • Romário é gol
    18/8/1985 - Seis anos depois, aos 19, Romário marcou seus primeiros gols já como jogador profissional, começo de uma trajetória de mais de mil. A rede balançou na goleada do Vasco sobre o Nova Venécia por 6 a 0, no estádio Zenon Pedrosa Rocha, no Espírito Santo. O jogo foi visto por 2.708 pessoas, e o atacante marcou os dois últimos gols.

  • Amarelinha
    28/5/1987 - Romário marcou seu primeiro gol pela seleção brasileira principal em um amistoso contra a Finlândia. O Brasil venceu por 3 a 2, e o Baixinho abriu o placar aos 43 minutos do primeiro, seis depois de entrar em campo no lugar de Mirandinha no Helsinki Olympic Stadium.

O mito da 11

7/7/1988 - Romário vestiu a camisa 11 da seleção pela primeira vez e fez o gol da vitória do Brasil sobre a Austrália por 1 a 0 pelo Torneio Bicentenário, em Melbourne.

 

glórias

  • É campeão!
    30/1/1985 - Convocado para o Campeonato Sul-Americano sub-20, Romário não decepcionou. Foi o artilheiro com cinco gols e escolhido o craque do torneio. Na final, disputada nessa data, o Brasil venceu o Paraguai por 2 a 1, no estádio Defensores del Chaco, com dois gols do atacante.
  • Primeiro capítulo
    23/5/1987 - O Baixinho estreou na seleção brasileira principal aos 21 anos, na derrota para a Irlanda por 1 a 0, em amistoso disputado no estádio Lansdowne Road, em Dublin. Ele começou a partida na reserva e entrou no lugar de Mirandinha aos 23 minutos do segundo tempo.
  • Volta olímpica no Vasco
    30/5/1986 - Há 30 anos, Romário levantava a segunda taça de sua carreira, a primeira pelo Vasco. O atacante fez dois gols na goleada sobre o Tupi por 4 a 1, na final do Torneio Cidade de Juiz de Fora, em MG.
  • Do outro lado do mundo
    17/7/1988 - O atacante marcou um dos gols do Brasil na vitória contra a Austrália por 2 a 0, em Sidney, na final do Torneio Bicentenário da Austrália. Foi o primeiro título de Romário pela seleção brasileira principal.

Top 11, por romário

 

A ‘amarelhinha’ é dele

  • Fim do tabu
    16/7/1989 – Foi de Romário, aos 49 minutos do primeiro tempo, o gol da seleção brasileira na vitória histórica sobre o Uruguai por 1 a 0, no Maracanã, na final da Copa América de 1989. O Brasil voltou a levantar a taça da competição após 40 anos.
  • Salvador da pátria
    20/9/1993 – Romário ficou 278 dias afastado da seleção (18 jogos), mas voltou para salvar a pátria. Fez os dois gols de Brasil 2 x 0 Uruguai na última rodada das eliminatórias da Copa de 1994, resultado que garantiu a classificação dos dois países.
  • Campeão do mundo
    17/7/1994 – O auge do Baixinho foi em Pasadena, subúrbio de Los Angeles, nos EUA. Lá ele jogou a final da Copa do Mundo contra a Itália e, apesar do 0 x 0, foi campeão mundial com o Brasil nos pênaltis (3 a 2). Romário converteu a segunda cobrança, depois de Marcio Santos perder a primeira. Foi o primeiro título mundial da seleção em 24 anos.
  • Empilhando taças
    21/12/1997 – A seleção brasileira goleou a Austrália por 6 a 0, em Riad, e foi campeã da Copa das Confederações. Romário e Ronaldo, uma das melhores duplas da história do futebol brasileiro, fizeram três gols cada um. No mesmo ano, o Baixinho conquistou a Copa América com o Brasil, na edição disputada na Bolívia.

Vai um Cafezinho?

Gazeta Press

6/3/1997 – Na goleada do Flamengo sobre o Madureira por 7 a 0, na Gávea, o ex-lateral Cafezinho tentou acertar um chute em Romário e, em troca, foi agredido pelo Baixinho. "Foi uma briga boa porque nós dois éramos do mesmo tamanho. Eu encontrei um adversário à altura e as coisas se resolveram ali mesmo”, disse o atacante na época.

 

Quase...

Getty

1/10/1988 - Romário colocou o Brasil em vantagem no placar na decisão dos Jogos Olímpicos de Seul, e a seleção brasileira parecia estar próxima do inédito ouro olímpico, meta pessoal do Baixinho. Mas os soviéticos tinham jogadores mais experientes, acostumados a jogar grandes competições: empataram e, na prorrogação, viraram. 2 a 1, prata e fim do sonho do ouro olímpico.

