A jornal, Paulo Nobre diz que não pedirá reforços à patrocinadora: 'Não é justo'

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Presidente palmeirense afirmou que time 'anda com as próprias pernas'
Presidente palmeirense afirmou que time 'anda com as próprias pernas'

O Palmeiras não contratará reforços a partir do dinheiro de seus patrocinadores, a Crefisa e a FAM (Faculdade das Américas). Pelo menos é o que garante Paulo Nobre, presidente do clube alviverde. O mandatário afirmou que pretende gastar apenas apenas aquilo que o clube arrecadou e o que possui em caixa.

"Enquanto o Palmeiras conseguir caminhar com as próprias pernas, não é justo pedir ajudar para o patrocinador", disse o mandatário ao jornal O Estado de São Paulo. "Eles pagam pontualmente um patrocínio maravilhoso. Não é porque eles têm muito dinheiro que têm a obrigação de investir no clube. Daqui a pouco, é capaz de torcedor cobrá-los por isso", continuou.

Questionado sobre o evidente distanciamento com as patrocinadoras, Nobre apenas diz que "a relação patrocinador e patrocinado cabe só as duas partes. Estou muito satisfeito e agradecido a todos os patrocinadores. Sem eles, dificilmente a gente teria chegado onde chegamos".

Mas as empresas, por exemplo, já não estão tão certas na ideia de bancar a construção de um hotel para o elenco na Academia de Futebol. No momento, as obras estão paradas.

"Os patrocinadores deram uma alavancada grande na obra, mas repito: eles não têm obrigação nenhuma de fazer isso. Ajudaram demais. Se terminarem a obra, será excelente. Caso contrário, vamos terminar no nosso ritmo. Não vamos deixar a obra parada. Só resta saber se o término das obras será no ritmo deles ou no nosso", contou.

O Palmeiras só não garante para seu torcedor o que pode ser considerada uma 'grande contratação'. Com a responsabilidade financeira que prega, Nobre ressalta que a equipe foi capaz de conquistar a Copa do Brasil de 2015 - embora a Crefisa tenha ajudado diretamente nas contratações do atacante Lucas Barrios, do volante Thiago Santos e do zagueiro Leandro Almeida, além da renovação com o zagueiro Vitor Hugo até agosto de 2020.

"A gente não pretende trabalhar com irresponsabilidade financeira pelo simples fato de estar na Libertadores. O Palmeiras precisa ser forte sempre e vamos atrás de quem julgarmos necessários em posições que gostaríamos de estar mais reforçados. Todas as contratações serão feitas pensando no retorno esportivo e não em marketing", afirmou o presidente, confirmando também a renovação do contrato com a Adidas como fornecedora de material esportivo até o fim de 2016.

Comentários

A jornal, Paulo Nobre diz que não pedirá reforços à patrocinadora: 'Não é justo'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.