Morre Zé do Rádio, o 'torcedor mais chato do Brasil'

ESPN.com.br
Divulgação
Zé do Rádio Sport
Zé do Rádio, torcedor símbolo do Sport, morreu aos 69 anos

Morreu nesta quinta-feira Ivanildo Firmino do Santos, o "Zé do Rádio", torcedor símbolo do Sport. Transplantado cardíaco há 13 anos, diabético e hipertenso, ele teve uma parada cardíaca durante a madrugada e deu entrada no Hospital Português, no Recife, sendo reanimado. No entanto, teve nova parada enquanto estava na Unidade de Recuperação Cardiotorácica e não resistiu. Tinha 69 anos.

Ícone popular em Pernambuco, "Zé do Rádio" era conhecido como "o torcedor mais chato do Brasil", apelido que ganhou do ex-técnico Zagallo nos anos 90. Tudo por causa de seu rádio gigante e barulhento, sempre ligado no volume máximo, além de seus infindáveis gritos para cornetar os treinadores adversários na Ilha do Retiro.

Zé era tão querido que virou até "bonecão" no Carnaval pernambucano, desfilando pelas ruas de Recife e Olinda na época da festa.

Em 2007, ele entrou até para o Guinness Book, o livro dos recordes, como "torcedor mais chato do mundo". "Rubro-negro doente, há 15 anos ele atanaza a vida dos treinadores adversários que enfrentam o seu time, não só em Pernambuco como em outros Estados brasileiros", descreve a publicação.

Segundo informações do hospital, a família de Ivanildo que um velório e um enterro discretos. Por meio de seu site oficial, o Sport homenageou "Zé do Rádio", a quem chamou de um de seus "mais célebres torcedores".

Confira a mensagem do Sport para Zé do Rádio:

Na manhã desta quinta, o Sport perdeu um de seus mais célebres torcedores. Ivaldo Firmino dos Santos, mais conhecido como Zé do Rádio, não resistiu à uma parada cardiorrespiratória e faleceu no Hospital Real Português. Ele carregava com muito orgulho o título de torcedor mais chato do mundo. Alcunha estampada até no Guinness Book, em 2006. Com o tradicional rádio em cima do ombro - e no último volume -, um dos seus primeiros "alvos" foi Zagallo, em 1999. Comandando o time da Portuguesa, o ex-técnico da Seleção viu seu time perder para o Sport por 1 a 0 e ainda precisou aguentar as provocações de Zé.

Divulgação
Zé do Rádio Sport
Zé do Rádio com seu bonecão de Olinda

Ainda irritado, Zagallo reclamou do "torcedor chato" na televisão, sendo o suficiente para tornar Zé do Rádio conhecido nacionalmente. Depois de Zagallo, inúmeros técnicos seriam importunados pelo som do inseparável xodó de Zé: um General Eletric de 1961, que capturava oito faixas. De tão querido, Zé do Rádio recebeu diversas homenagens durante os 69 anos vividos, entre elas um boneco gigante que desfila todos os anos no Carnaval de Olinda.

Em 2002, ele precisou se submeter a um transplante de coração, depois de passar cinco meses na fila de espera. Ao conhecer o pai de quem doara o órgão para ele, teve uma surpresa: o doador era alvirrubro. Mas nada abalou o que ele sentia pelo Sport e, 10 anos depois, ele participou da campanha de doação de órgãos do rubro-negro, o "Torcedor Doador". "O coração novo aumentou minha paixão pelo Sport", era o que dizia pelas bandas da Ilha do Retiro depois do transplante.

Veja os melhores momentos da vitória por 2 a 1 do Sport sobre o Santos
Comentários

Morre Zé do Rádio, o 'torcedor mais chato do Brasil'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.