Copa Africana se curva a ditador montado em petróleo

Jean Pereira Santos, de São Paulo (SP)
Getty Images
Copa Africana Sorteio À Esq. Obiang Nguema Presidente Guiné Equatorial Troféu Issa Hayatou Pres da CAF 03/12/14
Ditador da Guiné Equatorial, Obiang participou do sorteio da CAN, em dezembro 

Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, de 72 anos, é um ditador que comanda a Guiné Equatorial desde o dia 3 de agosto de 1979. Para tomar o poder, depôs com um golpe de Estado o próprio tio, o tirano Francisco Macías Nguema - posteriormente condenado à morte. É este homem que, de novo, usará a Copa Africana de Nações (CAN) de 2015 para se auto-promover aos olhos do continente e, se possível, do restante do mundo. 

Em 2012, ele já se beneficiou do evento, o qual o país que governa há mais de 35 anos sediou em conjunto com o Gabão. Agora, terá todos os holofotes para si, os quais deve usar bastante, uma vez que nos últimos anos tem tentado mudar sua imagem perante à comunidade internacional.

O próprio fato de receber a competição mais uma vez apenas três anos depois foi uma jogada política que valeu pontos, com a Confederação Africana de Futebol (CAF) e com a Fifa.

A primeira não sabia o que fazer quando o Marrocos, então sede da disputa, desisitiu oficialmente de organizá-la em 16 de outubro do ano passado por conta do surto de ebola que atingiu o continente.

Obiang, então, 'salvou' a CAN-2015.

Getty Images
Copa Africana Sorteio Teodoro À Dir. Obiang Nguema Presidente Guiné Equatorial Issa Hayatou Pres da CAF 03/12/14
Hayatou (à esq.) rasgou elogios a Obiang

"Para aceitar organizar, com dois meses para o evento, uma competição dessas, você realmente tem que ser um africano de verdade", disse o presidente da CAF, Issa Hayatou. 

Ex-militar que chegou a tenente quando o tio subiu ao poder, em 1968, Obiang ocupou vários cargos na administração de seu familiar, incluindo os de governador de Bioko, chefe da prisão de Praia Negra e líder da Guarda Nacional. E mesmo anos depois de exercer tais funções, segue com o mesmo espírito.

Ele, onipresente nas ruas da capital Malabo com fotos, postêres e quadros, insistiu que a Copa Africana, que começa neste sábado e vai até 8 de fevereiro, não deve ser uma oportunidade para os imigrantes ilegais entrarem no país, deixando claro que seu controle já rígido sobre as fronteiras será ainda maior.

"Vizinhos que queiram vir assistir à Copa Africana terão de fazê-lo em ônibus organizados e registrados em nossos consulados e embaixadas. Na fronteira, os passaportes serão confiscados e entregues quando voltarem para casa", avisou o ditador, segundo a agência de notícias AFP.

Único membro de oposição no governo da Guiné Equatorial, Placido Miko classificou o recebimento da disputa como "absurdo". "O petróleo representa 90% das receitas do país, e no momento atual, com os preços dos barris entre 40% e 50% menores, é uma improvisação irresponsável que não trará nada para o país", afirmou à AFP.

Riqueza para poucos

Localizada na costa oeste da África, a Guiné Equatorial tornou-se a partir do meio dos anos 1990 um dos maiores produtores de petróleo; em 2004, teve a sua economia apontada como a que mais rapidamente crescia no mundo. Só que toda a riqueza gerada fica com poucos, bem poucos, e a nação vive de contrastes.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), menos da metade da população, que é de pouco mais de 722 mil pessoas, tem acesso à água potável e 20% das crianças morrem antes de chegarem aos cinco anos de idade.

Getty Images
Copa Africana Sorteio Teodoro Obiang Nguema Presidente Guiné Equatorial 03/12/14
Obiang não perdeu a chance de discursar no sorteio

A ex-colônia espanhola tem o maior PIB per capita (soma dos salários de toda a população dividido pelo número de habitantes) da África, mas... O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), de 0,556, coloca a nação na posição de número 144 em uma lista de 187 - está na linha de limite do IDH médio para o considerado baixo. 

Vários órgãos internacionais acusam o regime de Obiang como o que mais viola os direitos humanos na África. Segundo relatório de 2013 da Human Rights Watch, "detenções arbitrárias e julgamentos injustos continuam a ocorrer e os maus-tratos de detentos permanecem sendo algo comum, às vezes chegando ao nível de tortura".

O mesmo relatório diz que "Obiang tem procurado reforçar suas posição internacional e reputação. Para isso, a Guiné Equatorial sediou a Copa Africana de Nações e outros eventos de destaque em 2012 para apresentar uma nova imagem, tanto do presidente como do país".

E segue: "Embora o acesso à Guiné Equatorial tenha melhorado aos jornalistas internacionais para a cobertura de grandes eventos no país, muitos relataram assédio e intimidação. A repressão governamental a jornalistas locais, grupos da sociedade civil e membros da oposição política continua."

O sistema fechado do país não deixa que a ONG Transparência Internacional o avalie para o anual Índice de Percepção da Corrupção - o Brasil ficou em 69º em 2014. Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ex e atual presidentes do Brasil, já tiveram encontros e aplaudiram em diferentes ocasiões, em eventos internacionais, o ditador. 

Ao contrário da maioria esmagadora da população, Obiang e sua família têm liberdade e dinheiro de sobra. O presidente foi listado pela revista "Forbes", em 2012, como um dos chefes de estado mais ricos do mundo, com uma fortuna de cerca de 600 milhões de dólares.

Filho que esbanja

Em 2011, seu filho mais velho e segundo vice-presidente, Teodorin Obiang, solicitou o projeto de um iate de 380 milhões de dólares, quase três vezes o valor que o país gasta com educação e saúde por ano. Diante da repercussão negativa, a assessoria do governo apressou-se a dizer que ele "desistiu da ideia de comprá-lo".

Getty Images
Copa Africana Teodorin Obiang Vice-Presidente Guiné Equatorial Namorada Dinamarquesa Christina Mikkelsen 23/12/14
Teodorin e a namorada, a bela Christina Mikkelsen 

Naquele mesmo ano, a organização internacional Global Witness cobrava do governo dos Estados Unidos sanções contra Teodorin, cujo estilo de vida, mesmo com um salário de 6.799 dólares por mês como ministo da Agricultura, incluía uma mansão de 35 milhões de dólares em Malibu, na Califórnia, um jatinho de 33 milhões de dólares e uma frota de carros de luxo.

Em julho de 2013, a "Folha de S. Paulo" teve acesso a documento da Justiça norte-americana que dava Teodorin, que namora a miss Dinamarca Christina Mikkelsen, como suspeito de lavar dinheiro no Brasil com compra de imóvel.

No campo, a CAN-2015 começa às 14h deste sábado, com Guiné Equatorial x Congo, em Bata, uma das quatro cidades-sede (as outras são Malabo, Mongomo e Ebebiyin); fora dele, a história já tem mais um capítulo envolvendo futebol, política e ditadura.

Argélia favorita da chave, Gana renovada e Costa do Marfim com melhor time
Comentários

Copa Africana se curva a ditador montado em petróleo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.