Palmeiras x Corinthians: traição, amizade, Raul Seixas, FPF acuada e, enfim, duas torcidas

ESPN.com.br
Montage com Gazeta Press
Clássico Palmeiras x Corinthians, no domingo: duas torcidas no Allianz Parque
Clássico Palmeiras x Corinthians, no domingo: duas torcidas no Allianz Parque

Por dois dias, o futebol paulista conviveu com a chance de ter seu primeiro clássico com torcedores de apenas um time. Da recomendação da FPF até a ação do Corinthians, o ESPN.com.br fez um resumo do caso, que teve seu desfecho no começo da noite desta sexta-feira, com o jogo entre o Palmeiras e o time alvinegro confirmado - e com as duas torcidas. Para mais detalhes sobre cada "capítulo" do caso, basta clicar nos títulos, em vermelho.

1 - Quinta-feira, 5 de fevereiro - FPF acata decisão do MP

No fim da tarde da quinta-feira (5/2), a Federação Paulista de Futebol anunciou que acatou ao pedido do Ministério Público para que o clássico entre Palmeiras e Corinthians fosse com torcida única.

 A ideia do MP com a medida era evitar o confronto entre as torcidas corintiana e palmeirense. O time alvinegro concordou, mas pediu uma contrapartida: jogo com torcida única em Itaquera, caso os rivais voltassem a se enfrentar neste Estadual.

2 - Quinta-feira, 5 de fevereiro - Corinthians promete ir à Justiça

Horas depois da decisão da FPF, o Corinthians emitiu uma nota em que se declarava contra a recomendação do Ministério Público e que iria fazer de tudo para garantir seus direitos e os direitos de seus torcedores.

"Se o Poder Público não consegue conter e combater os torcedores violentos (...) não é determinando a realização de partidas com torcida única que o problema será resolvido. Dessa maneira, o Corinthians (...) tomará todas as medidas cabíveis para garantir os seus direitos e os direitos de seus torcedores, inclusive junto ao Poder Judiciário", disse o clube em nota.

Veja entrevista do capitão Vilariço, da Polícia Militar, sobre clássico com torcida única

3 - Madrugada de sexta-feira, 6 de fevereiro - Corinthians na Justiça

Depois do comunicado, o Corinthians entrou com uma ação na Justiça contra o Governo do Estado de São Paulo para tentar mudar a situação do clássico de domingo. No processo, o clube faz críticas ao Ministério Público e pede uma medida urgente para anulação da recomendação de ter apenas uma torcida na partida, feita pelo órgão.

O principal argumento utilizado foi que o MP agiu de forma ilegal no episódio, transformando uma "recomendação" (que faz parte das suas atribuições) em uma "determinação".

Diretor jurídico: 'Corinthians vai buscar os seus direitos e os dos torcedores'

4 - Sexta-feira, 6 de fevereiro - Torcida do Corinthians protesta

Na manhã desta sexta-feira, parte da torcida corintiana se manifestou. No Parque São Jorge, faixas foram penduradas como forma de protesto.

"No dia em que a Fiel não puder entrar no estádio, o time não vai entrar em campo", mostra a manifestação na sede social do clube, frase atribuída ao ex-presidente Vicente Matheus.

Mais tarde, o MP afirmou que as torcidas organizadas do clube estavam ameaçando não deixar o ônibus do elenco sair do CT para o clássico por causa da proibição de irem ao estádio.

Arquivo Pessoal
Protesto no Parque São Jorge
Protesto no Parque São Jorge

5 - Sexta-feira, 6 de fevereiro - Justiça atende parcialmente ao pedido

Perto do fim da tarde, a Justiça atendeu parcialmente ao pedido do Corinthians. O juiz suspendeu sanção prevista na recomendação do Ministério Público do Estado de São Paulo, que dizia que "o descumprimento da presente recomendação acarretará a adoção das medidas cíveis e criminais cabíveis", e jogou a responsabilidade de decidir o jogo com torcida única ou não para a Federação Paulista.

6 - Sexta-feira, 6 de fevereiro - Corinthians ameaça não entrar em campo

Depois da decisão judicial que atendeu parcialmente o seu pedido, o Corinthians soltou uma nota oficial em seu site informando que não entraria em campo se a FPF não mudasse de ideia sobre o clássico do fim de semana.

"Caso persista a discriminatória e casuísta decisão de não se vender ingressos para os torcedores corinthianos para a partida do próximo domingo, o Sport Club Corinthians Paulista (...) vem a público informar que não entrará em campo".

Veja entrevista em que Gobbi se diz traído, detona Paulo Nobre, FPF e Ministério Público

7 - Sexta-feira, 6 de fevereiro - Gobbi ataca Palmeiras, MP e FPF em coletiva

No começo da noite, o presidente Mario Gobbi, em entrevista coletiva, atacou Paulo Nobre, a FPF e o Ministério Público pela questão dos ingressos.

"Tomamos um 'passa moleque' da FPF e do presidente do Palmeiras. (...) Me sinto traído (por Paulo Nobre). Saio amanhã da presidência sem nenhum parceiro. (...) É cada um por si e Deus por todos", disse ele, que chegou a cantar Raul Seixas, Atirei o pau no gato e Chico Buarque durante a entrevista.

Gobbi cobra taxa de natalidade e canta 'Atirei o Pau no Gato', Raul Seixas e Chico Buarque

8 - Sexta-feira, 6 de fevereiro - FPF muda de ideia

Enquanto Mario Gobbi esbravejava na coletiva de imprensa, a FPF comunicou ao departamento jurídico do Corinthians que tinha mudado de ideia e que o clássico teria torcida visitante.

Veja reação de Gobbi ao saber que o Corinthians terá ingressos para o dérbi

9 - Sexta-feira, 6 de fevereiro - Nobre acata decisão da FPF

Após a decisão da Federação Paulista, o Palmeiras divulgou uma nota oficial, assinada pelo presidente Paulo Nobre, dizendo que acatava 'qualquer decisão da Federação Paulista de Futebol a respeito da venda de ingressos para o clássico de domingo'.

"O Palmeiras reitera o seu respeito pelo presidente Mário Gobbi e pelo Sport Club Corinthians Paulista, com os quais sempre manteve um excelente relacionamento, como comprovaram os casos Alan Kardec e Dudu. O presidente Paulo Nobre reafirma seu apreço pessoal pelo presidente Mário Gobbi e entende perfeitamente o momento de pressão vivido por seu amigo".

Gazeta Press
Paulo Nobre acatou decisão da FPF
Paulo Nobre acatou decisão da FPF
Comentários

Palmeiras x Corinthians: traição, amizade, Raul Seixas, FPF acuada e, enfim, duas torcidas

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.