Acordo de 'popstar' com Anderson Silva e Ronaldo custou R$ 1,7 milhão ao Corinthians

Diego Garcia e José Edgar de Matos, do ESPN.com.br
Getty
Anderson Silva lutou com Sonnen representando o Corinthians
Acordo com o Corinthians rendeu mais de RS 1 mi a Anderson Silva e 9ine

Encerrado em novembro de 2014, após decisão em comum acordo, o contrato firmado entre Corinthians, Anderson Silva e a 9ine, empresa presidida por Ronaldo Fenômeno, atingiu uma marca milionária durante os três anos de duração. O ESPN.com.br teve acesso a todos os acordos e constatou que a parceria custou R$ 1,7 milhão aos cofres do clube de Parque São Jorge.

O acordo exibe também um crescimento nos valores. Anderson Silva e a 9ine receberam mais dinheiro do Corinthians justamente depois da segunda derrota para Chris Weidman, ocorrida em 28 de dezembro de 2013 e luta na qual o lutador lesionou gravemente a perna esquerda - foi constatada uma fratura na tíbia que o afastou por quase um ano do octógono.

Durante período entre os meses de novembro de 2013 e 2014, Anderson Silva e a 9ine acumularam um ganho de R$ 650 mil - o lutador, desde o primeiro acordo, firmado ainda em 2011 na gestão Andrés Sánchez, possuía direito a 80% do valor (neste caso, R$ 520 mil) contra 20% da empresa criada por Ronaldo Fenômeno, que recebeu R$ 130 mil pelo último contrato.

Reprodução
Último compromisso terminou em 2014 e teve um valor recorde para a parceria
Último compromisso terminou em 2014 e teve um valor recorde para a parceria

A primeira parceria entre Anderson, 9ine e Corinthians foi assinada em junho de 2011, quatro meses após o então campeão da divisão dos médios do UFC vestir uma camisa da equipe depois da vitória sobre Vitor Belfort, na chamada ‘luta do século'. No compromisso responsável por abrir a parceria entre o trio, o clube de Parque São Jorge pagou R$ 480 mil à dupla - R$ 360 mil para o lutador e R$ 120 mil à agência de Ronaldo.

O investimento da 9ine em Anderson Silva - o acordo entre o lutador e a empresa de Ronaldo nasceu em fevereiro de 2011 - manteve forte a ligação do atleta com o Corinthians. Tanto que, em 2012, o contrato recebeu uma valorização: o ‘Spider' ganhou R$ 432 mil, enquanto a empresa R$ 144 mil (total de R$ 576 mil).

Exigências de ‘popstar'

Divulgação
Anderson Silva conversou com o técnico Tite
Anderson visitou o Corinthians após o fim do contrato

Fora o valor de mais de R$ 1 milhão recebido, Anderson Silva e equipe fizeram exigências dignas de um ‘popstar' para o Corinthians. Por exemplo, o Spider cobrava transporte aéreo com voos em jatos privados - para quando o 'Aranha' já estivesse no Brasil -, hospedagem em hotéis cinco estrelas (com preferência para um apontado pelo próprio lutador), motorista profissional em carro executivo e segurança particular. Tudo devidamente pago pelo clube e com direito a um acompanhante.

Até a alimentação do lutador entrou no contrato com o Corinthians. Sempre necessitando perder peso para chegar até os 84 kg da divisão dos médios, Anderson Silva pediu ‘alimentação adequada' enquanto estivesse a serviço do clube de Parque São Jorge.

O Corinthians também revertia 5% da renda líquida de produtos que explorassem a marca de Anderson Silva ao lutador e pagava R$ 13 mil a mais por hora excedente em relação ao estipulado para as ações de marketing.

Reprodução
Trecho do contrato que mostra as exigências de Anderson Silva
Trecho do contrato que mostra as exigências de Anderson Silva

Para um evento extra de até uma hora e meia com o atleta, a diretoria corintiana era obrigada a pagar R$ 50 mil. Cada diária a mais - com oito horas de duração - tiravam R$ 65 mil dos cofres do clube destinados a Anderson Silva.

Comentários

Acordo de 'popstar' com Anderson Silva e Ronaldo custou R$ 1,7 milhão ao Corinthians

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.