Em fim épico, Rodgers opera milagre, e Packers vencem Lions com virada absurda

ESPN.com.br
Getty
Aaron Rodgers comemoram com os companheiros a vitória dos Packers sobre os Lions
Aaron Rodgers comemoram com os companheiros a vitória dos Packers sobre os Lions

Milagre, absurdo, fenomenal... Escolha a palavra. Ainda assim, será difícil explicar o que aconteceu na noite desta quinta-feira na NFL. Depois de estar perdendo por 20 a 0, o Green Bay Packers venceu o Detroit Lions, por 27 a 23, com direito a maior Hail Mary da história da liga, com o relógio já zerado.

Isso mesmo: já sem tempo no relógio, graças a uma infração cometida pela defesa dos Lions, o quarterback Aaron Rodgers teve uma última chance de ganhar o jogo. Para isso, porém, ele precisou acertar, no desespero, um lançamento de 61 jardas, recebido pelo tight end Richard Rodgers na endzone.

Com seis segundos no relógio, o placar era de 23 a 21 para os Lions. Para tentar a virada, os Packers foram para a jogada de rúgbi: Rodgers passou para James Jones, que deu a bola para Richard Rodgers, que devolveu para o quarterback. E aí o time de Detroit teve um vilão: o defensive end Devin Taylor.

Ao tentar taclear o quarterback adversário, Taylor acabou pegando na grade de proteção do capacete de Rodgers, o que resultou em uma falta de 15 jardas e mais uma jogada para os visitantes, já com o cronômetro zerado. Em cerca de 13 segundos, do snap até a recepção, a NFL viu um final épico.

O simples fato de os Packers chegarem à última jogada com chances de vitória já seria admirável. Com pouco mais de três minutos para o início quarto final da partida, o placar ainda era de 20 a 0 para os Lions, até que, enfim, os visitantes conseguissem entrar na endzone rival pela primeira vez na noite.

Getty
Richard Rodgers consegue recepção improvável
Richard Rodgers consegue recepção improvável 

E mesmo o primeiro touchdown dos Packers foi dramático, conseguido graças a um fumble recuperado pelo wide receiver Randall Cobb dentro da endzone. Uma nova bola viva, desta vez perdida pelos Lions, deu início à campanha do segundo TD dos visitantes, que voltaram ao jogo no fim do terceiro quarto.

No início do último período, os Lions conseguiram mais três pontos em field goal do kicker Matt Prater, mas Rodgers parecia mesmo determinado a ser decisivo: a quatro minutos do fim, o quarterback não achou nenhum alvo na endzone e resolveu com as próprias pernas, deixando o placar em 23 a 21.

Com o maior touchdown em uma Hail Mary da história da NFL, Rodgers acabou a partida com dois passes para TD, 273 jardas aéreas e ainda 27 terrestres, também para um TD - foi interceptado uma vez. Matthew Stafford, quarterback dos Lions, teve dois passes para TD e 220 jardas aéreas.

Essa foi a terceira vez na história da franquia que os Packers conseguiram sair de uma desvantagem de 20 a 0 no segundo tempo e vencer o jogo. A última em 2013, contra o Dallas Cowboys; e a primeira em 1982, contra o St. Louis Rams.

A virada deixa os Packers com campanha de oito vitórias e quatro derrotas, na briga pela liderança da NFC Norte, atrás do Minnesota Vikings, que tem um revés - e um jogo - a menos. Os Lions estão na lanterna da mesma divisão, com quatro triunfos em 12 partidas até aqui.

Na próxima semana, a 14ª da NFL, os Packers recebem os Dallas Cowboys, enquanto os Lions visitam o St. Louis Rams.

Comentários

Em fim épico, Rodgers opera milagre, e Packers vencem Lions com virada absurda

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.