Dilma veta MP que aliviaria clubes no refinanciamento de dívidas

Gabriela Moreira, para o ESPN.com.br
Getty
Dilma Rousseff garantiu Copa
Dilma Rousseff vetou ajuda a clubes no refinanciamento de dívidas sem contrapartidas

Já no final da noite desta segunda-feira, a presidenta da República, Dilma Rousseff, vetou o artigo 141 da Medida Provisória 656, que dizia que os clubes de futebol poderiam parcelar suas dívidas com o governo federal em 240 vezes, com descontos de 70% em multas e 50% em juros, sem, no entanto, terem de cumprir nenhum medida de responsabilidade financeira e de gestão, previstas na discussão da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte.

"Falei há algumas horas com representantes da Casa Civil, e eles confirmaram que a presidente vetou a Medida Provisória. Estamos satisfeitos porque poderemos voltar a negociar as contrapartidas em relação à aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal dos clubes", afirmou ao ESPN.com.br Ricardo Borges, diretor executivo do Bom Senso FC, grupo que reúne mais de mil jogadores de futebol do país e que era contra a MP.

"Sabemos o quanto essa lei é importante para os clubes, não somos contra ela, mas sabemos o quanto que devemos avançar no estabelecimento das contrapartidas, e é isso que vamos fazer agora para tentar fazer tudo o mais rápido possível", continuou.

No fim do ano passado, Câmara e Senado aprovaram a MP 656, que trata de isenção de imposto a importação de aerogeradores, equipamento usado na agropecuária. O parcelamento das dívidas dos clubes foi incluído em emenda do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), membro da chamada "bancada da bola".

A aprovação da possível medida provisória dividiu opiniões. Flamengo, Coritiba, Internacional e Vitória, por exemplo, enviaram uma carta conjunta à Presidência da República pedindo que a lei fosse complementada com a inclusão das medidas de responsabilidade, podendo um clube ser alvo de multas.

Já a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) enviou ofício à Casa Civil, na última sexta-feira, pedindo a aprovação do texto como estava.