Gramado do Mineirão não terá melhoras para clássico; Minas Arena explica problemas

Camila Mattoso e Francisco De Laurentiis, de Belo Horizonte (MG)
Gazeta Press
Gramado do Mineirão deixou a desejar e ficou encharcado e impraticável
Gramado do Mineirão deixou a desejar e ficou encharcado e impraticável

Além de bater o Goiás por 2 a 1, o Cruzeiro teve também de superar um outro inimigo para ser tetracampeão brasileiro com duas rodadas de antecedência: o gramado. Com aspecto de queimado em alguns cantos do estádio, o campo ainda sofreu com a forte chuva que caiu na cidade de Belo Horizonte na tarde do domingo. A drenagem só funcionou depois de 60 minutos de jogo, criando poças de água, especialmente nas laterais.

A preocupação agora está voltada para o clássico da próxima quarta-feira, na decisão da Copa do Brasil, de novo no Mineirão, mas há pouco a se fazer até lá.

"Estava impraticável. Espero que esteja melhor até quarta. Pode até atrapalhar, mas a gente vai dar o nosso melhor", afirmou Éverton Ribeiro, na tarde desta segunda, em coletiva.

"Dificulta muito, acredito que vai melhorar. A gente não via o campo assim há muito tempo. Acho que eles vão fazer de tudo para melhorar", completou Marcelo Moreno.

De acordo com a Minas Arena, administradora do Mineirão, duas coisas explicam as péssimas condições da última partida lá disputada: o tempo seco que atingiu a capital mineira nos últimos meses e as exigências da Fifa para a Copa do Mundo, realizada no meio do ano.

São, portanto, duas coisas diferentes, mas que se misturaram na tarde da conquista do título do Brasileiro.

O fator climático explica o aspecto ruim da grama, que em muitos lugares aparece mais marrom do que verde, como nos cantos do escanteios. Segundo a empresa, a grama de inverno morreu antes do esperado. A expectativa era de que essa morresse enquanto a outra, de verão que já foi semeada, enraizasse, o que não aconteceu.

Por outro lado, o excesso de água dentro de campo, que acabou atrapalhando o desempenho dos jogadores e o movimento da bola, tem a ver com outra questão.

No caderno de encargos da Fifa, havia a exigência da colocação de fibras embaixo da grama, em maior quantidade em alguns pontos, como nas laterais. Acontece que esse material colocado acaba dificultando a drenagem da água, que não consegue atravessar o bloqueio. Na manutenção do fim do ano passado, foi retirada uma parte, mas não resolveu o problema por completo.

A Minas Arena diz que está trabalhando para que o gramado apresente a melhor condição possível para a prática de futebol. No fim deste ano, segundo a assessoria, o campo passará por nova manutenção, como em todo fim de temporada, e mais ajustes serão feitos para permitir um escoamento melhor da água, retirando mais fibras da estrutura.

Além disso, a empresa diz que tem tomado constantemente os cuidados necessários, fazendo perfurações para ajudar a drenagem.

Atlético e Cruzeiro se enfrentam nesta quarta, às 22h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo dos canais ESPN. Como venceu a partida de ida por 2 a 0, a equipe alvinegra pode até perder por um gol de diferença que ainda assim ficará com a taça da Copa do Brasil pela primeira vez em sua história.

Comentários

Gramado do Mineirão não terá melhoras para clássico; Minas Arena explica problemas

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.