Camisa 10 na Espanha com passagem pelo Real Madrid fala de quase acerto com o Palmeiras

Diego Garcia e Vladimir Bianchini, para o ESPN.com.br
Efe
Willian José: do time B do Real Madrid, quase no Palmeiras e camisa 10 no Zaragoza
Willian José: do time B do Real para quase no Palmeiras até a camisa 10 no Zaragoza

O atacante Willian José é um velho conhecido do futebol paulista. Com passagens por Barueri, São Paulo e Santos, além do Grêmio, no Sul, o atleta quase acertou com o Palmeiras no ano passado, mas a transação ruiu na hora da assinatura. O jogador acabou indo parar no Zaragoza, onde virou meia-armador e até camisa 10 da equipe que não subiu à primeira divisão espanhola neste fim de semana por muito pouco.

"Depois que eu cheguei aqui mudou um pouco. No Brasil jogava mais de centroavante, camisa 9, e quando eu cheguei já tinha um centroavante. Então me colocaram de meio de campo. Nunca foi minha característica, só na base do Barueri eu joguei nessa posição, nunca no profissional. Estava me saindo bem, fiz bons jogos", afirmou o brasileiro, em entrevista ao ESPN.com.br.

Willian recebeu a camisa 10 no tradicional time de Zaragoza, que atualmente está no segundo escalão do futebol espanhol. A promoção escapou por pouco, e agora o atacante espera para ver o que será do seu futuro. Ele está vindo para o Brasil passar as férias em Porto Calvo, Alagoas, esperando que seus empresários decidam os próximos passos. Na Série B da Espanha, foram 37 jogos, com 10 gols marcados atuando como meia.

"O treinador acabou me colocando no meio de campo como segundo atacante, com dois abertos, um centralizado por trás, que é no Brasil o camisa 10. Aqui é diferente do Brasil também. No ano passado joguei pelo Castilla, quando cheguei ao Zaragoza estava no segundo turno do campeonato e aqui joguei de meia e fiz 10 gols", disse o atleta, que antes passou pelo time B do Real Madrid, o Castilla.

"Foi uma experiência muito boa. Estava no Santos, fui contratado para o Real Madri Castilla, que é o time B. Fui em cinco ou seis jogos no banco do principal e joguei em uma partida contra o Celta pelo Campeonato Espanhol. Quando eu cheguei ao Castilla estava na zona do rebaixamento e acabou caindo à segunda divisão. Estava bem, mas acabamos caindo e ficou mais difícil de permanecer. Só que foi uma experiência muito boa, o Real Madrid é o melhor time do mundo e pude conviver com grandes jogadores", afirmou José.

O jogador se empolga em falar sobre a experiência no elenco de um dos maiores times do planeta.

"Eu tinha viajado com o time de Castilla, jogamos no sábado e depois do jogo do Castilla chamaram eu e mais dois, disseram que íamos viajar para ficar com o time principal. Não esperava entrar no jogo, mas entrei quando estava 2 a 0 no lugar do Casemiro. Não esperava e foi uma alegria muito grande, não consigo nem descrever. Foi bacana demais, quem sabe um dia eu não possa voltar a vestir a camisa do Real Madrid e permanecer por mais tempo?", determinou o centroavante.

No ano passado, antes de acertar com o Zaragoza, Willian ainda quase parou no Palmeiras. Já estava tudo certo e ele tinha, inclusive, realizado os exames médicos quando o acordo ruiu.

"Não sei bem o que foi que aconteceu. Estava em São Paulo, já tinha feito exame médico e esperava só a documentação do Deportivo Maldonado, dono do meu passe. Estava esperando apenas a documentação para assinar com o Palmeiras e meu empresário ligou dizendo que não deu certo, para eu voltar a Alagoas, estava de férias. Foi problema de documentação com o Palmeiras. Aí voltei para Alagoas, deu duas semanas e acertei com o Zaragoza", declarou o brasileiro.

Divulgação
Willian Jose (esquerda) recebeu a camisa 10 no Zaragoza
Willian Jose (esquerda) recebeu a camisa 10 no Zaragoza

O atacante, por outro lado, confessou o carinho pelo São Paulo.

"Tenho mais carinho pelo São Paulo entre os clubes que atuei, até porque fiquei mais tempo no São Paulo. Foi o time que tive mais oportunidade quando saí do Barueri. O primeiro ano foi muito bom, de adaptação, no segundo ano com a lesão do Luiz Fabiano eu tive oportunidade e mostrei no Paulista. Era o time que eu torcia desde pequeno e que tenho mais carinho. Sinto falta do Brasil, de jogar no Brasil. Acompanho todos os jogos do Brasileirão e da Série B, se for para voltar, o que for melhor para mim eu vou fazer", avisou Willian José.

Com seus direitos federativos presos ao Deportivo Maldonado (URU) e contrato com o Zaragoza se encerrando no fim do mês, Willian José aguarda agora os próximos passos. Mas, enquanto isso, vai passar as férias em Alagoas ao lado dos irmãos Willians, Washington, Wilano e Wélbano. Um deles é até jogador de futebol, como ele.

"Tenho um irmão que joga em Alagoas, Willians José, joga no Coruripe. É um ano mais velho que eu. Meus pais colocaram Washington, Willians, Willian, Wilano e Wélbano, colocaram tudo com W. Quando estamos de férias jogamos uma pelada apostando e o bicho é bruto demais. Ninguém vai na bola com ele, o bicho é bruto. Nos enfrentamos em jogos de colégio, e aí o bicho pegava. Meu irmão a gente brincando, desde pequeno jogava bola e teve uma vez que quebrei o braço dele, botou a bola para correr e acabou quebrando o braço. Mas a gente era novo ainda", relembrou o brasileiro, finalizando a entrevista.

 

Comentários

Camisa 10 na Espanha com passagem pelo Real Madrid fala de quase acerto com o Palmeiras

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.