Barganha e voluntários: Fluminense promete CT muito mais barato e com prazo adiantado

Caio Blois, do Rio de Janeiro (RJ), para o ESPN.com.br
Caio Blois/ESPN.com.br
Pedro Antônio no CT do Fluminense, na Barra da Tijuca
Pedro Antônio no CT do Fluminense, na Barra da Tijuca

O plano do CT do Fluminense parecia nunca sair do papel. Após anos de espera, tudo começou a mudar quando, em acordo com a Prefeitura do Rio, o clube conseguiu um terreno na Barra da Tijuca. O sonho da torcida e do presidente Peter Siemsen teve um grande aliado para virar realidade: o empresário e tricolor Pedro Antônio Ribeiro.

Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br, do alto de uma montanha de areia - perfeita para o campo e comprada em ótimo preço, segundo ele -, o vice-presidente de Projetos Especiais garantiu que a obra está adiantada, deu prazo mais otimista e prometeu que o custo estimado será reduzido em mais da metade: de R$ 45 milhões para R$ 20 milhões.

Em um país contaminado pelo superfaturamento de obras, que atrasam e às vezes sequer saem do papel, o Fluminense caminha no sentido contrário. Pelo menos essa é a promessa do responsável pelo Centro de Treinamento. E isso, em grande parte, é graças ao esforço do vice. Otimista, ele garantiu que a obra está andando mais rápido do que o esperado e ainda garantiu o corte na previsão financeira. Além de tocar a obra, é ele quem cede o dinheiro destinado para a construção, que será pago com correção sobre a taxa SELIC ao fim do projeto.

"A construção será antecipada para o dia 1º de novembro. Ali já vamos bater estacas, já começa a produção. A torre ali na frente também, em paralelo seguiremos construindo. Os campos, começando em novembro, estarão prontos no máximo em março, isso sendo muito pessimista. Depois do plantio, em 90 dias, o campo já deve estar pronto. A construção integral do CT, que custaria R$ 45 milhões quando anunciei o projeto, deve, sem a construção da torre, chegar na fase inicial de uso, com o CT já em funcionamento, abaixo dos R$ 20 milhões, em um tempo que as obras só atrasam e aumentam de valor", garantiu Pedro Antônio.

Mas qual a explicação para o CT do Fluminense sair assim tão mais barato do que o previsto? As barganhas a que se refere o dirigente vêm das mais variadas formas. O Fluminense tem tocado com maestria o plano de mudança do futebol tricolor.

"A gente já economizou R$ 12 milhões entre negociações, boas oportunidades de compra, doações, etc. Vamos ter 9600 m² de construção, temos estimado de aterro 240 mil m², já estamos com mais de 11 mil caminhões de aterro colocados, construções de rua... Financeiramente, o aterro, que seria estimado em mais ou menos R$ 25 milhões, nós devemos gastar menos de R$ 4 milhões", explicou.

Presidente do Flu comemora início da construção do CT do clube: 'Nova fase'

Além disso, descontos e a ajuda de outros tricolores parceiros para a construção do CT têm ajudado bastante, tanto no andamento da obra como na parte financeira.

"Nesse momento a gente teve basicamente duas empresas dando descontos. Torcedores que nunca tinham feito trabalho para o Fluminense. Nenhum parceiro do CT era parceiro do clube, até porque o Flu não faz obras. O grande desafio será na parte da construção. A gente vai contratar uma construtora para fazer a obra, assumiremos o encargo da compra de materiais. Muitos tricolores poderão doar ou fazer descontos enquanto empresas, o que uma construtora compra em condições normais dificilmente vai acontecer. Estamos fazendo as definições técnicas para o processo de licitação para as construtoras que vão fazer a torre e outras fundações. Hoje somos seis empresas fazendo projetos paralelos. Financeiramente está tudo viabilizado. O custo de projeto não é barato, mas não é inviável", declarou.

Programa de voluntariado
E para reduzir ainda mais os custos da obra, a ideia do Tricolor das Laranjeiras é pioneira. Após observar a vontade de participar de muitos tricolores, Pedro Antônio, junto à diretoria, deve emplacar nos próximos meses um programa de voluntariado.



"Mais para a frente vamos começar um programa de voluntariado, tanto na parte da obra como administrativa, estamos precisando de gente. A gente vai fazer um projeto, um documento junto ao departamento jurídico para estabelecer as normas, conseguir no início algumas pessoas pontualmente de acordo com as necessidades. Será necessário contar com mais pessoas, e garanto que não vão faltar tricolores para ajudar", projetou.