 

Melhor do mundo no Flamengo

14/1/1995 - Romário estava a poucos dias da eleição que o coroaria o melhor do mundo na temporada 1994 e, de forma surpreendente, deixou o Barcelona para voltar ao Brasil. Foi anunciado pelo Flamengo neste dia. Ao chegar ao clube rubro-negro, foi recebido por uma multidão no Rio de Janeiro e desfilou em cima de uma carreta, que cruzou diversos pontos da cidade. 

 

Baixinho à tapa


  • Gozação e pancadaria
    22/6/1988 – Após Cocada fazer o gol que daria ao Vasco o título do Carioca contra o Flamengo, no Maracanã, Romário decidiu provocar Renato Gaúcho, que revidou com palavrões. O Baixinho tentou dar um chute no rival, não acertou e levou um pontapé de Alcindo. Foi o início de uma pancadaria, e os dois artilheiros foram expulsos.
  • Bateu, levou
    14/5/1994 – Provocado por Simeone com uma cotovelada, Romário, no Barcelona, revidou com um soco no argentino do Sevilla e foi expulso na vitória por 5 a 2. O Baixinho foi suspenso por quatro jogos no Espanhol. "Ele me acertou e xingou minha mãe. Eu esperei um pouco, aproveitei um momento em que ele estava passando, armei e dei."
  • Só um tapinha?
    15/9/2002 – Outra briga. O Fluminense foi goleado pelo São Paulo por 6 a 0 em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. No calor do jogo, Romário deu um tapa no rosto do zagueiro Andrei, seu companheiro de time no clube carioca, após eles discutirem. O episódio rendeu ao Baixinho suspensão por um jogo pelo STJD.

 

Voadora hermana

3/10/1995 - Talvez a briga mais famosa de Romário tenha sido quando ele acertou o argentino Zandoná com uma voadora. O lance ocorreu na vitória do Flamengo sobre o Vélez por 3 a 0, no Parque do Sabiá, pela Supercopa Libertadores. Antes, o rival havia dado um soco em Edmundo, o que iniciou toda a confusão.

 

Números e feitos

  • 1.002
  •  
  • É a quantidade de gols marcados por Romário em 24 anos como jogador. O Baixinho inclui na conta seus 77 tentos pelas equipes de base e outros 21 em jogos festivos. Como profissional, fez 904 gols.
  • 5
  • O máximo de gols que Romário fez em uma mesma partida. A primeira vez foi em um amistoso pelo PSV, nos 15 a 0 sobre o Rodan, em 31 de julho de 1990. A segunda foi pelo Flamengo, diante do Olaria, na Rua Bariri: 6 a 2 pelo Estadual do Rio.
  • 3
  • Foram os gols marcados na vitória, de virada, do Vasco sobre o Palmeiras, por 4 a 3, na final da Copa Mercosul, em 20 de dezembro de 2000, dando o título aos cariocas no jogo que ficou conhecido como “A Virada do Século”.
  • 22
  • Marcou Romário no Campeonato Brasileiro de 2005. Aos 39 anos, ele surpreendeu ao terminar como artilheiro máximo da competição pelo Vasco. Na última partida, fez dois gols na vitória do Vasco por 3 a 1 contra o Paraná, em 4 de dezembro.

 

Presente holandês

Getty

8/1/1994 - Em entrevista ao jornal francês L'Équipe, Johan Cruyff contou um episódio que viveu com Romário na época que o treinava no Barcelona. O brasileiro pediu para faltar a dois treinos para vir ao Brasil, e o holandês disse que se ele fizesse dois gols no jogo seguinte, teria dois dias a mais de folga que o restante da equipe. Gol não era problema: o Baixinho fez três na vitória do Barça sobre o Real por 5 a 0. Resultado: folga merecida e desembarque no Rio de Janeiro.

 

Peregrinação

Getty

Em busca do milésimo gol, Romário aceitou uma oferta do Miami FL Strikers para jogar por seis meses. Partiu no dia 31 de março de 2006 e fez 22 gols em 28 jogos. Após a passagem pelo time norte-americano, acertou com o Adelaide United, da Austrália, em 29 de setembro de 2006. No entanto, fez somento quatro jogos e marcou um único gol.

