Lucas Lima lembra maior 'furada' que já entrou e quer dedicar título a irmão autista

Francisco De Laurentiis e Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Arquivo Pessoal
Lucas Lima Inter de Limeira
Lucas Lima em ação pela Inter de Limeira, time no qual começou a carreira

Lucas Rafael Araújo Lima, camisa 20 do Santos, é hoje um dos principais jogadores do país. Titular absoluto do Santos, que disputa nesta quarta-feira a final da Copa do Brasil, contra o Palmeiras, o meia concorre à "Bola de Prata", chegou à seleção brasileira e vê choverem propostas de clubes europeus por seu futebol.

Mas nem sempre foi assim. Aliás, a vida de Lucas Lima já foi bem diferente antes da fama na Vila Belmiro.

Quando ainda dava seus primeiros chutes como profissional, na Inter de Limeira, equipe do interior de São Paulo, o armador viveu aquela que considera a maior "furada" de sua carreira.

Aconteceu em 2011, quando um empresário se aproximou do presidente do time paulista e ofereceu a chance de jogar contra "equipes da 1ª divisão" da Espanha. O cartola aceitou de pronto, e mandou o elenco da Inter para o "Velho Continente".

Só que nada saiu como esperado...

"Já passei muitas dificuldades na carreira, mas hoje tudo é motivo de risada, né? A gente foi pra Europa cheio de promessas, mas quando chegou lá, não era nada daquilo. Quando chegamos lá, o pessoal ficou bravo demais e queriam pegar o tal do empresário de tudo quanto é jeito", lembra Lucas, aos risos, em entrevista ao ESPN.com.br.

O clube de Limeira ficou hospedado na região de Santander, onde, teoricamente, enfrentaria "grandes equipes" em partidas amistosas. Contudo, os adversários estavam longe de serem poderosos.

"Na teoria, era para jogarmos contra o Racing Santander e outras equipes conhecidas, mas foi tudo pegadinha (risos). Fizemos amistosos contra uns times de 3ª e 4ª divisão, nada daquilo que tinha sido prometido. O único time melhorzinho que pegamos foi o Racing B. Tinha uns caras que enfrentamos eram semi-profissional, o cara era bombeiro de dia e jogava à noite (risos). Pelo menos não tinha nenhum gordão (risos). Ficamos quase um mês por lá. Não tinha nem bola para treinar, tivemos que nos virar. Foi uma roubada", define.

Para piorar, as condições de hospedagem e alimentação eram ainda mais tenebrosas que os adversários que a Inter de Limeira enfrentou durante a excursão.

"Ficamos em um albergue ruim pra caramba, cheio de beliches, com uns colchões duros. Tinha uma excursão de criancinhas hospedadas por lá, faziam barulho demais. A alimentação também era toda errada, tinha uma sopa que eu lembro o gosto até hoje (risos). Mas a gente era moleque, comprávamos pão e dávamos um jeito", conta.

Apesar de ter sido sua primeira viagem para fora do Brasil, Lucas Lima diz que não ficou traumatizado. Quando se recorda da "excursão internacional" da Inter, só dá risadas.

"Nosso grupo era muito bom, e até conseguimos aproveitar. Não tinha como voltar, mesmo (risos). Foi minha primeira viagem para fora do Brasil. Pelo menos deu para passear e conhecer a região", relata.

Após se destacar em Limeira, Lucas Lima foi contratado em 2012 pelo Internacional. No Beira-Rio, porém, pouco jogou, e acabou emprestado ao Sport no ano seguinte. Destacou-se na disputa da Série B e chamou a atenção do Santos, que o levou em 2014.

Campeão paulista neste ano, agora ele busca seu segundo título com a camisa do "Peixe". Para isto, basta um empate nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília).

O jogo terá transmissão AO VIVO da ESPN Brasil, com narração de Paulo Andrade e comentários de Paulo Calçade, Alex e Zé Elias. O Abre o Jogo começa às 21h (de Brasília), enquanto o apito inicial soará às 22h (de Brasília). O ESPN.com.br também terá acompanhamento especial em TEMPO REAL, com tweets, comentários, fotos, vídeos e muito mais de nossos repórteres in loco no Allianz Parque.

Título para João Pedro

Lucas Lima se descreve como "caseiro e tranquilo", e é muito apegado à sua família. Natural de Marília, ele trouxe todos os parentes para morar em Santos quando acertou com o clube da Baixada. Afinal, o craque não consegue ficar separado de seu maior xodó: o irmão mais novo João Pedro, que é autista.

João participou da entrevista coletiva que Lucas lembra com mais carinho, quando completou 100 jogos pelo Santos e foi surpreendido pela "invasão" de familiares na sala de imprensa do "Peixe". É para ele que o camisa 20 quer dedicar o possível bicampeonato da Copa do Brasil nesta quarta-feira.

Gustavo Hofman e Zé Elias analisam a final da Copa do Brasil

"Meu irmão é o meu xodó e meu amor. É um presente de Deus na minha vida. Algumas pessoas não sabem o que é autismo, por não terem informações precisas, mas nós temos e sempre procuramos tratá-lo de maneira natural e da melhor forma possível. Ele é super carinhoso, claro que tem as limitações dele, mas o amor temos por ele e que ele tem por nós é o principal", ressalta Lima, emocionado.

João Pedro, que chama o irmão mais velho de "Tutu", é o fã número 1 de Lucas Lima. Segundo o armador da seleção, o garoto não perde uma partida do Santos.

Veja palpites para a decisão Palmeiras x Santos

"O que eu mais aprendi nesse tempo de convivência com ele foi a forma pura como ele demonstra o amor e o carinho pela nossa família. É uma coisa muito difícil de se ver hoje em dia", diz Lucas Lima, que gostaria de participar de campanhas sobre autismo.

"Nunca fui procurado por nenhuma associação que cuida de pessoas autistas, mas, se me convidassem, eu adoraria participar e ajudar", afirma.

Ivan Storti/Santos FC
Lucas Lima Irmão João Pedro CT Rei Pele Santos 16/10/2015
Lucas Lima com o irmão João Pedro

Foi a família, aliás, que segurou o meio-campista no Brasil quando as primeiras propostas do exterior começaram a aparecer. Lima conversou com os parentes e decidiu permanecer no país para buscar seu grande sonho: uma convocação para a seleção brasileira.

Deu certo: o primeiro chamado de Dunga veio em agosto deste ano. A estreia foi no amistoso contra a Costa Rica, em setembro, e o primeiro gol não poderia ter saído em momento mais especial: o tento de empate por 1 a 1 contra a Argentina, calando o Monumental de Núñez, em Buenos Aires, em 13 de novembro, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

"Tive muitas propostas de clubes da Europa, mas decidi junto com a minha família permanecer no Brasil. Queria ter a oportunidade, pelo que eu estava demonstrando no Santos, de brigar pra uma vaga na seleção", observa.

Presidentes dos clubes de coração, Nobre e Modesto são torcedores apaixonados

"Eu penso tudo passo a passo na minha carreira, tento aproveitar esse momento de agora. No futuro, tenho o sonho de jogar na Europa, mas nestou completamente focado no Santos e na seleção para as coisas darem certo", finaliza.

Comentários

Lucas Lima lembra maior 'furada' que já entrou e quer dedicar título a irmão autista

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.