Ficha ainda não caiu para Filipe Toledo depois de título: 'muito bizarro'

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Getty
Torcida brasileira fez a festa para o campeão Filipe Toledo na praia da Barra
Torcida brasileira fez a festa para o campeão Filipe Toledo na praia da Barra

A fase é tão boa que parece ainda não ter caído a ficha para Filipe Toledo, campeão da etapa do Rio de Janeiro, a quarta do Circuito Mundial de Surfe (WCT), no último domingo. O ubatubano de apenas 20 anos de idade realizou uma bateria praticamente perfeita, na qual somou 19.87 pontos, contra 14.70 do australiano Bede Durbidge.

Vencedor também da etapa inaugural do campeonato, em Gold Coast, na Austrália, Filipinho agora é o vice-líder do ranking mundial, com 25.700 pontos, atrás somente do compatriota Adriano de Souza, o Mineirinho, que soma 26.250 unidades.

"É tudo muito bizarro e não estou nem acreditando ainda em tudo que está acontecendo. Não tenho nem palavras, estou em estado de choque", revelou o paulista, logo depois de atravessar a multidão para alcançar a arena do evento.

"É um momento que eu nunca tive na minha vida e acho que nem no nosso esporte com esta torcida gigante. O suporte do público foi maravilhoso. Depois de tirar a nota 10, escutei a galera gritando parecendo um estádio de futebol lotado e foi bom demais. Só tenho que agradecer a Deus pela semana maravilhosa, pela semana abençoada que eu tive com minha família e meus amigos aqui e quero oferecer essa vitória para todas estas milhares de pessoas que vieram aqui para torcer para nós, brasileiros. Esse título é para vocês", comemorou o integrante do Brazilian Storm em direção à lotada areia da Barra.

Por fim, o jovem surfista não quis cantar favoritismo para as próximas etapas do Mundial, porém destacou que este "vai ser mais um ano dos brasileiros", lembrando da conquista de Gabriel Medina em 2014.

"Não sei se este vai ser o meu ano, mas estou trabalhando muito pra isso. Só sei que vai ser mais um ano dos brasileiros. A gente está batalhando junto, começamos o ano muito bem e vamos fazer de tudo para que o título mundial continue no Brasil, podem ter certeza disso", avisou Filipe Toledo.

Por sua vez, Bede Durbidge, vice-campeão no Rio, ressaltou as diferenças entre o seu estilo de surfar e o de Filipinho, que, segundo o australiano, foi beneficiado pelas condições do mar carioca.

"É incrível isso, eu tenho 32 anos de idade, o Filipe só 20, ou seja, são 12 anos de diferença e ele tem um estilo de surfe totalmente diferente do meu", disse Durbidge. "Prefiro mais os tubos, mas também gosto de fazer manobras de borda e aéreas. Eu tento usar mais a força nas manobras, enquanto ele tenta mais aéreos insanos e enormes, então o mar hoje (domingo) estava melhor para ele. Temos estilos diferentes de surfar, mas os juízes valorizam ambos, o que é bom para o esporte, então estou feliz pelo vice-campeonato também", analisou.

Após quatro etapas, o WCT agora desembarca em Fiji, onde Gabriel Medina defenderá seu título do ano passado. O torneio está previsto para começar em 7 de junho, com janela aberta até o dia 19 do mesmo mês.

Assista ao aéreo que rendeu nota 10 para Filipe Toledo, vencedor do Rio Pro
Veja como Filipinho foi campeão no RJ; brasileiro projeta calar críticos
Comentários

Ficha ainda não caiu para Filipe Toledo depois de título: 'muito bizarro'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.