Projeto de lei quer transformar eSports em esporte no Brasil

ESPN.com.br
ACIGAMES
deputado João Henrique Caldas, do PSB, que encabeça o projeto de lei Projeto de Lei 3450/2015
Deputado João Henrique Caldas, do PSB, que encabeça o Projeto de Lei 3450/2015

Encabeçado pelo deputado João Henrique Caldas, do PSB de Alagoas, o Projeto de Lei 3450/2015 quer adicionar o inciso V ao artigo 3º da Lei 9.615/1998 que "institui normas gerais sobre desporto" para reconhecer o desporto virtual como prática esportiva. Ou seja: transformar o nosso querido eSports em uma categoria nacional de esportes.

A PL foi apresentada em outubro e, no momento, aguarda parecer do relator da Comissão do Esporte (CESPO), criada em 2014 para cuidar de tudo o que envolve o esporte no país.

Como é nos outros países?

Em 2013, os EUA começaram a considerar jogadores de eSports como atletas do mesmo nível que jogadores de basquete, por exemplo. A decisão foi tomada para facilitar o pedido e autorização de vistos de proplayers para campeonatos realizados no país.

Também em 2013, a China definiu e registrou o eSports na Administração Geral de Esporte da China. Por lá, regras, campeonatos, times e jogadores são fiscalizados pela Association for Chinese Esports (ACE).

Porém, mais cedo do que todo mundo, a Coreia do Sul considera o eSports um esporte desde 2000, com a criação da Korea e-Sports Association (KeSPA). Aprovada pelo Ministério da Cultura, Esporte e Turismo do país, a KeSPA tem como objetivo fazer do eSports um evento oficial de esporte e solidificar a posição do eSports em todos os setores. Entre suas tarefas está a de fiscalizar a transmissão de campeonatos, a criação de novos torneios e o trabalho (e direitos) de times e jogadores de mais de 25 títulos.

Comentários

Projeto de lei quer transformar eSports em esporte no Brasil

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.