Parentesco com meia do São Paulo pode tirar bandeirinha de jogo do Brasileirão

Francisco De Laurentiis, do ESPN.com.br
LUIS MOURA/Gazeta Press
Bruno Boschilia Bandeirinha Corinthians Bahia Campeonato Brasileiro 25/09/2011
Auxiliar Bruno Boschilia é parente distante de Gabriel Boschilia, meia do São Paulo

Um fato curioso pode tirar o bandeirinha Bruno Boschilia (Fifa-PR) do jogo entre Atlético-MG e São Paulo, nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no Mineirão. Ele é parente do meia Gabriel Boschilia, do time paulista, e a CBF diz que prefere evitar situações como essa nos jogos do Campeonato Brasileiro.

Bruno é primo de segundo grau de Dulcídio Wanderley Boschilia, lendário ex-árbitro dos anos 70 e 80. Já Gabriel é sobrinho-neto de Dulcídio - informação confirmada por sua assessoria de imprensa. No entanto, o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, diz não ter sido informado do parentesco entre bandeirinha e jogador.

"Nós sempre tentamos evitar (escalar parentes no mesmo jogo), com certeza. Mas o árbitro não me informou de nenhum parentesco, eu não tenho essa informação se ele (Bruno) é parente do Boschilia [do São Paulo]. Não tenho essa informação no registro", diz Corrêa, ao ESPN.com.br.

Não há no regulamento da CBF uma regra que proíba parentes de atuarem no mesmo jogo. No entanto, árbitros e assistentes são obrigados a informar se têm parentesco com algum atleta. Desta forma, a entidade que rege o futebol nacional evita colocar profissionais de arbitragem em jogos em que parentes irão estar em campo - caso que já aconteceu.

"Geralmente, eles (árbitros) nos avisam (se há parentesco entre árbitros e jogadores). Nós já tivemos vários casos disso, em São Paulo, no Pará, mas sempre nos informaram antes. Se um árbitro está processando uma equipes eles também avisam, e a gente não coloca (no jogo) também", afirma Corrêa.

Milton Cruz: 'São Paulo está evoluindo na mão do Osorio'

A reportagem tentou contato com Bruno Boschilia para saber se ele informou à CBF seu grau de parentesco com Gabriel Boschilia. No entanto, o assistente não atendeu às ligações nem respondeu às mensagens enviadas.

O presidente da Comissão de Arbitragem, por sua vez, disse que iria tentar falar com Bruno para certificar-se do parentesco com Gabriel. Sérgio Corrêa assegurou que iria analisar a situação e, caso julgasse necessário, substituir o auxiliar na partida.

MARCELLO ZAMBRANA/Agif/Gazeta Press
Boschilia Treino São Paulo 28/07/2015
O meia Gabriel Boschilia, do São Paulo

"Os árbitros têm orientação para nos informar. Informando, nós vamos observar e faremos a alteração, colocando um assistente local para trabalhar, não tem problema nenhuma. Se não for confirmado, o Bruno segue trabalhando normalmente", ressaltou.

No ano passado, Bruno Boschilia trabalhou em três jogos do São Paulo no Brasileirão, todos com Gabriel Boschilia entre os relacionados: Grêmio 0 x 1 São Paulo, Figueirense 1 x 1 São Paulo e São Paulo 0 x 1 Chapecoense.

A única partida em que o meia entrou em campo, porém, foi contra a equipe de Florianópolis, substituindo Kaká nos acréscimos do duelo.

Nesta quarta, Gabriel está relacionado para pegar o "Galo", mesmo com o time do Morumbi tendo em mãos uma proposta do Monaco para vendê-lo.

Golaço, 'trenzinho' e vitória; Casemiro já decidiu para o São Paulo diante do Atlético-MG
Comentários

Parentesco com meia do São Paulo pode tirar bandeirinha de jogo do Brasileirão

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.