Fãs processam Pacquiao por esconder lesão e querem indenização de R$ 15 milhões

ESPN.com.br com agência EFE
Reuters
Manny Pacquiao, após a luta contra Floyd Mayweather Jr., em Las Vegas, EUA
Manny Pacquiao, após a luta contra Floyd Mayweather Jr., em Las Vegas, EUA

A espiral de efeitos negativos por causa da ocultação da lesão do pugilista Manny Pacquiao antes da "luta do século" contra o americano Floyd Mayweather Jr. ganhou novos protagonistas depois da ação coletiva apresentada contra o filipino por moradores de Las Vegas.

Eles exigem uma indenização de US$ 5 milhões (R$ 15,3 mi) a Pacquiao, seu treinador, Michael Koncz, e a empresa promotora Top Rank por esconderem de forma fraudulenta a lesão do atleta. Segundo o processo, todos sabiam do problema e não informaram à Comissão Atlética de Nevada, como exige a lei.

O segredo foi mantido também para os torcedores que compraram ingressos para o combate realizado no MGM Grand Arena, que adquiriram a luta pela TV por assinatura e que apostaram em "Pacman" como o vencedor do duelo. "Os processados sabiam e tinham pleno conhecimento de que Pacquiao estava seriamente lesionado. Além disso, sabiam que o problema poderia afetar gravemente seu rendimento", diz a ação.

Estima-se que todas as receitas geradas pela "luta do século" ultrapassem a casa dos US$ 400 milhões, podendo chegar até a US$ 500 milhões (equivalente a R$ 1,5 bi), maior marca da história do boxe em ambos os casos.

Apesar de Pacquiao ter resistido aos 12 assaltos regulamentares, só perdendo para Mayweather após a decisão unânime dos juízes, a questão levantada no processo é: a "luta do século" foi promovida adequadamente ou era um duelo injusto desde o princípio devido à lesão?

Os dois torcedores que entraram com a ação alegam que não era e que os promotores podem ser enquadrados na Lei de Práticas Comerciais Fraudulentas do estado americano de Nevada. O advogado que representa a Top Rank, Daniel Petrocelli, garante que as acusações são falsas e não têm sustentação jurídica.

"Há documentos que mostram de forma explícita os remédios que Manny estava usando para tratar o ombro e todos foram totalmente revelados à Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA, na sigla em inglês), que contratamos para esta luta", disse.

'Acredito que venci; fiz o melhor que pude, mas não foi suficiente', diz Pacquiao

"Não tínhamos informações médicas, não há imagens de ressonância magnética, nem documentos. Não foi um problema antidoping. O verdadeiro questionamento é porque a equipe dele marcou 'não' no formulário onde a pergunta sobre lesões é feita", rebateu Travis Tygart, presidente da USADA.

"Não tenho certeza se há um meio termo neste assunto", completou o presidente da USADA, afirmando que a equipe do filipino cometeu um erro ao ocultar a informação da comissão.

Petrocelli disse que Pacquiao foi examinado por médicos antes da luta e provou tinha condições físicas de entrar no ringue, mas voltou a lesionar o ombro durante o combate. "Esta é um processo frívolo e temos certeza que será desprezado", acrescentou o advogado.

A notícia do processo ocorreu um dia depois de o presidente da Comissão Atlética de Nevada, Francisco Aguilar, ter confirmado que a Procuradoria-Geral do estado investigará o motivo de Pacquiao ter marcado "não" na opção sobre lesões presente no questionário que precisa ser respondido pelos lutadores antes da luta.

O filipino pode ser multado e suspenso por esconder a informação, algo estabelecido por lei e que deve ser divulgado antes da cerimônia de pesagem. O cirurgião Neal ElAttrache, médico de Pacquiao, também confirmou através da imprensa que o atleta passará por uma operação nesta semana e ficará em recuperação por um período entre nove e 12 meses.

Tempo que Mayweather disse esperar para que ambos possam fazer uma revanche da "luta do século", que acabou sendo uma completa decepção para todos os torcedores após a grande expectativa gerada.

Veja como foi a vitória por decisão unânime de Floyd Mayweather Jr sobre Manny Pacquiao
Comentários

Fãs processam Pacquiao por esconder lesão e querem indenização de R$ 15 milhões

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.