Dispensado pelo Santos, zagueiro vira xerife na Espanha e alvo da cobiça de Barça e Arsenal

Francisco De Laurentiis, do ESPN.com.br, e Vladimir Bianchini, da Rádio ESPN
JOSEP LAGO/AFP/Getty Images
Gabriel Paulista Villarreal Messi Barcelona Campeonato Espanhol 31/08/2014
Zagueiro Gabriel Paulista marca Lionel Messi durante Villarreal x Barcelona: xerifão

Nas últimas semanas, grandes jornais europeus colocaram um zagueiro brasileiro na mira dos gigantes Barcelona e Arsenal, que estariam disputando o defensor nesta janela de transferências. Trata-se de Gabriel Armando de Abreu, de 24 anos, que, nos tempos de Vitória, ficou conhecido como Gabriel Paulista.

Com grandes atuações no Campeonato Espanhol, ele chamou a atenção ao fazer boa marcação em cima de craques Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, entre outros.

"Meu melhor jogo nesta temporada foi contra o Real Madrid, em casa. Perdemos por 2 a 0, mas eu joguei bem e os jornais me colocaram como principal destaque do Villareal na partida. Marquei o Cristiano e o Bale, e recebi muitos elogios. Fiquei triste pelo resultado, mas feliz pelo reconhecimento", contou Gabriel, em entrevista à Rádio ESPN.

O defensor, que chegou ao "Submarino Amarelo" em 2013, por 3,3 milhões de euros, diz que mal acreditou quando viu os craques que acompanhava pela TV desfilando na sua frente.

"O Messi para mim é impressionante, muito inteligente, muito complicado de marcar. Vê-lo ao vivo pela primeira vez foi um negócio inacreditável. No começo, eu fiquei assustado, meu primeiro jogo foi contra o Real Madrid em casa e já fiquei no banco. Eu olhava e pensava: 'Olha lá o Cristiano Ronaldo, o Higuaín... Como é que eu vim parar aqui (risos)?'", brincou.

Apesar do frio na barriga em enfrentar os craques, o brasileiro vem contribuindo diretamente para o sucesso recente de sua equipe. O clube amarelo está invicto há 13 jogos, em uma série que inclui uma vitória por 1 a 0 sobre o Atlético de Madri em pleno Vicente Calderón, que acabou com o tabu de dois anos dos colchoneros sem perderem em casa.

Após de ouvir e ler as notícias sobre o interesse de Barcelona e Arsenal, Gabriel diz não ter recebido nenhuma proposta oficial até agora. No entanto, se os dois clubes resolverem brigar pelo seu futebol, o zagueiro diz que já sabe quem vai escolher.

"Eu fico feliz pelas notícias, estou trabalhando ainda mais forte depois do que saiu nos jornais. Não é qualquer coisa, são Barcelona e Arsenal, dois dos principais times do mundo. O engraçado é que eu falei no ano passado para o meu empresário, muito tempo antes das notícias saírem, que tinha o sonho de um dia atuar na Inglaterra. Tomara que pinte essa oportunidade", discursou.

E seleção brasileira, também está na mira? É claro que sim.

JOSE JORDAN/AFP/Getty Images
Gabriel Paulista Villarreal Gareth Bale Real Madrid Campeonato Espanhol 27/09/2014
Gabriel Paulista corre atrás de Bale, do Real Madrid

"Cada dia eu tento ser o melhor e trabalhar mais em busca dessa oportunidade. Para mim, o Thiago Silva é o melhor zagueiro do mundo, me espelho nele. Claro que eu sei que é difícil chegar à seleção, mas uma hora vou ter uma oportunidade, e, com meu trabalho, quero abrir portas com o Dunga", afirmou.

Dispensado pelo Santos

Nascido em São Paulo, em 26 de novembro de 1990, Gabriel Paulista patinou para começar a carreira. Seu primeiro teste foi no Grêmio Barueri: reprovado. Em seguida, tentou o Santos, que também disse "obrigado, mas não".

