Victor Valdés é novo 'inimigo' de Van Gaal; lembre outros, como Rivaldo

ESPN.com.br
Van Gaal vê Valdés fora da filosofia do United e diz: 'Não há espaço para ele'

Chegou ao fim a curta passagem de Victor Valdés pelo Manchester United. Pelo menos é assim que o técnico Louis Van Gaal trata a situação. Em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, o treinador explicou por que não levou o goleiro para a pré-temporada fez uma série de ataques contra a postura do atleta.

A briga entre Van Gaal e Valdés teria acontecido na última temporada. De acordo com o comandante holandês, o jogador espanhol se recusou a atuar em uma partida com o time sub-21 do clube inglês, situação que automaticamente o afastou da viagem para os Estados Unidos, local escolhido para a pré-temporada.

De acordo com o treinador, a ideia de colocar o espanhol para jogar com o segundo time foi para manter o ritmo de jogo, já que David De Gea é o titular. Em seu Twitter, o ex-atleta do Barcelona postou uma foto de uma partida junto com o time sub-21 do United e deu a entender que não faz ideia do que o técnico queria dizer.

A suposta indisciplina de Valdés, no entanto, deixou o técnico decepcionado, e transformou o catalão no mais novo "inimigo" de Van Gaal, conhecido por colecionar desafetos durante sua longa e vitoriosa carreira no futebol.

Relembre outros que não se deram bem com o holandês:

Guy Thys
Van Gaal fez seu primeiro grande inimigo quando ainda era jogador do Royal Antwerp, da Bélgica. Ele brigou feio com o técnico Guy Thys, que não o colocava para jogar, mesmo com o holandês se considerando o melhor estrangeiro do elenco.

"Ele vinha conversar comigo e me perguntava o porquê de eu não colocá-lo para jogar. 'Chefe, sou o melhor, não sou?'. Então, eu dizia que ele não era, mas ele não acreditava. Admito que ele era o jogador de personalidade mais forte que conheci. Mas, lamento dizer, era lento", recordou Thys, anos mais tarde, em entrevista à BBC.

VI Images via Getty Images
Louis van Gaal Sparta Rotterdam 22/08/1985
Van Gaal durante seus tempos de jogador

A relação com o treinador era tão ruim que Van Gaal, um meio-campista de características ofensivas revelado pelo Ajax, enviou cartas a 80 times pedindo para ser contratado. Eventualmente, acabou acertando sua saída para o Telstar, da Holanda.

"Thys quis impedir minha saída colocando um preço alto pela minha transferência. Eu disse: 'Faça o que você quiser. Mas, se for para ficar aqui, largo minha carreira e volto a ser professor de educação física'. Então, me deixaram sair", contou Van Gaal.

"Eu respeitava Thys como pessoa, mas não como treinador, principalmente porque ele me colocava sempre no banco. Eu achava que devia jogar, mas ele não", completou.

Van Gaal encerrou sua não tão brilhante carreira de jogador em 1987, pelo AZ Alkmaar, iniciando sua carreira como auxiliar-técnico no mesmo ano. Hoje, ele comanda o Manchester United, após passagens vitoriosas por equipes como Ajax, Barcelona e Bayern de Munique, além da seleção da Holanda, com a qual conquistou o terceiro lugar na última Copa do Mundo, no Brasil.

Rivaldo
O pentampeão do mundo é o "inimigo" mais lembrado de Van Gaal. Mesmo fora de sua posição favorita, o brasileiro jogou muito entre 1998 e 1999 e ajudou o Barcelona, então comandado pelo treinador holandês, a conquistar o Campeonato Espanhol naquela temporada, com 11 pontos de vantagem sobre o Real Madrid.

Clive Brunskill/Allsport/Getty Images
Rivaldo Barcelona Hertha Berlin Champions 15/03/2000
Rivaldo no Barça: péssima relação com Van Gaal

No ano seguinte, porém, Rivaldo disse a Van Gaal que não queria mais jogar aberto pela esquerda, e sim chegando por trás dos atacantes. O holandês ficou revoltado e colocou o atacante, que havia sido eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa, no banco de reservas.

