Em empate inútil, Coritiba afunda na degola, e Figueirense se aproxima do perigo no Brasileiro

ESPN.com.br
Gazeta Press
Figueirense e Coritiba ficaram no empate neste domingo em Florianópolis
Figueirense e Coritiba ficaram no empate neste domingo em Florianópolis

O Coritiba empatou fora de casa com o Figueirense por 0 a 0 neste domingo, no Orlando Scarpelli, em confronto válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time paranaense caiu uma posição e agora é o 19º e penúltimo colocado da competição, com 10 pontos. Já o clube de Florianópolis foi a 16 pontos, desceu um posto e está no 15º lugar.

O empate foi inútil para ambas as equipes. Mesmo que uma vitória não o tirasse da zona de rebaixamento, o Coritiba, que luta contra o rebaixamento desde o início do Brasileiro, agora é o vice-lanterna, à frente apenas do Joinville, que tem oito pontos.

Já o Figueirense, que vinha empolgado pela milagrosa classificação às oitavas-de-final da Copa do Brasil no meio de semana contra o Botafogo, agora está a apenas três pontos e duas posições acima do Santos, primeiro time dentro da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, os dois times têm pedreiras pela frente: o Coritiba recebe o Corinthians, enquanto o Figueirense visita o Atlético-MG.

O jogo

Vivendo a amargura de estar na parte debaixo da tabela, Figueirense e Coritiba foram a campo na tarde deste domingo, no estádio Orlando Scarpelli, e pouco demonstraram nos primeiros 45 minutos de jogo. Com dificuldades na criação, nem o apoio da torcida fez o Figueirense controlar o jogo diante do Coritiba.

Com Marcão e Thiago Santana isolados no comando de ataque, a bola não era trabalhada no meio-campo, e o time de Argel Fucks apelava apenas para jogadas laterais, bolas aéreas e ligações diretas. As poucas variações nas jogadas de ataque facilitaram o trabalho da defesa paranaense, que se manteve bem postada e facilitou o trabalho do goleiro Wilson, criado no Figueirense, que não praticou nenhuma intervenção na etapa inicial.

Se não levou sustos, o Coritiba também não inspirou cuidados. Os experientes Marcos Aurélio e Lucio Flavio tentavam ditar o ritmo no meio-campo do Coritiba, mas a marcação firme do Figueirense, que ficava bem postado ao recuar ao campo de defesa, impedia qualquer lance de efeito. O time chegou em chutes de fora: uma vez com Lucio Flavio, de falta, e outra vez com Marcos Aurélio, que por pouco não surpreendeu Alex Muralha.

Apesar da monotonia, o primeiro tempo ficou marcado por dois lances polêmicos no ataque do Figueirense. No primeiro, Paulo Roberto cabeceou a bola, que desviou no braço de Ivan e saiu pela linha de fundo, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

Em outro, já na reta final do primeiro tempo, Thiago Santana caiu na área ao disputar bola com o goleiro Wilson e pediu pênalti, mas novamente Emerson Sobral mandou o jogo seguir de forma acertada.

Ao colocar um atacante no lugar de um lateral esquerdo no intervalo, Argel deu sinais de que o Figueirense voltaria a campo após o intervalo para buscar a vitória. Apesar de povoar mais o campo de ataque com três homens de frente, os donos da casa não foram efetivos para cristalizar o domínio na posse de bola em gols.

Querendo evitar a derrota a qualquer custo, Ney Franco esclareceu a proposta do Coritiba. Defender com firmeza para tentar aproveitar os contragolpes. Bem armado para trás do meio-campo, o Coritiba dificultou os ataques do Figueirense, e o jogo passou a ficar truncado no meio de campo. Sem saber se organizar para investir nas jogadas ofensivas, o Figueirense passou a dar espaços por conta da ansiedade em fazer o gol.

Com a criação fraca, e Lucio Flavio e Marcos Aurélio sobrecarregados, o Coritiba também não conseguia agredir, e perdeu a principal chance do jogo aos 37 minutos. Em contragolpe rápido, Marcos Aurélio recebeu com liberdade, invadiu a área livre de marcação e chutou cruzado, mas a bola raspou a trave de Alex e saiu pela linha de fundo.

Nos minutos finais da partida, o Figueirense buscou, de forma desesperada, permanecer no ataque para tentar o gol. O Coritiba, por sua vez, sempre que dominava a bola preferia tocar de lado e deixar o tempo passar para confirmar o ponto fora de casa. O baixo potencial técnico das equipes também determinou o empate sem gols, já que nas poucas chances criadas, as equipes não conseguiram aproveitar.

FICHA TÉCNICA:
FIGUEIRENSE-SC 0 x 0 CORITIBA-PR

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Data: 19 de julho de 2015, domingo
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: Emerson Luiz Sobral (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Cartões amarelos: (Figueirense) Ricardinho;(Coritiba) Lucio Flavio

FIGUEIRENSE: Alex, Leandro Silva, Marquinhos, Saimon, Marquinhos Pedroso; Paulo Roberto, João Vítor (Yago), Rafael Bastos e Ricardinho (Dudu); Marcão e Thiago Santana (Everaldo)
Técnico: Argel Fucks

CORITIBA: Wilson, Norberto (Rodrigo Ramos), Luccas Claro, Walisson Maia e Ivan (Negueba); João Paulo, Lucio Flavio, Thiago Galhardo e Esquerdinha; Marcos Aurélio e Keirrison (Rafhael Lucas)
Técnico: Ney Franco

Comentários

Em empate inútil, Coritiba afunda na degola, e Figueirense se aproxima do perigo no Brasileiro

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.