 

MIL vezes Romário

20/5/2007 - Romário fez seu gol mil com a camisa do Vasco, de pênalti: foi o terceiro na vitória sobre o Sport por 3 a 0, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

 

quase lá

  • Na trave
    19/12/1993 - Romário não precisou de títulos para alcançar o posto de segundo melhor do mundo. Depois de ter sido o artilheiro da Champions League pelo PSV com sete gols, além de ter deixado sua marca 21 vezes no Campeonato Holandês, foi contratado pelo Barcelona no meio do ano. Mesmo sem taças, encantou a Europa e, na terceira edição do prêmio da Fifa, foi o primeiro brasileiro a ficar entre os finalistas. Roberto Baggio foi escolhido como melhor do mundo.
  • Acabou a confiança
    1/7/2001 – A seleção brasileira foi derrotada pelo Uruguai por 1 a 0, no estádio Centenário, pelas elimintaórias da Copa do Mundo de 2002, e este foi o último jogo de Romário sob o comando do técnico Felipão. O motivo oficial é que o Baixinho pediu dispensa da Copa América (realizada pouco depois, na Colômbia) para fazer uma cirurgia no olho. O treinador atendeu o pedido, mas o atacante, em vez de fazer a operação, viajou com a delegação do Vasco para jogar amistosos.
  • O povo pediu
    21/5/2002 - Apesar do clamor popular, Felipão anunciou nesta data os convocados para a Copa do Mundo no Japão e na Coreia do Sul e ignorou Romário. Restou ao Baixinho apenas "chorar" por ter perdido a chance de disputar seu último Mundial. Na Copa seguinte, em 2006 (Alemanha), ainda jogava, mas não foi nem cogitado. 
  • Copa do banco
    24/6/1990 - Romário fez cirurgia no fíbula (osso da perna) antes da Copa do Mundo de 1990, disputada na Itália. Recuperado, mas fora de forma, teve atuação apagada: assistiu ao Mundial do banco em três jogos e foi titular em um. O Brasil foi eliminado nas oitavas de final, após perder para a Argentina por 1 a 0, gol histórico de Caniggia.

 

corte e choro

Getty

3/6/1998 – Romário formaria o ataque da seleção com Ronaldo, mas nesse dia foi cortado da Copa da França (a oito dias do início) por Zagallo, graças a uma lesão muscular na perna. "Sabia que não teria condições de disputar as primeiras partidas, mas a maior prova de que eu poderia jogar a Copa é que, quando o Brasil enfrentou a Dinamarca (pelas quartas de final), eu atuei no dia seguinte em um amistoso do Flamengo e até marquei o gol da vitória sobre o Internacional", disse, na época, o camisa 11.

 

"dono" do mundo

Fifa/Divulgação

30/1/1995 - Nessa data, em Lisboa, Romário foi escolhido como melhor jogador do mundo na quarta edição do prêmio concedido pela Fifa. Foi o resultado de uma votação entre 96 técnicos de seleções de todo o planeta. O Baixinho, que superou Hristo Stoichkov (2º) e Roberto Baggio (3º), foi o primeiro brasileiro a conquistar a honraria.

 

Explica, Baixinho!

  • Fura olho do técnico?
    18/8/1985 – Romário perdeu a chance de disputar sua primeira Copa. Foi cortado pelo técnico Gilson Nunes do Mundial sub-20 mesmo após ter se destacado no Sul-Americano. A versão oficial é que ele circulava pelo hotel sem permissão e sem roupa, mas o pai do ex-jogador revelou, em 2006, que o motivo é que o filho teve um encontro com a mulher do treinador.
  • Polêmica e geladeira
    16/12/1992 – Convocado por Carlos Alberto Parreira para um amistoso contra a Alemanha, Romário ficou no banco, não jogou e reclamou publicamente. Há uma versão jamais confirmada oficialmente de que ele foi cortado porque teria urinado em torcedores da sacada do hotel onde a seleção ficou e isso teria lhe custado a titularidade na partida.
  • Prisão
    14/7/2009 - Romário passou 22 horas detido no Rio de Janeiro por atraso de dois meses na pensão alimentícia dos filhos Romarinho (15 anos, na época) e Moniquinha (19), do casamento com Mônica Santoro. Para conseguir a liberdade, o ex-jogador depositou R$ 89.641,44 na conta da ex-mulher, que tinha aberto processo em maio.

 

Virou estádio

Duque de Caxias/Divulgação

2007: O nome do Baixinho foi utilizado para batizar o estádio Duque de Caxias, em Xerém, no Rio de Janeiro, que passou a se chamar Estádio Romário de Souza Faria, popularmente conhecido com “Marrentão”, com capacidade para 7 mil torcedores.

 

À la Rivellino

7/2/1999 - Com direito a ‘elástico’ no volante Amaral, imitando o famoso drible de Rivellino, Romário fez um dos gols mais bonitos da carreira. Ao se livrar do rival, ainda finalizou, sem ângulo e encobrindo o goleiro Nei, na vitória do Flamengo por 3 a 0 sobre o Corinthians, no Pacaembu. O gol foi eleito por ele um dos 11 mais bonitos que já fez.