A imprensa catalã ficou revoltada, e passou a constantemente bombardear o técnico. Van Gaal foi criticado por sua atitute agressiva com os jogadores e até por se recusar a aprender espanhol ou catalão.

As coisas não poderiam ter saído mais errado: Rivaldo fez apenas 12 gols na temporada seguinte, metade dos 24 que havia marcado em 1998/99, e o comandante holandês foi demitido ao final de La Liga, que foi conquistada pelo Deportivo La Coruña.

Em sua coletiva de despedida, Van Gaal foi breve e irônico, como de hábito.

"Amigos da imprensa, estou indo embora. Parabéns".

Johan Cruyff

Dois dos maiores nomes da história do futebol holandês, Louis van Gaal e Johan Cruyff nunca se deram bem, com trocas de farpas via imprensa e brigas até mesmo na Justiça.

Getty
Johan Cruyff teve uma fracassda passagem pelo Chivas Guadalajara
Cruyff e Van Gaal se odeiam

Segundo conta Van Gaal em sua biografia, a inimizado começou em 1989, quando o então jovem treinador, convidado para jantar na casa de Cruyff, foi embora sem agradecer e se despedir. Ele alega que recebeu uma ligação avisando que sua irmã havia morrido, e por isso saiu às pressas, enquanto o eterno camisa 14 da Oranje diz que foi pura falta de educação.

Uma década depois, enquanto Van Gaal comandava o Barcelona, era comum vê-lo xingar Cruyff por supostamente minar seu trabalho com críticas na imprensa catalã. Uma das declarações mais famosas foi a de que o treinador tinha "vários parafusos a menos".

A rivalidade chegou a níveis extremos em 2011, quando Van Gaal, então recém-demitido do Bayern, foi convidado para assumir um cargo na diretoria do Ajax. Cruyff, também ídolo do clube de Amsterdã, moveu um processo na Justiça para impedi-lo de trabalhar na equipe alvirrubra, em qualquer tipo de atividade.

Cruyff acabou tendo a decisão favorável, e Van Gaal foi mesmo impedido de trabalhar no Ajax. Desempregado, acabou convidado para comandar a Holanda no ano seguinte, e fez bom trabalho, com o bronze na Copa de 2014, batendo o Brasil na decisão do terceiro lugar. Após o Mundial, acertou com o Manchester United.

Lúcio, Van Bommel, Luca Toni e diretoria do Bayern

Durante sua passagem pelo Bayern, Van Gaal conquistou um Campeonato Alemão, uma Copa da Alemanha e foi vice da Uefa Champions League. No entanto, deixou o clube brigado com quase todo mundo, em especial três jogadores e alguns diretores.

O primeiro com quem ele brigou foi o zagueiro Lúcio, que vivia então o auge de sua carreira. O treinador optou por não renovar o contrato do defensor, que ficou sem clube em meio à Copa das Confederações de 2009. Em entrevista ao ESPN.com.br no ano passado, o zagueiro disse que nunca entendeu a decisão do técnico.

"Foi durante a Copa das Confederações [de 2009] que eu tive essa notícia... O técnico era o (Louis) van Gaal, e, não sei por quê ele não tem simpatia por jogadores brasileiros. Na verdade, acho que ninguém sabe... Nós conversamos, ele disse que não queria contar comigo, e eu não tive outra escolha que não sair. Não foi do jeito que eu queria, mas acabei indo pra Inter de Milão, onde fui feliz", recordou Lúcio.

Mais ou menos na mesma época, o polêmico comandante indicou a contratação do volante brasileiro Luiz Gustavo, do Hoffenhein, e colocou Mark van Bommel, capitão da equipe e ídolo da torcida, no banco. O veterano ficou irado e discutiu feio com Van Gaal, que não deu bola, e disse que ele tinha duas opções: aceitar a reserva ou ir embora. Dias depois, Van Bommel foi para o Milan.