Aos 62 anos e com larga experiência no mundo empresarial, o gaúcho de Pelotas Pedro Antônio injetou muito mais do que dinheiro nas obras. Toda e qualquer explicação sobre o CT é acompanhada de brilho nos olhos e muita didática, com riqueza de detalhes.  Antigo dono do Banana Golf, o primeiro terreno onde o Flu vislumbrou construir suas instalações de futebol, ele contou como se aproximou do plano e fez da obra o seu sonho.

Caio Blois/ESPN.com.br
CT Fluminense
As obras do CT do Fluminense estão adiantadas

"Meu envolvimento com o CT começou quando o Peter foi visitar o meu terreno, o Banana Golf, para comprar. Fizemos todas essas contas de construção, já tínhamos a estrutura de instalações, ali em seis meses poderíamos ter um centro de treinamentos. Mas o Fluminense não tinha condições, tinha um passivo muito grande. Eu vi a obstinação do presidente. Não conhecia ele, mas daí a frente passamos a nos falar muito. Um dia, eu fui direto: 'acho que o departamento de futebol começar a pensar nisso não vai dar', imagina, fazer futebol e ainda pensar em CT? Não tem nem conhecimento para isso. Aí o presidente falou: 'Se depender de mim, começa agora!'", lembrou.  

"Tem gente que não sabe, mas subir aqui, olhar esse visual, é uma emoção incrível, uma alegria muito grande. Quando você passa a fita em primeiro na maratona é feliz, mas só o maratonista sabe o quanto ele correu, se preparou, abdicou de outras coisas, enfim. Ontem mesmo trabalhei em casa, Peter viu o jogo comigo e depois de ele ir embora fiquei vendo mais coisas", se derreteu.

Caio Blois/ESPN.com.br
CT do Fluminense ficará pronto antes do combinado e com preço mais barato
CT do Fluminense ficará pronto antes do combinado e com preço mais barato

Diariamente, Pedro Antônio visita o terreno e trabalha. Muito. Mas nada parece tão difícil para o empresário que se solidificou com o mundo dos computadores e softwares na década de 1980 e hoje é dono de uma companhia de táxi aéreo. Só a guerra contra os mosquitos.

"Não tem difícil. As coisas difíceis demoram um pouquinho. Impossível demora mais. E o impossível não existe para o Fluminense. Não tem impossível. O mais difícil é ficar aqui de noite, tem muito mosquito (risos). Eu tomo remédio em função de problemas cardíacos, então todo dia na minha cama tem marca de sangue, parece cama de hospital, tenho que mudar sempre os lençóis (risos)", disse.

Fluminense FC
Prédio que abrigaria a parte administrativa do clube no novo CT
Prédio que abrigaria a parte administrativa do clube no novo CT

Para o futuro, ele não vislumbra participações grandes na política, no futebol ou nenhum reconhecimento extra. O objetivo é mais simples.

"Estarei aqui até o ultimo dia e depois só quero sentar numa cadeira de balanço e assistir os treinos", brincou.

Fluminense FC
Projeto do Centro de Treinamento do Fluminense
Projeto do Centro de Treinamento do Fluminense

Ao ser questionado sobre o nome que será dado ao CT, Pedro preferiu sair pela tangente.

"Eu não quero ser tachado como mecenas. Nem comparado ao Dr. Celso. O nome do CT vai caber ao presidente, à torcida. Se conseguirmos nomear as ruas no entorno, com nome de Oscar Cox e outros da história tricolor já seria fantástico. Não preciso ser reconhecido além do que qualquer tricolor seria".

E sobre o próximo desafio, o vice não titubeou: um estádio. Mas esse, segundo ele, não é um objetivo próximo de se concretizar.

"Claro que é o estádio. Mas melhor a gente ficar calado sobre esse assunto (risos). Queremos ter um alçapão, mas esse não é o momento, está distante. Nossa história é muito longa, mas o intervalo com certeza tem que ser reduzido drasticamente, não pode ser de 100 em 100 anos para mudarmos nossa estrutura. Com certeza vou ver esse estádio pronto com o Fluminense jogando lá. E vencendo!", vislumbrou.

Caio Blois/ESPN.com.br
Área do CT do Fluminense já está em obras
Área do CT do Fluminense já está em obras
Comentários

Barganha e voluntários: Fluminense promete CT muito mais barato e com prazo adiantado

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.