"Fiquei uma semana no Santos e acabou não dando certo, acho que o técnico era o Narciso. Eles falaram que eu era um bom jogador, mas preferiam ficar com um outro que era mais experiente e que já tinha disputado Copa São Paulo. Mas isso não me deixou triste, não, só me fortaleceu ainda mais para trabalhar e buscar um clube no ano seguinte", lembrou.

A primeira chance veio no Taboão da Serra, time da cidade localizada na região metropolitana da capital do Estado. Em 2009, disputou sua primeira Copinha, na qual enfrentou Fortaleza, Rio Preto e Vitória.

O clube baiano gostou da atuação do defensor de 1,87m e o chamou para um teste em Salvador. Foi aprovado com louvor e passou a integrar a base rubro-negra. Ao todo, ficou cinco anos por lá, sendo puxado para o profissional pelo técnico Paulo César Carpegiani, em 2010.

"Eu venho de família humilde, e meus pais pegavam sempre no meu pé para eu arrumar um serviço e ajudar em casa. Mas eu sempre batia o pé e falava que meu trabalho seria ser jogador de futebol. Minha mãe insistia pra eu procurar emprego, porque eu era quase maior de idade, mas eu persisti, e hoje fiz da bola minha profissão", comemorou.

"Muitas pessoas falavam que eu não ia conseguir, falam que você é ruim... Todo jogador passa por isso. Até o Neymar falou uma vez que isso aconteceu com ele!", completou.

Nos tempos de base, porém, nem todos tiveram a mesma sorte que Gabriel. Um de seus colegas, por exemplo, não vingou no futebol, e hoje tanta a vida no ramo da música.

"O Rafael Aquino, que jogava comigo, hoje é cantor sertanejo, tá na batalha! Na nossa época, ele já cantava bem, animava a concentração, mas no futebol ele não quis seguir carreira. Já eu não sei cantar nada, e só sei tocar campainha (risos)", divertiu-se.

Tom Dulat/Getty Images
Gabriel Paulista Villarreal Swansea Liga Europa Amistoso 09/08/2014
Gabriel Paulista em ação pelo 'Submarino'

Outra história que faz o paulista sorrir mostra ao mesmo tempo como sua vida mudou rapidamente em questão de anos. Se na adolescência passou perrengues viajando de ônibus para disputar partidas Brasil afora, hoje ele vive o sonho de todo atleta profissional no Campeonato Espanhol, um dos mais importantes do mundo.

"Fomos disputar um torneio da base em Presidente Prudente, e, na volta, o ônibus quebrou. Um bando de moleque, não tínhamos dinheiro nem pra comer um sanduíche no posto. A nossa sorte é que um dos nossos colegas, o Rafael, que era sobrinho do Álvaro ex-zagueiro do São Paulo, tinha um pouco mais de condições e pagou lanche para gente. Ficamos um tempão na estrada, rapaz...", recordou.

A cada vez que lembra desses micos, Gabriel fica ainda mais feliz de hoje estar em La Liga, mesmo que isso signifique ter que correr como louco atrás de Messi e CR7.

"Jogar aqui tem sido uma grande experiência, pois é um dos melhores campeonatos do mundo. Devo isso o Vitória e ao Taboão por acreditarem no meu futebol. A cada dia aqui eu realizo o sonho de jogar com os principais jogadores do mundo", finalizou.

Nelson Antoine/FotoArena/Getty Images
Gabriel Paulista Vitória Ronaldo Fenômeno Corinthians Campeonato Brasileiro 29/08/2010
Gabriel Paulista, em seu início no Vitória, disputa a bola com Ronaldo 'Fenômeno'
Comentários

Dispensado pelo Santos, zagueiro vira xerife na Espanha e alvo da cobiça de Barça e Arsenal

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.