Fifa admite transferência de US$ 10 milhões, mas nega envolvimento de Valcke

ESPN.com.br com agência AFP
Getty
Jack Warner, ex-presidente da Concacaf, com Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa
Jack Warner, ex-presidente da Concacaf, com Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa

A Fifa reconheceu nesta terça-feira que realizou uma transferência de 10 milhões de dólares "para o desenvolvimento do futebol no Caribe", mas afirmou que nem Jérôme Valcke ou qualquer outro alto dirigente da entidade estava a par.

O jornal New York Times informou na segunda-feira que o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, homem de confiança do presidente da entidade Joseph Blatter, transferiu 10 milhões de dólares a contas administradas pelo ex-vice-presidente da instituição Jack Warner, acusado pela justiça norte-americana de corrupção.

"Em 2007, como parte da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul, o governo sul-africano aprovou um projeto de 10 milhões dólares para ajudar a diáspora de sul-africanos no Caribe", afirma um comunicado da Fifa.

A entidade informa que a quantia saiu do comitê de organização da Copa do Mundo na África do Sul. "O pagamento dos 10 milhões foi autorizado pelo presidente da comissão de finanças e executado de acordo com as normas da Fifa", completou a entidade.

"Nem o secretário-geral, Jérome Valcke, nem nenhum alto dirigente da Fifa estava a par do início, da aprovação ou da aplicação do projeto", afirmou a Fifa.

De acordo com o New York Times, a transferência de 10 milhões de dólares - realizada em três parcelas entre janeiro e março de 2008 - foi emitida de uma conta da Fifa e seria um "elemento central do escândalo de corrupção que envolve o mundo de futebol" e seus dirigentes.

Comentários

Fifa admite transferência de US$ 10 milhões, mas nega envolvimento de Valcke

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.