 

Promessa cumprida

Photocamera

25/11/2009 – Para cumprir uma promessa feita ao pai – falecido no ano anterior –, Romário vestiu a camisa do América-RJ na vitória sobre o Arsul por 2 a 0, que valeu o título da Série B do Campeonato Carioca. O ex-jogador, que estava com 43 anos e havia entrado em campo pela última vez em 2007, pelo Vasco, jogou 27 minutos.

 

Despedida da seleção

DJALMA VASSÃO/Gazeta Press

27/4/2005 - Foi em São Paulo, e não no Rio de Janeiro, que Romário vestiu pela última vez a camisa da seleção brasileira. Em sua despedida, diante de 36.235 torcedores no Pacaembu, o Baixinho fez o segundo da vitória do Brasil por 3 a 0 sobre a Guatemala.

 

coleção de confusões

  • Rei, príncipe e bobo...
    29/3/2000 – Após a vitória do Vasco sobre o Olaria por 4 a 1, em São Januário, pelo Campeonato Carioca, Romário rebateu uma declaração de Edmundo, que chamava Eurico Miranda de rei e o camisa 11 de príncipe pelas regalias que ele tinha: "A corte está toda feliz: o rei, o príncipe e o bobo."
  • Todo poderoso
    14/7/1995 - Após brigas públicas com Romário, Vanderlei Luxemburgo deixou o comando técnico do Flamengo. Foram vários atritos. O atacante disse que não queria mais ficar concentrado, sugeriu mudanças em membros da comissão técnica, atrasava em treinos e chegou até a indicar jogadores ao clube.
  • Provocação
    18/8/1998 - Por ordem da Justiça do Rio de Janeiro, Romário teve de tirar as caricaturas de Zico e Zagallo que ilustravam as portas do banheiro de sua boate, a Café do Gol, também em solo carioca. Zico aparecia segurando um rolo de papel higiênico, e Zagallo sentado no vaso sanitário.
  • Saída polêmica
    11/11/1999 - O último jogo do Baixinho pelo Flamengo foi neste dia, com derrota por 3 a 1 para o Juventude em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Ele foi afastado do clube após articular uma festa com outros jogadores do elenco na cidade gaúcha e aparecer em fotos com modelos.

melhores do século

Reprodução

4/3/2004 - Em uma lista elaborada por Pelé a pedido da Fifa, a rivalidade foi deixada de lado, e Romário foi incluído entre os cem melhores jogadores do século 20.

 

Calado é um poeta

Acervo Gazeta Press

15/1/2005 - Pelé disse que Romário deveria se aposentar porque estava manchando sua carreira ao estendê-la. Em coletiva nessa data, o Baixinho respondeu: "Pelé calado é um poeta. Nem gostaria de responder a isso, mas existem pessoas que merecem ouvir. A gente sabe que o Pelé só fala merda. Mais uma vez tem que se meter na minha vida. Não me meto na vida dele, não sei por que ele se mete na minha. Como jogador, eu já falei e volto a falar que ele foi o maior de todos, é o nosso rei, o nosso Deus. Mas ele tinha que colocar um sapato na boca. Acho que isso seria o melhor para ele."

 

Vida política

  • O começo
    3/10/2010 - Romário entrou para a política e foi eleito deputado federal pelo PSB-RJ, sendo o sexto candidato mais votado no Rio de Janeiro, com um total de 146.859 votos;

    5/10/2014 - Quatro anos depois, um novo cargo: foi eleito senador pelo Rio de Janeiro, com 4.683.963 votos.
  • Presidente ou não
    15/10/2014 – Filho do senhor Edevair, torcedor fanático do América-RJ, Romário foi eleito presidente do clube com 190 votos a favor. No entanto, alegando o não cumprimento de compromissos estabelecidos entre ele e a diretoria, o ‘Baixinho’ desistiu do cargo no dia 11 de novembro, e o então presidente Léo Almada foi reeleito.
  • Dinheiro na Suíça
    27/7/2015 – A revista "Veja" publicou uma matéria afirmando que Romário teria uma conta no banco suíço BSI com um saldo de R$ 7,5 milhões. Romário foi à Suíça para provar sua inocência e conseguiu: o banco informou que o extrato publicado era falso e apresentou queixa ao ministério público. A revista, então, pediu desculpas publicamente.

"Você é corrupto"

Romário acusou Del Nero, que se defendeu: 'Não há motivo para eu ser preso'

16/12/2015 - Durante reunião no Senado, Romário, presidente da CPI do Futebol, travou um diálogo em forma de batalha com o então presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero, suspeito de integrar um esquema internacional de corrupção de futebol, como parte do escândalo que assolou a cúpula da Fifa. Sem papas na língua, o ex-jogador falou: "Além de corrupto e ladrão, você é mentiroso."

Comentários

Romário, 50 anos: 'Quando nasci, papai do céu apontou para mim e disse: Esse é o cara'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.