São Paulo explica a demissão de Doriva: 'Queremos um técnico para ser campeão em 2016'

ESPN.com.br
Veja entrevista em que diretor do São Paulo explica a saída de Doriva

Na manhã desta terça-feira, quem apareceu no São Paulo para esclarecer a saída do técnico Doriva foi diretor-executivo do clube, Gustavo Vieira de Oliveira. Pregando "liberdade" para escolher um técnico novo em 2016, o dirigente deixou claro que quer alguém com condições de conquistar títulos.

"A demissão aconteceu por conta de nossos dois principais objetivos neste momento: a busca pela vaga na Libertadores e acelerar o planejamento para o ano que vem. Depois que chegamos à conclusão de que não iríamos contar com o Doriva para 2016, nada mais justo do que ele ser o primeiro a saber", afirmou Oliveira.

"O desempenho dele neste curto período e também as observações que fizemos do trabalho dele, não vimos nada de errado, mas queremos outra coisa. Para o ano que vem precisamos de alguém que nos traga a perspectiva de títulos", disse de maneira taxativa.

Perguntado se pesou o fato de o treinador demitido ter sido contratado pela antiga diretoria, o diretor negou qualquer interferência, garantindo ser adepto ferrenho da "meritocracia".

Diante do período curto de Doriva à frente da equipe - apenas sete jogos - o cartola diz que quem chegar não precisará mostrar resultados imediatos. "Isto se aplicou no caso do Doriva por uma situação peculiar de termos que combinar o objetivo de Libertadores e a liberdade para buscar um novo técnico em 2016."

Depois de confirmar que Milton Cruz estará na beira do campo no restando da temporada, e rechaçar, ao menos por enquanto, qualquer chance de Rogério Ceni assumir a função de treinador, Gustavo Vieira também negou a possibilidade de trazer um nome estrangeiro.

Segundo ele, o momento que o clube e o elenco vivem agora é diferente de quando Osorio chegou. "Hoje nós temos um elenco que necessita de um incremento, de um corpo. O treinador estrangeiro tem um momento certo, uma hora certa". Com a saída de diversos atletas ao longo do segundo semestre, o dirigente acredita que o elenco "não suportaria" a vinda de um comandante de outro país.

"Nossa análise preliminar é que precisamos encorpar o elenco. Temos posições que ainda merecem ser preenchidas, características e perfis de atletas que gostaria de ver em 2016. Eu trabalho mais com o objetivo de entradas (de atletas)."

Essa "encorpada", garante o dirigente, passará por contratações de importância técnica e de representatividade para a torcida. "Nós precisamos reconquistar o torcedor". Mas, se a representatividade passaria pela vinda de Lugano ou não, ele preferiu se limitar a dizer que "não iria comentar qualquer negociação."

Diretor executivo do São Paulo não considera Rogério Ceni como opção para treinador
'Técnico precisa ter um tempo para aplicar aquilo que pensa', disse Doriva antes da demissão
Comentários

São Paulo explica a demissão de Doriva: 'Queremos um técnico para ser campeão em 2016'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.