O treinador também não se deu com Luca Toni. Quando Van Gaal assumiu o Bayern, o italiano vinha de uma temporada com 38 gols em 56 jogos sob o comando de Ottmar Hitzfeld. No entanto, Van Gaal não gostava da imagem de playboy de Toni, e acabou fazendo bullying com o campeão do mundo com a Azzurra.

JOHN MACDOUGALL/AFP/Getty Images
Luca Toni Lamenta Bayern de Munique Bordeaux Liga dos Campeões Champions 03/11/2009
Luca Toni admitiu ódio de Louis van Gaal

Em sua biografia, o centroavante lembrou o episódio que mais o irritou. Aconteceu em 2010, durante a pré-temporada dos bávaros. Toni estava assitindo TV no sofá, meio caído, quando Van Gaal chegou por trás, puxou o atacante pelas orelhas e ordenou que ele sentasse direito.

"Aquilo me deixou profundamente humilhado. A meneira como Van Gaal trata alguns jogadores nem de longe lembra um ser humano", escreveu o italiano, que pediu para ser emprestado na mesma temporada e acabou indo para a Roma por seis meses.

O treinador ainda arrumou tempo para brigar com Karl-Heinz Rummenigge e Uli Hoeness, dois dos mais importantes dirigentes do Bayern. Ele convidou a dupla para o lançamento de sua biografia, em uma famosa livraria de Munique. Mesmo contrariados, já que o time alvirrubro fazia péssima campanha na Bundesliga, a 13 pontos da liderança e sob forte pressão da torcida, eles foram.

Ao chegarem, foram recebidos pelo próprio Van Gaal, que, todo sorridente, lhes entregou cópias do livro e disse, ironicamente: "É importante que vocês leiam, pois vão aprender muito". Os chefes engoliram em seco e não responderam nada.

Seis meses depois, o técnico foi demitido.

Robin van Persie

Louis van Gaal assumiu a seleção holandesa pela segunda vez na carreira após a desastrosa campanha da "Laranja Mecânica" na Eurocopa de 2012. Logo de cara, reuniu o time em um hotel de luxo e pediu aos jogadores que dessem sua opinião do que havia acontecido de errado. Todos falaram, menos um: Robin van Persie.

O centroavante se explicou: não queria discursar porque não queria transferir a culpa para ninguém. Van Gaal não gostou da atitude e informou seu melhor atacante e capitão que, a partir daquele dia, ele seria reserva de Huntelaar.

Só que o treinador não imaginava uma coisa: que Van Persie fosse aceitar tudo numa boa e, além disso, tratar de mostrar, tanto nos treinos quanto para a imprensa, total apoio ao amigo Huntelaar. Van Gaal deu o braço a torcer e fez as pazes com o "inimigo".

"Admirei sua atitude profissional e seu espírito de equipe. Tive que admitir depois que não conhecia a pessoa por trás do jogador. Depois que o conheci melhor, vi que era um profissional exemplar, que tem uma ótima imagem entre os companheiros. Ele mostrou muito espírito de liderança e, por isso, o recoloquei como titular e capitão da Holanda 10 meses depois de nosso desentendimento. Ele mereceu", revelou o treinador.

A paz foi selada de vez durante a Copa do Mundo de 2014. Ao marcar seu golaço de cabeça na vitória por 5 a 1 sobre a Espanha, na estreia da Holanda, em Salvador, Van Persie saiu correndo em direção ao técnico e deu um high five histórico.

DIMITAR DILKOFF/AFP/Getty Images
Robin van Persie Louis van Gaal Comemoram Gol Holanda Espanha Copa do Mundo 13/06/2014
Robin van Persie e Louis van Gaal: high five após golaço na Fonte Nova
Comentários

Victor Valdés é novo 'inimigo' de Van Gaal; lembre outros, como Rivaldo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.